Como monitorar sua frequência cardíaca pelo celular

Como monitorar sua frequência cardíaca pelo celular

O Google anunciou recentemente uma nova função de monitoramento dos batimentos cardíacos para o Android, a partir do aplicativo Google Fit. Contudo, a gigante das buscas não foi a primeira e nem será a última empresa a oferecer tal ferramenta. Neste artigo, você confere como monitorar sua frequência cardíaca usando o smartphone e entende como este processo funciona.

Aviso: quaisquer dados de frequência cardíaca gerados pelo uso do Google Fit ou qualquer outro aplicativo sugerido neste artigo não podem ser declarados como 100% precisos. Caso você entenda necessário, busque sempre a ajuda de um profissional de saúde capacitado. A intenção deste artigo é indicar opções acessíveis para prestar atenção nas suas estatísticas vitais com regularidade.

Dito isso, é importante lembrar aqui que medir os batimentos cardíacos é uma técnica milenar e pode ser feita manualmente. Basta que você coloque o dedo indicador e médio esticados sobre o pulso, logo abaixo da base do polegar. Também é possível medir os batimentos cardíacos ao colocar os mesmo dois dedos posicionados na lateral do pescoço, próximo da veia carótida, pressionando levemente até sentir a pulsação.

O cálculo aqui é bastante simples também, basta marcar 10 segundos no relógio, contar o número de pulsações no período e depois multiplicar os batimentos por 6, assim você terá o resultado em batimentos por minuto (bpm).

Porém, existem maneiras mais práticas e fáceis de montar o próprio banco de dados com suas estatísticas vitais usando apenas o seu smartphone. Hoje já temos uma série de aplicativos distintos na Google Play Store e na Apple App Store para tanto.

Além disso, dispositivos inteligentes como smartbands e smartwatches conectados ao celular via Bluetooth já receberam inclusive a certificação da Anvisa para realizar eletrocardiograma (ECG), como é o caso do Apple Watch Series 4, Series 5 e Series 6, e dos Samsung Galaxy Watch Active 2 e Galaxy Watch 3. As pulseiras para fitness também oferecem o recurso de monitoramento da frequência cardíaca.

Pegue um atalho:

O que é a frequência cardíaca?

De uma forma bem resumida, a frequência cardíaca é o número de pulsações realizadas pelo coração durante uma unidade de tempo, e é expressada comumente por Batimentos por Minuto ou BPM. A maioria das pessoas adultas tem uma frequência cardíaca entre 60 e 100 batimentos por minuto.

Desta forma, quando estamos em movimento, o coração bate mais rápido para enviar mais sangue para os músculos e a frequência cardíaca fica elevada durante e alguns minutos após o exercício. A frequência cardíaca também aumenta em momentos de estresse, ansiedade e empolgação. Já quando estamos relaxados, o coração bate mais devagar.

Ao ritmo cardíaco irregular damos o nome de fibrilação atrial. Pessoas com diagnóstico de fibrilação atrial geralmente tomam medicamentos anticoagulantes para reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC).  

Como medir os batimentos cardíacos usando o Google Fit

Em fevereiro, o Google anunciou a chegada dos recursos para monitoramento dos batimentos cardíacos e respiratórios ao aplicativo Google Fit. Até o momento, estes recursos estão disponíveis apenas para os smartphones da linha Pixel. Contudo, a ideia é que as funções sejam adicionadas como nativas do serviço e estejam disponíveis para todos os celulares rodando com Android em breve.

Monitorar a frequência cardíaca a partir do Google Fit no Pixel é simples: usando a câmera traseira e o flash de LED é possível medir os batimentos cardíacos a partir da análise da coloração do dedo. Ou seja, não há necessidade de um gadget extra para tanto.

Primeiro, é preciso posicionar o dedo sobre a câmera traseira, pressionar levemente e permanecer imóvel. O sistema vai fazer a medição da pulsação do sangue no dedo.

google fit app pixel heart rate
Basta posicionar o dedo sobre a câmera principal e aguardar 30 segundos / © NextPit

Na tela, é possível perceber se o dedo está posicionado corretamente. Assim que o Google Fit inicia contagem, vemos um gráfico na parte de baixo ilustrando a frequência dos batimentos cardíacos. Por algum motivo, o uso da mão esquerda se mostrou mais eficiente nos meus testes do que o da mão direita. Todo o processo dura cerca de 30 segundos.

