Enquete da semana: a "independência" da OnePlus não convenceu vocês

Atualizado: resultados da pesquisa
Enquete da semana: a "independência" da OnePlus não convenceu vocês

A OnePlus pode permanecer independente da Oppo enquanto compartilha cada vez mais recursos e equipes? Bem, não é nisso que a maioria dos leitores do NextPit acredita, exceto pelos nossos amigos na França. Confira o resultado da enquete da semana.

É por isso que acho interessante as nossas pesquisas semanais. Para minha surpresa, meus queridos leitores ilustraram perfeitamente o conceito de "exceção francesa" em nossa enquete da semana passada.

Totalmente contra a corrente dos leitores do NextPit em todo o mundo, que votaram de forma esmagadora contra a confiança na OnePlus de permanecer separada de sua empresa controladora, a Oppo. Enquanto isso na França... Praticamente metade dos leitores acreditaram na força da OnePlus independente.

No geral, os leitores do NextPit declararam de forma clara que não acreditam na independência da OnePlus em relação à Oppo, 73% no Brasil, 84% na Alemanha e 94% entre os leitores de língua inglesa do nextpit.com. Do lado francês, a divisão teve uma pequena maioria de leitores convencidos da independência da OnePlus (51%).

Como seria de se esperar de um leitor informado e experiente em tecnologia, a linguagem usada pela OnePlus para proclamar sua independência foi vista de maneira cética. A maioria de vocês sabe que a OnePlus nunca foi realmente independente da Oppo, pelo menos estruturalmente. 

Um leitor alemão, "Hubelix" até sugeriu que a OnePlus era mais uma forma de a BBK Electronics sondar o mercado ocidental, muito longe do mito da startup descolada que vende celulares acessíveis. Ele acrescentou que "o dinheiro para desenvolver dispositivos, para negociar a cadeia de suprimentos, para comercializar, teve que vir de algum lugar, afinal."

Voce realmente acredita na independencia da OnePlus
Apenas os franceses acreditam (pela metade) na independência da OnePlus / © NextPit

A imagem da marca OnePlus é mais forte na França

As respostas à segunda pergunta da pesquisa são ainda mais interessantes. Mais uma vez, apenas os leitores franceses acreditam que a OnePlus (66%) manterá a identidade da sua marca e continuar a oferecer os seus produtos, distintos dos da Oppo.

O contraste com as respostas de outros leitores do NextPit fala por si. 0% dos brasileiros acreditam que a OnePlus continuará a oferecer produtos separados da Oppo no futuro. Como resumiu o Jairo:

"Acredito que em breve a marca One Plus será apenas lembrança, será paulatinamente engolida pela Oppo."

Essa mesma taxa de confiança alcança 6% para nossos leitores do site em inglês e 16% para a Alemanha. Isso é particularmente relevante porque a Alemanha, ao contrário da França, é um dos principais mercados em que a OnePlus se concentrou desde sua reestruturação em 2020 e a dissolução de suas equipes na França espalhadas por todo o norte da Europa. 

Embora estejam cientes da ascendência da OnePlus com o Oppo, alguns leitores do NextPit estão convencidos de que a OnePlus tem uma imagem de marca mais forte do que a Oppo.

A OnePlus conseguira manter sua identidade a parte da Oppo
A legião francesa não perde a esperança na OnePlus / © NextPit

Um leitor alemão, "rec", aponta por exemplo que "eu conheço a OP há provavelmente 6 anos. Três dos meus amigos que sabem sobre software têm dispositivos OP. Ninguém tem Oppo ou ouviu falar deles."

Comentando outro artigo publicado sobre o assunto, um dos nossos leitores franceses de longa data, "louis_hory", também queria, com idealismo, "imaginar que é o OxygenOS que irá 'colonizar' toda a linha Oppo em vez do contrário. Seria totalmente utópico, mas não custa sonhar nos dias de hoje."

Mas, como nos lembra "Tim", um leitor alemão, mesmo que isso signifique estragar um pouco a festa do otimismo na França, "A OnePlus claramente não é a marca mais famosa. Talvez seja o caso em algumas bolhas de tecnologia ou em alguns países, mas o resultado final é que a Oppo é muito mais conhecida e muito mais bem representada no mercado." 

