Correios em greve? Conheça 8 serviços alternativos

Correios em greve? Conheça 8 serviços alternativos

O que fazer quando os Correios entraram em greve? Sentar e chorar? Calma lá, nós temos a solução. Preparamos uma lista com serviços alternativos aos Correios.

Alternativas aos Correios para entregas locais

Loggi

Se você precisa entregar ou receber uma encomenda de alguém que não está tão longe assim, a Loggi pode ser a solução. É uma plataforma online de entrega expressa que te conecta com motoboys. Funciona de maneira bem simples: após criar um cadastro, você seleciona o endereço da entrega (ou mais de um, se for o caso) e a própria plataforma encontra o mensageiro mais próximo para realizar a corrida.

Loggi funciona tanto pelo site como pelo aplicativo e, através deles, é possível rastrear a entrega em tempo real. Também dá para compartilhar esse caminho com a pessoa que deve receber a encomenda. A Loggi é um serviço que funciona nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre.

loggi 2
Loggi é uma ferramenta simples e fácil. / © Captura de tela/AndroidPIT

Lalamove

Esse aplicativo de entregas tem sua sede em Hong Kong e, justamente por isso, não é tão conhecido no Brasil, mas transportar objetos de praticamente qualquer tamanho, uma vez que conta com motos, carros e caminhões para comportá-los. Ele está disponível na cidade de São Paulo, no ABC e em municípios como Guarulhos, Osasco, Barueri, Santana de Parnaíba, Santos e Guarujá. Para utilitários e carretos, o Lalamove pode ser usado também em cidades como Sorocaba, Jundiaí, Campinas, Mogi das Cruzes e São José dos Campos.

No Rio de Janeiro, os clientes podem usar motos na cidade do Rio de Janeiro, em Niterói, nos municípios da Baixada Fluminense e também em Petrópolis. No caso dos utilitários e carretos, o serviço pode ser usado também nas cidades como Volta Redonda, Resende e Macaé.

Para baixar o app no seu Android ou iOS

EcoBike Courier

Mais uma opção similar às anteriores é o EcoBike Courier. A diferença, aqui, é que todas as entregas são feitas por ciclistas, então a empresa ainda possui um apelo ambiental.

O pedido de um ciclista entregador pode ser feito através do site, e a empresa atende as cidades de Balneário Camboriú, Blumenau, Brasília, Itajaí, Curitiba, Londrina, Cascavel, Porto Alegre, Santos e São Paulo.

Rappi 

O Rappi é, provavelmente, o aplicativo de entregas mais conhecido atualmente. Disponível em mais de 40 cidades brasileiras, não é difícil ver entregadores de moto ou bicicleta portando uma bolsa com o nome da empresa. As entregas comportam vários tipos de objetos diferentes, como remédios, comida, objetos para casa ou decoração, entre outros.

A taxa de serviço do Rappi varia de acordo com o dia da semana e o horário no qual a entrega foi solicitada. Além disso, é possível fazer pagamentos via dinheiro, PayPal, Google Pay, Vale Refeição e cartões de crédito. O usuário também pode assinar o Rappi Prime, cuja mensalidade custa cerca de R$ 19 e conta com frete grátis em todas as compras acima de R$ 20 - desde que elas sejam pagas com cartão de crédito.

Para baixar o app no seu Android ou iOS

Click Entregas

O aplicativo de entregas pode ser usado em toda a Grande São Paulo e permite chamar um motoboy mesmo sem ter realizado nenhum cadastro. As taxas de entrega custam a partir de R$ 15,30 e podem ser pagas com dinheiro, cartão de crédito ou boleto bancário. Vale ressaltar, porém, que há um limite para o tamanho dos itens, que não podem ser maiores que o baú.

Para baixar o app no seu Android ou iOS

Alternativas aos Correios para entregas distantes

FedEx

Para enviar encomendas para locais mais distantes, também existem alternativas de grande abrangência territorial, assim como os Correios. E uma delas é o FedEx. Além de atuar em encomendas internacionais, a empresa também tem a opção de serviços domésticos.

O Rapidão Cometa, que é o braço do FedEx que realiza a entrega de encomendas no território nacional, transporta diversos tipos de carga em longas distâncias, e possui serviço de rastreamento para monitorar a carga.

Mais informações como valores e abrangência podem ser encontrados no site da companhia.

UPS

Assim como a FedEx, a UPS realiza entregas de longa distância, se tornando uma alternativa para quem precisa enviar encomendas para longe. Além disso, a empresa também transporta diversos tipos de cargas, e possui serviço de rastreamento. Informações como a abrangência do serviço podem ser encontradas no site da empresa.

Amazon Squares Up to FedEx and UPS
Empresas estrangeiras alternativas ao Correios / © Divulgação

Rodoviárias

Talvez você não soubesse disso, mas, além de levar pessoas de um lado ao outro, algumas rodoviárias e empresas de ônibus oferecem serviços de transporte de cargas. Com a vantagem de uma ampla cobertura geográfica, é possível enviar encomendas através do bagageiro dos ônibus que realizam as viagens normais.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, todos os terminais rodoviários que vendem passagens têm um setor de envio de encomendas. Em São Paulo, algumas empresas específicas, como a VB Transportes e Turismo, também realizam esse tipo de serviço.

Gostou das dicas? Tem algum app, site ou serviço para indicar?