Assim como outros serviços similares, o Google afirma que o aplicativo faz uma análise aproximada do fluxo sanguíneo rastreando mudanças sutis na coloração dos dedos. Os algoritmos usados no Google Fit consideram a iluminação, o tom da pele, a idade e outros fatores para gerar os dados.

google fit app pixel heart rate UI
A partir da tela inicial do Google Fit é possível adicionar uma medição rapidamente / © NextPit

Informações adicionais sobre o monitoramento cardíaco no Google Fit:

  • O serviço não precisa de conexão de dados para funcionar;
  • Todas as informações são capturadas em tempo real e diretamente no dispositivo, logo, nada é enviado para a nuvem. Ao final de cada medição, você será questionado se deseja que o resultado seja armazenado no Google Fit para a criação de um banco de dados a longo prazo.
  • O Google deixa bem claro que o monitoramento cardíaco via Google Fit deve ser utilizado para fins informativos. Se você possui uma doença cardiovascular utilize este recurso com o acompanhamento de um profissional de saúde.

Como monitorar a frequência cardíaca no Apple Watch

Oficialmente, a Apple se apoia na utilização do Apple Watch para monitorar os batimentos cardíacos. Logo, você precisa adquirir um gadget extra aqui ou utilizar os aplicativos de terceiros que usam a mesma metodologia do Google Fit.

A partir do modelo Apple Watch Series 4, a empresa passou a oferecer além do monitoramento cardíaco, a possibilidade de fazer Eletrocardiograma ou ECG. Essa medição seria supostamente mais precisa em relação ao uso da câmera do celular.

O sensor óptico nos dispositivos inteligentes  — como pulseiras fitness e smartwatches  — usa a mudança na luz que é refletida com base na pulsação de quem os utiliza. Conforme o coração bate, mais sangue é bombeado para os vasos e mais luz é obtida pelo sensor. Entre as batidas, quando há menos sangue, mais luz é refletida de volta para os receptores.

Apple Watch heart rate
Ao lançar o app para ECG no Apple Watch, basta tocar na coroa digital para medir o ritmo cardíaco / © NextPit

O Apple Watch utiliza esse sensor óptico para medir o ritmo cardíaco e envia alertas quando o padrão sugere um ritmo cardíaco irregular (fibrilação atrial). No ano passado, a empresa conseguiu finalmente a certificação da Anvisa para liberar o recurso ECG para os seus relógios inteligentes no Brasil. Contudo, ainda assim, a Apple alerta que para obter um diagnóstico definitivo, um médico precisa ser consultado.

O ECG usa eletrodos para medir a atividade elétrica que resulta de cada expansão e contração do coração. O Apple Watch possui um eletrodo no cristal da parte traseira e um eletrodo na coroa digital. Quando colocamos o dedo na coroa fechamos um circuito entre o braço esquerdo e o direito, e o aparelho começa a medir a frequência cardíaca por 30 segundos.

Como base de comparação, um ECG típico usa 12 eletrodos colocados no tórax, braços e pernas para registrar a atividade elétrica do coração. Contudo, o sistema presente no Apple Watch seria suficiente para detectar um pulso irregular, o que levanta a suspeita do ritmo cardíaco irregular. Se você deseja saber mais sobre isso, leia essa reportagem especial publicada no canal CNet, em 2019.

iPhone Apple Health Watch ECG
No aplicativo do Apple Watch ou Apple Health é possível ver o resultado dos ECGs / © NextPit

Algumas alternativas ao Apple Watch no ecossistema Android são os Galaxy Watch Active 2 e Galaxy Watch 3 (R$ 2.000 na Amazon), que também oferecem ECG com uso aprovado pela Anvisa. Outras opções para monitoramento da frequência cardíaca são as pulseiras Mi Band 4 (R$ 185,00 na Amazon), Mi Band 5, Fitbit Charge 4 e modelos similares.

Para construir essa lista, usei como base os resultados dos meus eletrocardiogramas no Apple Watch Series 4 (R$ 2.700 na Amazon) como referência para sugerir ou não algum aplicativo. Infelizmente, não tenho um monitor de pressão arterial portátil para fazer um comparativo.

