Review do Samsung Galaxy A32 5G: um intermediário para uso prolongado

Review do Samsung Galaxy A32 5G: um intermediário para uso prolongado

No papel, o Samsung Galaxy A32 5G não é o smartphone mais inovador que você vai encontrar por aí, mas isso não significa que não seja uma boa opção. O dispositivo custa R$ 2.699,00 e entre as suas vantagens temos suporte para a rede 5G e atualizações do sistema garantidas por até três anos. Mas será que com todas as características, o Galaxy A32 5G é realmente um dispositivo para permanecer com você pelos próximos dois anos?

Avaliação

Prós

  • A experiência com a tela surpreende
  • Três anos de atualizações do sistema operacional
  • Quatro anos de atualizações de segurança
  • Entrada para fone de ouvido
  • Autonomia da bateria

Contras

  • Design minimalista até demais
  • Qualidade da câmera inconsistente

Samsung Galaxy A32 5G direto ao ponto

O Samsung Galaxy A32 5G se resume a um smartphone com mais pontos positivos do que negativos. A autonomia da bateria e o suporte para as atualizações do sistema oferecem uma boa perspectiva para quem procura um aparelho para usar por um período mais longo. Apesar de uma tela com especificações extremamente básicas no papel, a experiência com o consumo de mídias é surpreendentemente boa.

Além disso, o processador que embala este dispositivo é padrão da categoria, mas oferece algo extra: suporte para rede 5G. Só isso já coloca o Galaxy A32 a frente de boa parte dos concorrentes no país e faz dele um lançamento digno do ano de 2021.

Contudo, apesar do sistema de câmeras quádruplo, não se engane, a qualidade das imagens será mediana, especialmente nas capturas noturnas.

Design minimalista até demais

Em primeiro lugar, vamos deixar claro que design é algo subjetivo, ou seja, aquilo que eu gosto pode não atrair você e vice-versa. A Samsung define o design do Galaxy A32 como "minimalista", no entanto, me parece mais uma desculpa para justificar a falta de esforço. Não me leve a mal, o A32 não é um dispositivo feio ou mal-acabado, é apenas óbvio demais.

Em resumo, eu gostei:

  • Posicionamento do sensor de impressão digital;
  • Entrada para fones de ouvido.

Em resumo, eu não gostei:

  • Dimensões e peso massivo;
  • Módulo da câmera exposto.
NextPit Samsung Galaxy A32 side
O Galaxy A32 5G me lembrou do design dos Xperia, da Sony, por conta do uso do sensor de impressão digital na lateral / © NextPit

Sempre fui uma grande fã do design dos smartphones Xperia, da Sony, e o intermediário da Samsung me lembrou muito dos modelos da fabricante japonesa. O fato de adicionar o sensor de impressão digital na lateral, sobre o botão de ligar o aparelho, torna ativar e desativar o aparelho um processo fácil.

E em se tratando de um smartphone mid-range, a fabricante acertou aqui ao manter a entrada para os fones de ouvido. Contudo, este é um smartphone que oferece 5.000 mAh de bateria, logo, é robusto, e a Samsung não fez muita questão de aliviar essa característica suavizando as linhas. O aparelho pesa 205 gramas e você sente isso no momento em que pega o A32 nas mãos.

NextPit Samsung Galaxy A32 usb
O alto-falante do Galaxy A32 é mono, e o aparelho possui porta USB Tipo-C e manteve a entrada para fones de ouvido / © NextPit

Agora, uma coisa que a Samsung faz muito bem aqui é enganar os olhos, pois à primeira vista o dispositivo parece construído em vidro, o que dá um certo tom de sofisticação. No entanto, a traseira é de plástico.

De forma geral, o design do Galaxy A32 5G é minimalista até demais. Não sou o tipo de pessoa que indica o uso de cases para smartphone, pois gosto de mostrar as características do desenho dos celulares que utilizo. Contudo, recomenda altamente o uso de uma capinha se você optar por comprar este intermediário da Samsung!

Uma tela que surpreende, mas não é surpreendente

Se teve uma característica que me surpreendeu de fato no Galaxy A32 5G foi a experiência de tela . Temos aqui um display Infinity-V de 6,5 polegadas, com resolução de 1.600 x 720 pixels (HD+) e tecnologia LCD TFT. No papel, nada surpreendente, certo?

Em resumo, eu gostei:

  • Nítido e colorido;
  • Tamanho ideal para consumo de vídeos.

Em resumo, eu não gostei:

  • A taxa de atualização de 60Hz.
NextPit Samsung Galaxy A32 display
Apesar das especificações técnicas do display, me diverti com o A32 5G / © NextPit

Com 6,5 polegadas de diagonal de tela, o Galaxy A32 5G é um aparelho grande, logo, você realmente vai querer usar para consumir mídias. Ao contrário da minha experiência ao testar o Motorola Moto G10, cujas características de tela são as mesmas, as limitações do display não me incomodaram aqui. Imagens nítidas e coloridas, respeitando a naturalidade dos tons.

Com certeza a Samsung poderia ir mais longe aqui, oferecendo suporte para taxa de atualização de 90 Hz, como temos no Motorola Moto G30, por exemplo, mas não fez.

O que mais gostei foi o conjunto da obra neste caso: uma tela que oferece uma boa experiência mesmo com limitações de hardware (afinal, LCD TFT não é LCD IPS), uma bateria com boa autonomia e suporte para rede 5G. Isso me parece a receita perfeita para horas de streaming.

