Review Moto G Pro: um Galaxy Note com preço menor?

Review Moto G Pro: um Galaxy Note com preço menor?

Com o Moto G Pro, a Motorola ousa mais uma vez se aventurar em um conceito não convencional para smartphones intermediários. O Moto G7 Power, com sua bateria de 5.000 miliamperes, já provou que pensar fora da caixa tem funcionado muito bem para eles até agora. 

A marca ousou integrar uma caneta stylus que pode ser armazenada dentro do Moto G Pro. A série Galaxy Note da Samsung, tida pela própria marca como uma linha emblemática, é considerada o padrão no que diz respeito a smartphones semelhantes. Mas será que esta ideia funciona a um preço mais acessível?

Avaliação

Prós

  • Bom processador;
  • Excelentes alto-falantes;
  • Android One oferece garantia de atualização a longo prazo.

Contras

  • A caneta stylus não desenvolve todo o seu potencial;
  • Desempenho bastante lento;
  • Desempenho decepcionante da câmera.

Para quem é o Moto G Pro?

Os Smartphones com uma caneta stylus integrada são adequados para quem não consegue usar o touchscreen com muita coordenação motora mas, mesmo assim, gosta de salvar notas manuscritas em seus smartphones. Ele também é ótimo para quem quer expressar sua criatividade com rabiscos enquanto um está em movimento.

Tudo isto é certamente possível com o Moto G Pro, embora o aparelho ofereça muito menos potência do que a mais recente linha Galaxy Note 20. Você não precisa procurar um laptop ou um computador se tem um Moto G Pro. Por outro lado, em comparação com o mais recente e na nossa opinião, controverso modelo Galaxy Note, ele é muito mais acessível.

Isto porque, atualmente, o modelo sai das lojas europeias pouco menos de € 270 (US$ 323), embora tenha um preço de mercado de €330 (US$394). Ele pode ser aquirido em lojas online em apenas uma versão colorida - Mystic Indigo.

O que eu gosto no Moto G Pro...

Design e acabamento

O Moto G Pro não tenta encantar com um vidro traseiro ou com um display curvo. No entanto, o modelo foi bastante convincente na revisão, principalmente devido ao seu formato, relativamente espesso por causa da caneta stylus.

O aparelho fica bem na mão, especialmente quando é colocado no estojo de plástico transparente que o acompanha. Aderente e pesando cerca de 100 gramas, ele transmite uma impressão de alta qualidade.

NextPit Motorola Moto G Pro back
O Moto G Pro causa uma impressão de alta qualidade. / © NextPit

Como é típico dos smartphones Motorola, o dedo indicador direito será sempre capaz de encontrar espaço no logo da marca, na parte de trás. Dentro dele é possível encontrar um sensor de impressão digital integrado, mas também é possível acessar a barra de notificação deslizando a tela para baixo. O nível de precisão e a velocidade de operação do acesso biométrico são bons, mas não são excelentes.

Outro detalhe agradável é o botão de liga/desliga gravada no lado direito. Quanto mais tempo usando o Moto G Pro, mais inteligente é a integração de funções que dão a impressão de maior rapidez. Isto também inclui os pequenos atalhos no sistema operacional, sem as quais os fãs da Motorola dificilmente conseguem imaginar viver.

NextPit Motorola Moto G Pro front camera
Um furo dedicado para a câmera frontal. / © NextPit

O sistema operacional

A lanterna do Moto G Pro é ativada ao girar o aparelho duas vezes, o que vem a calhar quando você quer entrar em casa no escuro, por exemplo. No entanto, mesmo para quem nunca vai precisar deste recurso, o sistema operativo do Moto G Pro funciona muito bem.

Isto porque a Motorola assegurou que o Android One fosse instalado neste smartphone, o que oferece uma experiência surpreendentemente próxima da "stock version" do Android, que é o mesmo dos smartphones Pixel do Google.

Sem muito bloatware e com uma garantia de atualização de pelo menos dois anos, o Android One funciona muito bem como um sistema operacional móvel. A Motorola também garantiu que a próxima versão do sistema operacional, o Android 11, chegará ao smartphone. As atualizações de segurança também são garantidas por três anos com o Android One. Em termos de software, o Motorola Moto G Pro garante longevidade, talvez até mais do que um dispositivo Samsung topo de linha.