De fato, a Oppo ocupa o quarto lugar entre as fabricantes de celulares no mundo em termos de participação de mercado (6% no primeiro trimestre de 2021), mesmo sendo uma minoria contra as 3 primeiras colocadas, Samsung, Apple e Xiaomi. A OnePlus e sua participação de mercado de 2% no mundo obviamente não a tornam um player importante.

OxygenOS faz a diferença

Na última pergunta da pesquisa, perguntei se, em termos absolutos, realmente importava a independência da OnePlus (ou não). Afinal, marcas vêm e vão do mercado, uma opinião compartilhada por 50% dos leitores brasileiros. 

Os leitores do site .com dão pouca importância à existência do OnePlus, o que é bastante estranho, já que a fabricante chinês está particularmente bem estabelecido na Índia e está entre os únicos fabricantes chineses a ser devidamente distribuído nos Estados Unidos. Talvez a política de preços dos últimos anos tenha atraído a ira dos consumidores indianos, que são muito mais sensíveis aos aumentos de preços do que na Europa.

E mais uma vez, são os leitores franceses que criam a surpresa ao responder em 80% que o fato da OnePlus continuar existindo é importante para eles. Mas os leitores franceses não são fanboys por tudo isso. Esse apego, de fato, não é incondicional. 

Voce se importa com a sobrevivencia da OnePlus

A imagem da marca OnePlus é mais forte na França / © NextPit

"Emmanuel Milcent", que raramente mede as palavras, acredita que "enquanto a OnePlus puder manter seu sistema OxygenOS (ou que a Oppo o adote para seus celulares vendidos no Ocidente), não importa se os smartphones que o possuem são comercializados sob a marca OnePlus ou Oppo, desde que haja qualidade e os preços não aumentem". 

“Se a filosofia continuar a mesma serei sempre cliente, senão adeus!” Disse outro leitor francês, “Grego” com quem também partilho o seu apego ao famoso “cursor de alerta” da OnePlus, entre outros.

Conclusão

Se a OnePlus ou a Oppo lerem esta pesquisa, há uma lição que fariam bem em aprender: a marca é importante, mas isso não é tudo.

Na França, a OnePlus goza visivelmente de uma reputação muito boa e de uma imagem de marca positiva junto aos nossos leitores, reconhecidamente vidrada em tecnologia e não representativa do mercado como um todo.

Mas esse apego não é cego nem incondicional, como mencionado acima. A "OppoPlus" corre o risco de ter um grande tiro pela culatra se simplesmente pretende explorar a imagem da marca OnePlus sem nunca se traduzir em produtos e ações concretas. 

A Oppo precisa entender que a OnePlus pode ser uma galinha dos ovos de ouro, desde que não seja tratada como uma vaca leiteira. Se a OnePlus começar a lançar modelos Oppo ainda mais rebatizados, se distorcer o OxygenOS como quase fez com o OxygenOS 11 (que continua sendo uma boa personalização), duvido que o voto de confiança seja mantido nos próximos meses.

Obrigado mais uma vez a todos por participarem desta pesquisa e por seus comentários. Não hesite em dizer o que você acha da minha análise e em sugerir novos temas sobre os quais gostaria de ver as respostas da comunidade NextPit.


Texto original

A OnePlus anunciou na quarta-feira (16) que integrará ainda mais seus negócios com a Oppo para fabricar seus celulares. A fabricante garante que permanecerá independente e manterá sua imagem de marca enquanto continua a oferecer seus próprios produtos. Você realmente acredita nisso?

Por mais surpreendente que seja o anúncio desta "aproximação", ela tem causado muita discussão na mídia. A "Oppoficação" gradual da OnePlus não é um fenômeno novo, mas seria bastante curioso ver uma sub-marca ser absorvida por sua marca-mãe. Especialmente quando essa sub-marca começa a competir e a canibalizar o catálogo da matriz.

