Review do Realme 8 Pro: bom exercício de equilíbrio

Review do Realme 8 Pro: bom exercício de equilíbrio

O Realme 8 Pro pode ter sido lançado poucos meses após a geração anterior, mas diferentemente de outras fabricantes, neste curto espaço de tempo a Realme trouxe mudanças consideráveis em relação ao Realme 7 Pro. Confira a avaliação completa para saber o que o smartphone traz para o segmento.

 

Avaliação

Prós

  • Bateria generosa
  • Carregador rápido
  • Desempenho competente
  • Acabamento atraente

Contras

  • Taxa de atualização de 60 hz
  • Sem resistência à água
  • Modo de economia automático

Em resumo: melhorias que importam

A ficha técnica do Realme 8 Pro traz as mesmas especificações de SoC e tela do Realme 7 Pro. Por outro lado, o smartphone apresenta uma câmera com sensor de 108 megapixels, acabamento melhorado e design mais fino, sem comprometer a boa capacidade de bateria.

NextPit Realme 8 Pro back
Acabamento do Realme 8 Pro chama a atenção e passa a impressão de ser mais sofisticado do que um plástico convencional / © NextPit

O Realme 8 Pro traz ainda o carregador SuperDart, bem avaliado nos reviews da geração anterior, tudo por um preço sugerido de 279,00 € (cerca de R$ 1.900, em conversão direta), competindo diretamente com campeões de venda como a linha Samsung Galaxy A e Xiaomi Redmi Note.

Os rivais diretos aumentam a responsabilidade em equilibrar a escolha de recursos e componentes, mas a Realme usou bem o curto intervalo entre seus lançamentos para oferecer um pacote competitivo no segmento intermediário, como você confere a seguir.

Tela e acabamento: mais conforto

De frente, o Realme 8 Pro se confunde com seus antecessores, especialmente com o Realme 7 Pro. O smartphone traz as mesmas especificações de tela, com um painel Super AMOLED de 6,4 polegadas, resolução Full HD+ (1080 x 2400 pixels) e taxa de atualização de 60 Hz , além do recorte circular para a câmera de selfie.

O display traz as características esperadas de uma tela OLED, com ótimo nível de contraste e cores vivas. O componente integra ainda um competente leitor de digitais, que oferece detecção rápida, com poucos erros ao longo do período de teste. Ficou de fora, porém, uma alta taxa de atualização, que ofereceria animações mais suaves na tela, e já pode ser encontrada nos últimos lançamentos da concorrência.

NextPit Realme 8 Pro front camera
Tela Super AMOLED de 6,4 polegadas tem características herdadas do Realme 7 Pro / © NextPit

As principais mudanças do Realme 8 Pro se encontram na parte traseira. Apesar de ainda utilizar plástico em sua construção, o celular traz um acabamento mais sofisticado, com uma textura atraente — e um pouco mais discreta que nas fotos — que ajuda na pegada do aparelho, confortável de usar mesmo com a capa de proteção incluída na embalagem. Neste ponto, ajuda também o fato do Realme 8 Pro ser levemente mais fino que seu antecessor, com 0,6 mm a menos de espessura.

Câmera: centro das atenções

Outra grande novidade do Realme 8 Pro também se encontra na parte traseira do smartphone: o novo módulo de câmera. O conjunto fotográfico ganhou um módulo que chama a atenção à primeira vista, destacando os quatro sensores: macro e profundidade com 2 MP, ultrawide com 8 MP e os 108 megapixels da câmera principal.

2021 03 29 Realme 8 Pro Picture wide
Modo padrão com HDR ativado oferece um resultado agradável / © NextPit

Assim como no modelo anterior, a Realme priorizou modos de fotografia voltados para a chamada “geração Z”, deixando de fora a lente teleobjetiva em favor dos recursos oferecidos pelo conjunto dos sensores de profundidade e alta resolução .

Como as fabricantes costumam fazer com o sensor Samsung ISOCELL HM2, os 108 megapixels são combinados em grupos de 9 para formar uma imagem final de 12 MP (técnica conhecida como pixel binning). É possível tirar fotos em resolução nativa do componente, mas o resultado é um arquivo pesado, sem uma boa definição de imagem.

2021 03 29 Realme 8 Pro Picture zoom 3x 5x
Zoom de 5x (dir.) já mostra uma perda de nitidez ao ser vista em tamanho real / © NextPit

Já as fotos na resolução padrão de 12 megapixels trazem um bom nível de reprodução de cores e nitidez, com resultados satisfatórios até o zoom de 3x — não por acaso o ponto em que a câmera não precisa recortar e esticar a imagem captada pelo sensor.

A câmera ultrawide gerou fotos à primeira vista mais atraentes e chamativas — é assim que prefere a geração Instagram/TikTok? — com cores artificialmente mais saturadas e pouca distorção. Porém, ao analisar as imagens em uma tela grande, é possível notar uma forte aberração cromática — quando as bordas dos objetos apresentam uma variação de cores.

