NextPit

Xiaomi teria iniciado produção em massa de carregador de 100W

Xiaomi teria iniciado produção em massa de carregador de 100W

A Xiaomi segue na corrida para tornar viável seu carregador de alta potência, com capacidade de 100W. Segundo fontes da China, a empresa já teria iniciado a produção em massa do carregador que pode equipar o próximo topo de linha da marca, o Mi Mix 4.

O carregador Super Turbo da Xiaomi foi apresentado em 2019, e ganhou até um vídeo com aplicações técnicas e comparando a tecnologia com propostas semelhantes de concorrentes. O acessório seria capaz de carregar uma bateria de 4.000 mAh em aproximadamente 17 minutos.

O que muda agora é que a Xiaomi havia pausado o desenvolvimento desse carregador por questões técnicas, uma vez que a fabricante alegou que não haviam baterias compatíveis com essa tecnologia no mercado. Agora, com a produção em massa dos carregadores com 125W e 120W de suas principais concorrentes iniciada na China, Vivo, OnePlus e Realme, a Mi se viu obrigada a começar a fabricar seu carregador de 100W.

O vídeo abaixo, divulgado no ano passado pela própria Xiaomi, mostra a performance do carregador Super Charge Turbo de 100W em um smartphone de 4.000 mAh:

 

Fonte: Weibo

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

2 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Jairo rios 14/07/2020 Link para o comentário

    E a vida útil da bateria diminuirá em quanto com este tipo de carregamento?


    • Felipe de Carvalho 15/07/2020 Link para o comentário

      Não creio que exista essa "certeza" da redução da vida útil da bateria, pode acontecer, mas não é certeza assim. Essa tecnologia de íon de lítio já se comprovou extremamente durável e versátil desde quando começou a ser amplamente utilizada em smartphones.

      Já vi alguns testes em aparelhos que apresentaram redução de autonomia com o passar do tempo, e na grande maioria dos casos o problemas são de software, não hardware, como era antigamente.

      O que certamente deverá receber grande atenção é com relação ao aumento de temperatura, mas se até eu que não entendo nada penso nisso, tenho certeza que os engenheiros responsáveis também vão pensar a respeito.