ÚLTIMOS ARTIGOS

9 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Johnny Daniel há 8 meses Link para o comentário

    Fiquei um ano e meio, depois que me mudei, sem qualquer acesso aos Correios. Todas as desculpas dadas por um e-mail com uma resposta automática, absolutamente insatisfatória, após inúmeras tentativas de registro de reclamação (pessoal e eletronicamente), são infundadas (falta de calçadas, má sinalização, ruas sem asfalto, local que oferece qualquer tipo de perigo aos carteiros), meu bairro não se enquadra em nenhum desses casos. A cada encomenda e correspondência, tinha que ir pessoalmente à uma agência do centro, perdendo horário de almoço, chegando atrasado no trampo por conta das longas filas, gastando combustível, pagando zona azul... No final das contas, o valor (já exorbitante) cobrado por um PAC ou um SEDEX dobrava (porque eu tinha que fazer o trabalho dos Correios). Cancelei assinaturas de revistas e passei a usar o formato digital (para quem gosta de ler, sabe que a tela de um celular não é a mesma coisa). Enfim, estou sempre à procura de outras opções, sempre que posso, evito os Correios. Acho válida a privatização, desde que traga melhorias no serviço e preços mais atrativos, além de melhores condições de trabalho aos funcionários através de administração competente (evitando assim as já corriqueiras greves).


  • Garcia Freitas há 9 meses Link para o comentário

    Utilizo os correios ha mais de 20 anos e no geral, vai minha nota 8. A empresa dá lucro sim e presta um bom serviço apesar de que poderia melhorar modernizando o sistema. Aqui em Curitiba, utilizam ainda bicicletas antigas e canetas para anotações. A greve é resultado do descaso do governo federal, ou seja; não cumpre o combinado. Tenho prejuízos e transtornos nessas greves, mas é preciso relevar. Deixo os xingamentos para os ociosos do saber, (incultos).


  • Wendel Batista há 11 meses Link para o comentário

    Quem brada pela privatização dos Correios não entende a importância social dessa empresa.
    Ela está presente em quase todo lugar. Em uma pesquisa de campo, fui para um núcleo rural com várias comunidades tradicionais, e lá estava uma agência dos Correios.
    Ela garante a essas pessoas o acesso a direitos e o exercício da cidadania.
    Mais que isso: é uma empresa que tem uma logística muito bem estruturada.
    E SIM: ela apresenta lucros.
    O que estraga mesmo os Correios é porque ela é refém dos interesses políticos e econômicos. O presidente atualmente é alguém externo, que não conhece a realidade da empresa e que está à serviços dos conchavos político (ele se intitula "soldado" do B...).
    Os Correios não pertence ao governo, mas pertence ao Estado. A sua adminsitração deveria estar nas mãos de alguém escolhido entre os funcionários e entre a sociedade civil.
    Enfim, é utopia crer em participação social na atual conjuntura política e econômica.


    • centevos há 10 meses Link para o comentário

      E quem disse que privatizar é fechar a empresa? Privatizar é garantir que funcionários trabalhem DIREITO e se não assim o fizer, vão pro olho da rua. Simples.


  • luizj há 11 meses Link para o comentário

    correios sempre ta de greve


  • Jairo rios há 11 meses Link para o comentário

    Que privatizem de vez está desgraça


  • Rafael Nunes há 11 meses Link para o comentário

    Um ponto que gostaria de salientar é que acho justo sim os empregados reivindicarem seus direitos. Até porque trabalhar no correios não é fácil e a forma de trabalho deles ainda é atrasada diante do que já temos. Mas uma coisa que infelizmente precisa ficar claro para esses grevistas é que o correios (Instituição) não é algo mais sustentável, e a certeza de que eles vão conseguir reivindicar seus direitos é pouca.

    O Próprio monopólio do correios prejudicou o trabalho deles, pois com essas novas empresas de logísticas, foi suprido muita coisa em que o correios não fazia. Agora o correios está numa situação em que o negócio se torna cada vez mais insustentável, grande estrutura, grande pessoal, alto custo operacional e nenhuma melhoria. O correios não entende que não é a concorrência que está prejudicando, mas sim a falta de serviço para uma real necessidade que as pessoas precisam hoje em termos de logística.


    • Wendel Batista há 11 meses Link para o comentário

      Na verdade os Correios é uma empresa sustentável, apresentando bons lucros historicamente. Apresentando, nos últimos 20 anos, somente 5 balanços negativos (melhor que muitas empresas por aí).
      O que estraga é a falta de governança: os Correios é refém do governante e dos acordos políticos. O certo mesmo seria ter independência, sendo o presidente dos Correios escolhidos entre os próprios funcionários pelos funcionários e pela sociedade civil.
      Além disso, é uma empresa muito importante e fundamental no Brasil. Se apresenta nos lugares mais remotos, garantindo que várias comunidades tenham acessos a serviços e possam exercer os seus direitos.
      Ao contrário do que se prega por aí, é um serviço muito bom, muito rápido também.


      • Rihbii há 10 meses Link para o comentário

        Muito rápido? Cê tá zoando né? KKKKKKKKKKK 61 DIAS QUE MINHA ENCOMENDA NÃO CHEGA! DETALHE: NÃO FIZ A COMPRA EM LOJAS INTERNACIONAIS.... E TEM MAIS A ENCOMENDA ENCONTRA-SE A 48 DIAS PARADA NO CTE-RECIFE/PE E EU MORO EM NATAL RN! Abrindo o google maps e fazendo o trajeto de lá até aqui, se dá fechadas 3 horas e 53 minutos. É muita sacanagem um negócio desse. Privatiza já!

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.