2021 03 29 Realme 8 Pro Picture ultrawide crop
Bordas roxas e verdes em fotos ultrawide não são de um efeito “logotipo TikTok” / © NextPit

O modo noturno resultou em imagens agradáveis, controlando bem a diferença entre os pontos mais escuros e as fontes de luz das cenas, só não espere usar o zoom, que mesmo nas ampliações mínimas transforma a foto em um ensopado de pixels.

No caso das selfies, apesar de não ser um especialista no recurso, o resultado foi bom na minha opinião. O modo retrato funcionou como esperado, com uma boa separação de planos para aplicação do desfoque.

Antes mesmo do lançamento do Realme 8 Pro, a fabricante já tinha adiantado que um dos destaques do aparelho para o público jovem são os efeitos de câmera. Um dos principais é o modo tilt-shift — disponível nos ajustes do modo foto ou, no caso dos vídeos, dentro do modo “Intervalo de tempo” (time-lapse).

O recurso aplica um efeito de miniatura, mas que na orientação paisagem (horizontal) precisa ser ajustado manualmente com os dedos para desfocar o topo e o rodapé da imagem. O resultado pode ser visto no vídeo abaixo:

Nota: a edição para estabilizar e recortar a gravação original resultou em uma pequena perda de qualidade.

Desempenho: sem surpresas (exceto uma)

Por trazer o mesmo processador Snapdragon 720G de seus dois antecessores, o Realme 8 Pro não traz surpresas no quesito performance. O chip ainda é uma das opções mais rápidas entre os SoCs 4G — sem considerar chips topo de linha antigos — e oferece desempenho suficiente para o dia a dia e até jogos.

Benchmarks do Realme 8 Pro

Média de cinco testes, com cerca de 5 minutos de intervalo entre as execuções
  Realme 8 Pro (720G) Realme 7 Pro (720G) OnePlus Nord (765G)
3D Mark Sling Shot Extreme ES 3.1 2.585 2.523 3.219
3D Mark Sling Shot Extreme Vulkan 2.443 2.368 3.002
3D Mark Sling Shot ES 3.0 3.671 3.551 4.425
Geekbench 5 (single/multi) 568 / 1.685 575 / 1.784 605 / 1.936
PassMark RAM 19.799 20.637 21.799
PassMark armazenamento 38.683 42.774 64.489

Como já tinha adiantado no hands on, o Realme 8 Pro não mostrou sinais de superaquecimento, nem grandes variações entre cada rodada dos benchmarks. A exceção foi um comportamento padrão do sistema que não me agradou mas compreendo.

Explico, ao atingir 10% de carga, o Realme 8 Pro exibe uma notificação de sistema avisando do baixo nível de bateria, sugerindo a ativação do modo de economia. Apesar disso, mesmo sem ligar a opção, o smartphone reduz o desempenho automaticamente, o que refletiu em resultados inferiores nos benchmarks, e mais importante, em uma queda de desempenho nos games — no Real Racing 3, os 60 fps caíram para cerca de 20 fps, por exemplo.

NextPit Realme 8 Pro side
Realme conseguiu reduzir a espessura mantendo a mesma capacidade de 4.500 mAh do Realme 7 Pro / © NextPit

O funcionamento se explica por estender a autonomia de uso da carga restante, mas a skin Realme UI poderia comunicar melhor o que está acontecendo. Ligar o smartphone na tomada não retorna ao nível de desempenho esperado, o que só acontece ao atingir 11% de nível de carga (o salto de fluidez no game foi claramente percebido durante o teste).

Bateria: para usar sem se preocupar

Com os mesmos 4.500 mAh de capacidade e o sistema de recarga SuperDart de 50W da geração passada, o Realme 8 Pro mantém o bom desempenho em autonomia de uso do Realme 7 Pro.

Com uso moderado — videoconferências diárias do trabalho, meia hora de jogos, navegação e streaming ocasionais e mensagens para amigos e parentes —, o smartphone chegava ao final de dois dias com uma média de 25% de carga. Tudo isso sem nem tocar o modo de economia de energia.

NextPit Realme 8 Pro usb
Para quem está acostumado com potências menores, carregamento a 50 W muda a relação com o smartphone / © NextPit

A inclusão do carregador SuperDart — com potência máxima de 65 W (10V / 6,5 A) — permite usar o Realme 8 Pro de maneira despreocupada , mesmo com a “limitação” de 50 W do celular. Como adiantei no hands on, 5 minutos na tomada foram suficientes para 15% de carga, sendo que meia carga levou apenas 20 minutos, sem nenhum sinal de aquecimento anormal.

Os tempos para uma recarga completa no teste foram de aproximadamente uma hora, não muito longe dos 47 minutos anunciados pela Realme. A combinação da boa autonomia com a velocidade de recarga acaba com qualquer ansiedade no uso diário, mas vale ressaltar que o carregador SuperDart não é exatamente compacto — com dimensões máximas de cerca de 3 x 5,5 x 9,5 centímetros. Ah, e o modelo não é compatível com recarga sem fio.