Alto-falantes

Com alto-falantes estéreo muito potentes, sendo que um direciona o som no topo - onde posicionamos as orelhas ao falar no celular -, o Moto G Pro surpreende. O desempenho do sistema de áudio é suficientemente bom para vídeos do YouTube, ou até para ouvir música no dia a dia. O som é limpo e livre de interferências, mesmo quando está no volume máximo. 

NextPit Motorola Moto G Pro usb
Alto-falantes potentes por um preço baixo / © NextPit

Para além da certificação Dolby, a aplicação pré-instalada "Moto Audio" é particularmente impressionante, pois otimiza o som sempre que os alto-falantes estão em ação. Usando o link na barra de notificação, é possível escolher entre cinco níveis predefinidos ou personalizá-los, selecionando cada uma das opções.

Já, se você quiser ter uma experiência de áudio ainda mais precisa, vale usar o equalizador das configurações de som personalizadas. Na prática, os seus ajustes têm um impacto real na qualidade do som e as predefinições são muito úteis. O Moto Audio também otimiza o som dos fones de ouvido ou de caixas de som, que pode ser conectadas através da entrada de áudio de 3,5 milímetros ou do Bluetooth.

O display

Com o Moto G Pro, a Motorola prova que nem sempre é necessário um display OLED para os smartphones. A marca conta com a tecnologia IPS, que é suficiente para o uso diário em termos de nitidez e reprodução de cores. Os contrastes e a câmera frontal discreta também atraíram atenção positiva.

Assim como no Xiaomi Note 9 Pro, foi possível notar um pequeno reflexo ao redor da câmera na tela. Os níveis de brilho da tela de 6,4 polegadas deixam um pouco a desejar, especialmente quando o smartphone é usado em áreas externas - se você usar o sistema no modo noturno, não será capaz de ver muito.

O que eu não gosto no Moto G Pro...

A caneta stylus

Infelizmente, o que poderia ter sido a característica mais interessante do Moto G Pro (teoricamente) não é muito convincente na vida real. Isto porque é impossível para o Moto G Pro reconhecer que a caneta está a apenas alguns milímetros acima da superfície do display - algo que a Samsung S-Pen faz muito bem.

Além disso, a ponta da stylus da Motorola é mais larga e plana do que outros modelos, como o Apple Pencil. Existe também um atraso no que diz respeito aos rabiscos, e ele é bastante perceptível no Moto G Pro.

NextPit Motorola Moto G Pro pen out
Como a Motorola realiza a sua visão de uma S-Pen. / © NextPit

O menu que aparece automaticamente quando a caneta é puxada, no entanto, é muito prático. Você pode usá-lo para acessar o aplicativo de notas da Motorola, que é capaz de distinguir entre o toque dos dedos e da caneta, bem como diferentes níveis de pressão.

Outros aplicativos - como o bloco de notas do Android - não notam qualquer diferença entre o dedo e a caneta. Sem o reconhecimento adequado, é necessário tomar cuidado para não encostar a palma da mão na tela, o que significa que usar a stylus nesses modelos a longo prazo pode ser uma experiência bastante cansativa.

NextPit Motorola Moto G Pro pen
A caneta é encaixada na parte inferior do smartphone / © NextPit

Por exemplo, se você usar o reconhecimento de caligrafia encontrado no teclado pré-instalado do Google, sua mão deve permanecer sempre no ar. Para escrever a frase de teste "Com este texto, vou descobrir se consigo escrever mais rápido com uma caneta ou com o teclado do Moto G Pro", precisei de cerca de um minuto e meio com a stylus - e mesmo assim cometi alguns erros. Usando o teclado virtual, demorei apenas 25 segundos.

A caneta em si é feita de aproximadamente três quartos de metal e depois se funde com plástico escuro, o que a torna parecida com a caneta do LG Stylus 2. Esta característica permite identificar se a caneta está encaixada com segurança no smartphone - além, é claro, do "click" que ela faz.

Além disso, o Moto G Pro registra a localização e a hora em que o stylus foi puxado pela última vez. Assim, caso ela seja perdida, você vai saber exatamente onde começar a procurar. 

O desempenho

Embora o Android One assegure que a qualidade não vai se perder a longo prazo, o Moto G Pro tem às vezes um desempenho bastante lento, com um tempo de carregamento que pode realmente irritar no dia a dia. O Snapdragon 665-SoC incorporado não é de todo fraco, já que permite rodar Call of Duty: Mobile com excelentes gráficos.