Aplicativos para monitorar os batimentos cardíacos [Android e iOS]

A minha metodologia para escolha dos aplicativos compartilhados neste artigo é simples: selecionei aqueles com a maior avaliação na Google Play Store e na Apple App Store, instalei e testei por sete dias. Abaixo, vou indicar os três aplicativos que ofereceram a melhor experiência para Android e para iOS.

Importante: todos os aplicativos desta lista precisam de acesso à câmera para funcionar.

Cardiio

O Cardiio é certamente o melhor aplicativo desta lista quando o assunto são ferramentas de uso. Medir a frequência cardíaca é muito simples e basta posicionar o dedo sobre a câmera principal do iPhone, na parte traseira. Ao adicionar informações extras sobre você, como peso e idade, é possível gerar um quadro com insights e comparações em relação à média de usuários do serviço. 

Além disso, é possível ter uma visão geral da sua frequência cardíaca relacionada com seu condicionamento físico e resistência. A versão paga traz diferentes pacotes, podendo inclusive assinar sete dias de treino físico. Como disse, o Cardiio é o rei das ferramentas nesta lista.

Outra função importante para o caso de você querer usar em conjunto com seu médico, é o histórico de monitoramento, que pode ser compartilhado via documento CSV. O app também funciona integrado ao Apple Health. Mas está disponível apenas para iOS até o momento.

Vale ainda ressaltar que o desenvolvimento deste aplicativo e pesquisas relacionadas a eficácia e precisão deste tipo de serviço datam de 2016.

  • Baixar o aplicativo Cardiio para iOS na App Store.
Cardiio iOS heart rate
Interface do Cardiio para iOS / © NextPit

Ritmo Cardíaco Instant‪e‬

Uma boa alternativa para quem não quer comprar um monitor cardíaco dedicado é o Heart Rate Free, traduzido para o português como Ritmo Cardíaco Instant‪e‬. A forma de uso é sempre a mesma, posicionar o dedo sobre a câmera do celular e esperar até que o processo dos batimentos por minuto termine.

O app também detecta a mudança de cor na ponta do dedo para entregar dados sobre o seu ritmo cardíaco em tempo real. De acordo com a empresa desenvolvedora deste aplicativo, já são mais de 35 milhões de pessoas utilizando o Ritmo Cardíaco Instant‪e‬. Para usar o app não é preciso fazer uma conta, porém, toda vez que você abrir o aplicativo, o sistema irá sugerir que você se inscreva.

O bacana deste aplicativo é que está disponível tanto para Android quanto iOS e permite adicionar etiquetas a cada teste. A versão paga do serviço permite exportar relatórios. O Ritmo Cardíaco Instant‪e‬ oferece suporte para Apple Health e Google Fit.

Heart rate free iOS
A versão gratuita do app possui propaganda, mas você pode remover pagando uma assinatura / © NextPit

Cardiograph

A inclusão do Cardiograph vai parecer contraditório, a questão é que o serviço funciona bem no Android, mas a experiência é realmente ruim para iOS. Logo, não aconselho o download deste app no iPhone. Dito isso, o Cardiograph para Android permite medir a frequência cardíaca, salvar os resultados para referência futura e acompanhar outras pessoas que também estão no mesmo processo que você. Este app é muito simples de usar e permite compartilhar perfis, logo, excelente para uso conjunto com familiares.

Para monitorar os batimentos cardíacos usando o celular, basta colocar o dedo sob a câmera do smartphone e aguardar o resultado. Você consegue gerar um PDF com a medição do dia e compartilhar via mensageiros instantâneos, porém, é preciso dizer que o mesmo conteúdo poderia muito bem ser compartilhado por escrito.

O Cardiograph oferece suporte para Wear OS (antigo Android Wear), o que permite medir os batimentos usando o sensor de frequência cardíaca dos smartwatches.

Cardiograph app
O app é super simples de usar e permite seguir outros perfis / © NextPit

Oxímetro de pulso batimento

O Oxímetro de pulso batimento é super simples e fácil de usar. Depois de monitorar a frequência cardíaca usando a câmera principal do iPhone, você pode conferir o seu histórico para monitorar seu progresso. 