Mas o que me deixa espantado é toda a linguagem em torno de palavras rebuscadas de cooperação, colaboração que tenta apresentar esta absorção da OnePlus pela Oppo como uma via dupla, recíproca e simétrica.

A independência da OnePlus não passa de uma desculpa?

Autonomia e independência são duas coisas diferentes. Em sua declaração anunciando esta "nova jornada" para a OnePlus, seu CEO Pete Lau (que também dirige a estratégia de produto da Oppo) assegurou que "continuaremos a operar independentemente e nos concentraremos em trazer os melhores produtos e experiências possíveis, como sempre fizemos."

Embora não saibamos realmente o que este negócio implica, Pete Lau explicou que ele poderia ajudar a acelerar a implementação de atualizações de software, por exemplo. Já sabemos que a OnePlus utiliza a infra-estrutura da Oppo para P&D, obtenção de componentes e linhas de produção. O que resta para a "independência" da OnePlus? O processo criativo? O serviço pós-venda?

Você realmente acredita na independência da OnePlus?

OppoPlus: o risco de produtos remarcados

Uma crítica, às vezes exagerada no passado, que há muito tempo é feita à OnePlus: alguns smartphones realmente se parecem demais com modelos Oppo existentes. O mais recente, o OnePlus Nord N100, é uma cópia do Oppo A53.

Por isso, alguns temem que este negócio leve a uma série de celulares Oppo simplesmente rebatizados como OnePlus. Manter a simples imagem de marca é irrelevante, pelo menos para os consumidores. São necessários produtos originais para que a marca continue a existir.

Em uma entrevista que realizei com o chefe da estratégia OnePlus na Europa, ele explicou que os 2 pilares da independência OnePlus da Oppo eram o software, ou seja, o OxygenOS e a comunidade OnePlus.

Mas a parte de software, neste caso o OxygenOS 11, aliou-se a parte da comunidade precisamente porque se afastou do espírito do Android Puro tradicionalmente representado pela OnePlus. A aproximação com a Oppo "para oferecer atualizações mais rápidas" também envolverá uma aproximação entre o OxygenOS e ColorOS?

OnePlus prometeu que seus celulares ainda funcionarão com o OxygenOS no ocidente. Mas na China, a fabricante já abandonou sua própria personalização HydrogenOS em favor do ColorOS.

A OnePlus conseguirá manter sua identidade à parte da Oppo?

A OnePlus deve mesmo continuar a existir?

"Não nos importamos um pouco", você pode muito bem afirmar. E você estaria certo. Afinal, é muito tolo se preocupar com o futuro de uma empresa puramente voltada para o lucro (o que também não é errado).

Por mais que eu seja fã da OnePlus, estou plenamente consciente de que Carl Pei e Pete Lau não acordaram em uma bela manhã em dezembro de 2013 para criar uma marca de smartphone justa e moralizar o mercado, tornando a tecnologia acessível a todos. Não, a principal motivação é e sempre será o dinheiro.

Isto é verdade para uma empresa, mas também para nós consumidores. Deveria eu, um Homo Economicus, movido por meus interesses pessoais, estar ligado a uma marca em particular? Devo ficar comovido com a ideia de ver desaparecer uma empresa cujos produtos e/ou serviços eu apreciava?

Pessoalmente, eu diria que não. Estou apegado à OnePlus mais por conveniência do que por sentimentalismo. Se a OnePlus desaparecesse, eu ficaria aborrecido porque teria que investir em um ecossistema e catálogo de produtos de outra marca com a qual estou menos familiarizado, o que pode sair caro.

Mas depois de alguns meses, vou superar isso. Não tenho um apego emocional a esta marca. E você?

Você se importa com a sobrevivência da OnePlus?

E aqui termina a enquete desta semana sobre a independência da OnePlus em relação à Oppo. Gostaria de agradecer a todos que participaram e deixaram sua opinião nos comentários. Desejo um ótimo fim de semana e nos vemos na segunda-feira para descobrir os resultados e minha análise.

ÚLTIMOS ARTIGOS

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Jairo rios há 1 mês Link para o comentário

    Acredito que em breve a marca One Plus será apenas lembrança, será paulatinamente engolida pela Oppo.