Assim como o Oppo A91, ele ajuda um pouco a acelerar as animações do sistema operacional nas opções do desenvolvedor ou permite desligá-las completamente. Fazendo isso, tudo pode funcionar um pouco mais rápido, e tornar os níveis de desempenho aceitáveis para um modelo intermediário.

Com 4 GB de RAM, usar o Google Chrome com o Google Photos ao mesmo tempo ainda acaba sendo estúpido. O Moto G Pro não permite fazer várias coisas ao mesmo tempo - o que pode ser ruim, já que a "praticidade" da caneta stylus visa oferecer justamente isso.

A bateria conta com cerca de 4.000 mAh e dura bastante tempo. Na revisão prática, tivemos que carregar o smartphone após dois dias de uso e usamos a função de carga rápida - bastante lenta - do smartphone, já que a fonte de alimentação tem uma potência de apenas 15 watts. Depois de conectado na tomada, o Moto G Pro levou cerca de 1h30 para ser carregado. 

A câmera

Embora o sistema operacional do Moto G Pro seja muito bom, a câmera decepciona. Suas funções inúteis - como a possibilidade de mudar o fundo das imagens - piorou sua qualidade. Além disso, a opção de recorte é fraca e o retoque da imagem também.

Mit Sonderfunktionen wie einem Austausch des Hintergrundes bei Portratfotos mullt Motorola seine Kamera App zu
Com funções especiais como a mudança de fundo para fotos de retrato, a Motorola inchou a câmera. / © NextPit

O aplicativo da câmera também não é muito intuitivo, pois suas funções especiais estão sempre incluídas na seleção principal para o modo vídeo, retrato e foto, o que a torna confusa.

Sua resolução é igualmente complicada. O modelo oferece cerca de "12 MP (recomendado) e 48 MP/Quad Pixel", mas no final as imagens têm todas uma resolução de 12 megapixels e, aparentemente, é possível adicionar mais quatro pixels do sensor (por isso o "quad pixel" e a confusão).

No geral, as imagens do Moto G Pro são boas, mas não surpreender ninguém. Além do sensor principal com seus supostos 48 megapixels, há também um sensor de profundidade e uma câmera ultra-angular localizada na parte de trás do aparelho. A quarta "lente" na parte de trás é um laser autofocus que, em teoria, não traz nenhuma vantagem perceptível no uso real.

Zoom 2 Kurz und knapp von der Zoomfunktion der Kamera sollte man bei jeder Stufe die Finger lassen. Hier scharft das Handy die Bilder viel zu stark digital nach
Zoom 2 / © NextPit

Mais imagens de teste da câmera do Moto G Pro podem ser encontradas na pasta do Google Drive.

O aplicativo da câmera também inclui uma função chamada "Action Cam". Esta função foi introduzida pela primeira vez pela Motorola na Ação Moto One, onde o smartphone captura fotos horizontais usando a câmera principal, mesmo quando o telefone é posicionado na vertical.

Os vídeos deveriam ser muito bem estabilizados, mas na vida real não é o que acontece. A parte boa é que a câmera de ação gera imagens Full HD a 60 fotogramas por segundo. No entanto, a qualidade 4K é reservada para a função de vídeo normal.

Veredito Final

Para os fãs da caneta stylus, o Moto G Pro é um bom modelo intermediário. No entanto, se você já teve a S-Pen da Samsung e busca uma experiência parecida no Moto G Pro, o resultado provavelmente vai te decepcionar, já que ela tem atraso bem maior e não tem nenhuma função especial. 

O modelo apresenta muitas falhas. Estamos chocados com o desempenho extremamente lento apesar de, em teoria, seu hardware ser respeitável. Além disso, a inclusão da stylus faz com que o smartphone pareça grande demais. Ele também não conta com nenhuma certificação IP e, mesmo com os grandes alto-falantes e oAndroid One instalado, não é o melhor modelo da Motorola.

Samsung Galaxy Note 8 é uma boa alternativa a ele - já que tem uma caneta bem melhor, embora seu software seja inferior. Ele pode ser comprado por cerca de €350 (US$ 418).

O Xiaomi Redmi Note 9 Pro também é um modelo a ser considerado, já que oferece uma duração de bateria consideravelmente maior e é um pouco mais barato, apesar de ter um display ainda maior. Com o Stylo 6, a LG também apresentou um bom modelo de smartphone intermediário nos EUA. Mais smartphones que custam menos de 300 dólares podem ser encontrados aqui.

ÚLTIMOS ARTIGOS no NextPit

Recomendado pelo NextPit

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.