NextPit

Vencedores e perdedores: direito de reparo vs. nomenclatura de celular em 2021

Vencedores e perdedores: direito de reparo vs. nomenclatura de celular em 2021

Nessa semana, a Apple anunciou um passo no chamado direito de reparo para os iPhone 12 e iPhone 13, dando início a uma prática que vem sendo estimulada por governos e ativistas no mundo todo. O fato da empresa ser conhecida pelo protecionismo em cima das suas tecnologias proprietárias faz com que este seja realmente uma das notícias mais marcantes da semana.

E do lado oposto, a escolha do perdedor é um misto de ira jornalística e falta de noção da indústria de eletrônicos: a megalomania presente na nomenclatura dos celulares. Porém, antes de falarmos sobre os vencedores e perdedores da semana, compartilho abaixo cinco destaques da cobertura do NextPit nos últimos dias:

Vencedor da semana: direito de reparo sobre os novos iPhones

Um dos segredos mais bem guardados da humanidade está prestes a ser revelado: o manual de reparo do iPhone!

Brincadeiras a parte, na quarta-feira (17), a Apple anunciou o Self Service Repair, um serviço que permite que quem tem um iPhone 12 ou 13 possa realizar os próprios reparos usando peças e ferramentas genuínas da Apple. O programa será lançado no começo de 2022 nos Estados Unidos, e será expandido para outros países — não revelados — ainda no próximo ano.

Com isso, a gigante de Cupertino pretende oferecer as peças, ferramentas e manuais para que quem possui um iPhone 12 ou um iPhone 13 possa reparar os aparelhos de forma individual. O serviço deve cobrir os reparos mais básicos como conserto da tela, substituição da bateria e até mesmo do módulo da câmera. Mais detalhes sobre o Self Service Repair você encontra no link abaixo:

iPhone: consertos poderão ser feitos pelo próprio dono do celular

Apple Self Service Repair hero 11172021 big.jpg.medium
Programa começará (nos EUA) com acesso a peças e ferramentas para consertar os iPhones 12 e 13  / © Apple

É importante enfatizar, no entanto, que este não é um gesto de generosidade da Apple, mas uma resposta à pressão pública, ações de ativistas e propostas de leis em diferentes países (além dos sempre temidos acionistas). Aliás, o fato da Apple ter mantido por um tempo o controle sobre o recurso FaceID em caso de mudança da tela do iPhone por técnicos não autorizados colocou a empresa do lado do perdedor no nosso editorial da semana passada.

O fato é que, mesmo sem sabermos detalhes sobre os valores cobrados pela Apple em cima das peças de reposição, essa é a primeira vez que a empresa publicará manuais de conserto do iPhone. Para ser ter uma ideia, até hoje, o acesso a peças e manuais genuínos da Apple estava reservado para cerca de 5.000 fornecedores de serviços autorizados da Apple e 2.800 fornecedores de reparos independentes.

A Apple, no entanto, não é a única a oferecer o direito de reparo sobre seus produtos, empresas como a Motorola também dão acesso aos manuais dos celulares para reparo individual. Essa, aliás, é a razão de existir da Fairphone, que pratica o direito de reparo como essência da marca.

Porém, isso não quer dizer que o Self Service Repair da Apple tenha que ser visto como produto menor, pelo contrário, pois é uma grande mudança de paradigma em uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. E é por esse motivo que o serviço de reparo individual dos iPhone 12 e 13 da Apple merece destaque nessa coluna hoje.

Perdedor da semana: a nomenclatura dos smartphones vai nos levar a loucura!

Nesta semana, nós podíamos ter abordado o fato do Google ter que lidar com a falta de estoque dos fones de ouvido Bose 700 oferecidos em conjunto com os novos Pixel 6 e Pixel 6 Pro durante a pré-venda dos modelos na Europa. Afinal de contas, eis a primeira grande gafe da distribuição e planejamento da nova série.

Contudo, o ano está terminando e uma das grandes discussões de Slack do ano no NextPit merece espaço nessa coluna: a falta de noção da nomenclatura de smartphones!

O nosso limite foi atingido com o recente anúncio do Motorola Moto G200 — sucessor do Moto G100 — que é mais potente que todos os Motorola Edge 20, e se tornou o verdadeiro sucessor do Motorola Edge Pro. Por favor, parem as máquinas!

via GIPHY

Aliás, de acordo com o meu estimado colega Rubens Eishima, depois disso é só ladeira abaixo! O Moto G71 5G agora sucede o Moto G60? O Moto G51 5G sucede o G50 lançado há menos de 3 meses? O Moto G41 vai substituir o Moto G40? O Moto G31 substitui o G30?

E perdão, Motorola, mas se essas escolhas foram feitas para competir com a linha Galaxy A, da Samsung, não vai dar certo, pois a numeração já chega "atrasada" em relação à rival. Aliás, neste ponto a Samsung facilitou as coisas ao adotar a nomenclatura atual da linha Galaxy S, que saltou do S10 para o S20, fazendo referência direta ao ano de lançamento da linha...

E não vou nem começar a falar sobre a MediaTek, que passou do Dimensity 1200 para o Dimensity 9000: o que vem depois disso?

E isso é tudo por hoje, pessoal! Desejo um ótimo início de semana para você e que você encontre a oferta que tanto aguarda durante a sexta-feira de Black Friday. Mas antes de me despedir, fica aqui a pergunta: o que você achou das escolhas desta semana? Compartilhe a sua opinião nos comentários deste artigo.

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

ÚLTIMOS ARTIGOS

Artigos recomendados

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Penskemen há 1 semana Link para o comentário

    Essa benevolência da Apple em permitir que proprietários possam reparar telas "como principal atrativo" não irá sair barato... Quem conhece o procedimento sabe da complexidade em remover o display, e do uso de máquina a laser para remover a tela de vidro. Não é serviço para leigos. Sob meu prisma essa decisão abre um precedente (preocupante) para atuação de assistências técnicos independentes, que terão acesso ao ferramental exclusivo da Apple para realizar manutenção nos aparelhos. Essa decisão causará uma rebelião por parte da rede oficial de assistências da Apple (que poderá ser judicializada), nas quais a rede oficial teve que cumprir muitas exigências para fazer parte da rede oficial da Apple. E essas "assistências paralelas" vão competir com as oficiais, usando o mesmo ferramental. Essa estória ainda terá desdobramentos...🤔