Caso você tenha interesse em receber alguns insights e conselhos, precisa assinar o serviço. Contudo, se a intenção é apenas criar uma rotina de monitoramento, de forma bastante prática, este app é suficiente. 

  • Baixar o aplicativo Oxímetro de pulso batimento na App Store.
Heart rate app iOS Apple
O Oxímetro de pulso batimento tem uma UI simples e prática / © NextPit

Heart Rate Monitor

Seguindo na mesma linha do Oxímetro de pulso batimento, o Heart Rate Monitor é super simples de usar, oferece a possibilidade de fazer medições ilimitadas e ainda exporta os dados em CSV de forma gratuita.

Temos aqui o suporte para cinco zonas de frequência cardíaca: extremo/pico, cardio, queima de gordura, aquecimento, repouso.

heart rate monitor android app
Com uma UI intuitiva, o Heart Rate Monitor permite exportar arquivos CSV  / © NextPit

Por fim, não recomendo o uso dos serviços Monitor de frequência cardíaca Controlador de pulso, Heart rate monitor Pulse checker: BPM trackerCardiógrafo - monitor de puls‪o para iOS e o Monitor Freqüência Cardíac‪a‬ para iOS. Isso porque a experiência de uso com estes serviços ficou abaixo do esperado em relação à interface do usuário ou os resultados do monitoramento destoavam demais do restante.  

Conclusão: apps de monitoramento cardíaco valem a pena?

Como você deve ter percebido ao longo deste artigo, nenhum dos dispositivos ou aplicativos sugeridos funciona com 100% de precisão. Logo, qualquer que seja a sua escolha, esteja ciente que o monitoramento da frequência cardíaca precisa ser acompanhado por um profissional da saúde, especialmente, se você tiver doenças cardiovasculares ou for um atleta de alto nível.

A nossa intenção aqui é mostrar quais são as opções disponíveis no mercado e ressaltar os avanços na área de bem-estar digital. Ao compartilhar a minha experiência com estes aplicativos e com o Apple Watch Series 4, quero reforçar que utilizo tais serviços para criar um banco de dados pessoal, com a possibilidade de adição de notas rápidas para análises futuras, especialmente em relação aos níveis de ansiedade e estresse.

Por fim, quero compartilhar o resultado de um estudo publicado no Journal of the American Heart Association (JAHA), em 2016, e mencionado na Harvard Health Publishing no mesmo ano, referente ao app Cardiio, para iOS.

Os pesquisadores usaram o Cardiio em conjunto com a câmera do iPhone para detectar a fibrilação atrial em mais de 1.000 pacientes. Como resultado, foi possível perceber batimentos cardíacos erráticos em 92,9% dos pacientes que já tinham tal condição; e identificaram corretamente 97,7% dos pacientes que não apresentavam tal condição.

Isso não significa que você deve confiar 100% nestas soluções digitais, porém, você pode conversar com o seu médico e entender se essa é uma opção viável para você.

E aí, o que você achou desta lista? Você utiliza algum serviço similar para monitorar os seus batimentos cardíacos pelo celular? Conhece alguém que utiliza? 

ÚLTIMOS ARTIGOS

2 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Sinceramente não confio na acuracidade destes apps .


    • Camila Rinaldi
      • Admin
      • Equipe
      há 2 semanas Link para o comentário

      Então, Jairo, eu utilizo algumas funções do Apple Health e do Google Fit faz um tempo, e me parecem muito consistentes. Mas como as próprias empresas afirmam, é algo para ser usado como informação e não diagnóstico. E neste sentido, pessoalmente, gosto das opções que temos no mercado. Gostei muito do Cardiio, comecei a usar na pesquisa para este artigo e vou manter, apesar do Apple Health ser muito completo. Aliás, acredito que o Google Fit poderia usar o Cardiio como referência para adições futuras ao app.

      Nossa equipe já fez reviews extensivos sobre o monitoramento cardíaco em dispositivos inteligentes, como a Mi Band 4 e a sua versão 5, você pode conferir nas análises. Todos os resultados foram condizentes com aquilo que monitores portáteis também indicavam.

      Mais uma vez, não são medições para ter um diagnóstico, mas podem muito bem serem o início para uma maior preocupação e entendimento sobre o próprio corpo.