Informações adicionais

Vou listar abaixo outros pontos que podem interessar à comunidade NextPit, e podem ser resumidos em poucas palavras:

  • O Realme 8 Pro não traz alto-falantes estéreo;
  • O NFC é compatível com sistemas de pagamentos (e funcionou bem);
  • A entrada para fone de ouvido segue firme e forte (ainda bem!);
  • A embalagem do aparelho testado incluiu o carregador SuperDart, o cabo de recarga, a ferramenta de abertura da bandeja SIM e uma capa de proteção;
  • O Realme 8 Pro testado permitia usar dois chips de operadora junto com um cartão microSD;
  • A versão de software durante o teste foi a RMX3081_11_1.24.

Realme 8 Pro – Especificações Técnicas

Dimensões: 160,6 x 73,9 x 8,1 mm
Peso: 176 g
Tamanho da bateria: 4500 mAh
Tamanho da tela: 6,4 polegadas
Tecnologia da tela: AMOLED
Tela: 2400 x 1080 pixels (411 ppi)
Câmera frontal 16 megapixels
Câmera traseira 108 megapixels
Flash: LED
Versão do Android: 11 - R
RAM: 6 GB
8 GB
Memória interna: 128 GB
Memória removível: microSD
Número de núcleos: 8
Velocidade máx. 2,3 GHz
Conectividade HSPA, LTE, NFC, Dual-SIM , Bluetooth

Veredito Final

As boas impressões iniciais passadas pelo Realme 8 Pro se confirmaram ao longo da semana de testes, com um funcionamento estável e bom desempenho para todo o tipo de tarefas. Apenas a curiosa limitação de desempenho ao atingir menos de 10% de carga incomodou um pouco, mas a opção é compreensível, priorizando o tempo de autonomia.

A personalização Realme UI se mostrou leve em conjunto com o SoC Snapdragon 720G, com desempenho rápido na troca de aplicativos, seleção e aplicação de efeitos na câmera, compartilhamento de fotos em apps de mensagens e redes sociais, e até mesmo ao rodar alguns games.

NextPit Realme 8 Pro camera
Visual da câmera mostra onde a Realme mais investiu no novo modelo / © NextPit

As características que ficaram de fora do Realme 8 Pro — alta taxa de atualização, proteção contra água e lente teleobjetiva — podem ser entendidos dentro do delicado equilíbrio entre recursos e custo. Mas alguns podem ser encontrados na concorrência, vale destacar.

A Realme se concentrou em trazer os recursos buscados pelo público jovem, com um acabamento atraente para a traseira de plástico e, claro, o conjunto de câmera aprimorado. Apesar dos 108 megapixels não representarem um salto considerável em relação aos 64 MP do Realme 7 Pro, os novos recursos incluídos no app de câmera oferecem mais opções criativas para os usuários domésticos.

Some a isso a boa autonomia da bateria e o carregador SuperDart, e temos um smartphone que pode não agradar aos obcecados por fichas técnicas (o que nós editores do NextPit costumamos ser...), mas que tem tudo para atender às necessidades da tão comentada “geração Z”.

Qual nota você dá para o Realme 8 Pro?

Para o mercado brasileiro, resta saber se o Realme 8 Pro chegará ao país. Procurada pelo NextPit, a representante da marca no Brasil respondeu que “terá novidades em breve” e pediu para acompanhá-la nas redes sociais. Considerando o aumento geral no preço de lançamento dos smartphones, caso a Realme consiga manter um valor próximo ao pedido no Realme 7 Pro, quem sabe não seja uma boa alternativa à dupla Samsung Galaxy A72 e Redmi Note 10.

ÚLTIMOS ARTIGOS

6 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Depois que você se acostumar a usar tela de 1440x2960, tela de 1080 parece uma m.


  • Eu elogiei bastante a Realme no 7 Pro, mas a empresa não melhorou na linha 8. Poderia ter colocado um Snapdragon 750G, mantido o som estéreo. Está imitando a Samsung e Motorola colocando algumas funções e tirando outras. Pecou feio nisso.

    Até já comentei, atualmente está complicado escolher smartphone equilibrado, pois sempre falta algo.

    No mais, tem uma interface muito leve e a bateria realmente dura, mas faltam melhoramentos. A Realme chegou fazendo barulho, mas é desconhecida do grande público, por isso, deveria continuar sendo ousada.

    Mas é aquela frase, não existe almoço grátis.


  • Sinceramente eu não vejo motivo para tele acima de 60Hz com um processador intermediário. Aparelho parece ser bem equilibrado.


  • Só não curti muito o DARE TO LEAP na traseira do aparelho... Achei muito chamativo. Fora isso é um aparelho muito bom, uma ótima alternativa aos Redmi pra importar.


  • Me parece ser mais uma boa opção de intermediário, gostei da proposta.

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.