Um processador intermediário, cujo destaque é o 5G

O processador do Galaxy A32 é o MediaTek Dimensity 720, projetado para linhas de entrada e suporte 5G. Apesar deste SoC oferecer pacotes com funcionalidades especiais para garantir que a rede 5G não demande demais da bateria, ou seja, ofereça um consumo de energia eficiente, também é limitado para conseguir manter o celular em uma faixa de preço razoável.

Em relação à memória RAM, temos 4 GB disponíveis e 128 GB para o armazenamento interno. Destes, estão livres para uso 106 GB, o restante é utilizado pelo sistema. Além disso, a Samsung oferece a possibilidade de expandir o armazenamento do aparelho em até 1 TB.

Em resumo, eu gostei:

  • Pacote multimídia MiraVision;
  • Android 11 de fábrica com 3 anos de atualizações garantidas;
  • Quatro anos de atualizações de segurança;
  • Suporte para cartão microSD.

Em resumo, eu não gostei:

  • Performance em jogos oferece travamentos constantes.

Em relação ao desempenho, o Galaxy A32 5G entregou uma boa performance, sem engasgos ou lentidões. A única exceção foi na performance em jogos, que sinceramente deixou a desejar. O motivo disso: travamentos constantes a ponto de fechar o aplicativo abruptamente.

Não me considero gamer, mas gosto de ter jogos no celular para passar o tempo. Durante o meu teste com o Galaxy A32 5G, os jogos que mais utilizei foram o Mario Kart Tour e o Asphalt 9, dois aplicativos que deveriam rodar bem com as configurações de hardware do A32 5G, em especial por conta do pacote gaming Hyperengine, da MediaTek. No entanto, conforme os minutos de jogo iam aumentando, chegava sempre um momento em que o aparelho forçava o fechamento do Asphalt 9. E isso é um problema para quem usa o celular para jogos.

Samsung Galaxy A32 5G: benchmark

Geekbench 5.3.2 Single-core Multi-core
Resultado 474 1555

No entanto, o pacote de otimização de imagem oferece uma experiência oposta, como disse, apesar das limitações da tela no papel, o pacote multimídia MiraVision do MediaTek Dimensity 720 consegue fazer uma diferença real aqui. Tanto que a qualidade da tela realmente me chamou a atenção.

Em relação ao software, o aparelho roda com Android 11 direto de fábrica e a versão One UI 3.1 da skin da Samsung. Este dispositivo deve receber três anos de atualizações do sistema operacional e quatro anos de atualizações de segurança, enviadas a cada três meses. Olhando apenas para a questão do software, você terá um aparelho com uma longa vida.

No fim do dia, você terá que colocar na balança o que é mais importante para você: consumo de mídia via streaming ou jogos , pois enquanto o Galaxy A32 5G oferece uma boa experiência no streaming de vídeo e imagem, a entrega é precária em jogos. Mesmo que a Samsung faça uma propaganda em cima do recurso "Game Booster".

A câmera não se destaca no Galaxy A32 5G

A câmera é o calcanhar de Aquiles deste intermediário de entrada da Samsung. Contudo, este é o quesito em que a fabricante corta custos para poder oferecer um preço mais competitivo . O smartphone conta com um sistema de quatro câmeras, sendo um sensor principal de 48 MP, ultra-wide de 8 MP, lente macro de 5 MP e sensor de profundidade de 2 MP. Na parte da frente, temos uma câmera para selfies de 13 MP.

Em resumo, eu gostei:

  • Qualidade de imagem satisfatória durante o dia;
  • Imagens com cores naturais.

Em resumo, eu não gostei:

  • Pouca qualidade nas imagens noturnas, mesmo com modo noturno disponível;
  • Lente macro é gimmick.
NextPit Samsung Galaxy A32 camera
O conjunto de câmeras do Galaxy A32 5G está mais exposto que nos modelos A52 e A72 / © NextPit

A disposição das câmeras do A32 5G é claramente inspirada pelos carros-chefe da Samsung, como o Galaxy S21 e Galaxy S21 Ultra. Mas faltou um pouco de atenção aos detalhes aqui. Diferente dos modelos Galaxy A52 e Galaxy A72, não temos um quadro envolvendo as câmeras, o corte é feito direto na tampa traseira, o que deixa as câmeras expostas. Por isso, mais uma vez, indico usar o celular com uma capinha.

Dito isso, a qualidade das imagens é decente, funciona bem em ambientes com boa luminosidade, respeitando as cores, e é consegue oferecer uma boa experiência em relação ao ângulo de visão, que varia de 80º (grande-angular) para 123º (ultra-grande angular). Ao mudar de uma câmera para outra, não apresenta tanta distorção, o que na minha opinião é bom.

NextPit Samsung Galaxy A32 front camera
A câmera frontal possui 13 MP e está posicionada no centro da tela, no entalhe em forma de gota / © NextPit

O sensor de profundidade de 2 MP é bastante básico, não espere muito. Já a câmera macro é um gimmick, ou seja, é legal ter, pois oferece uma terceira possibilidade, mas não garante qualidade. Em relação ao software, temos aqui opções que aparecem nos smartphones de gama alta da Samsung, com possibilidade de captar imagens ao gravar vídeos, slow-motion e hyperlapse, bem como o famoso modo retrato.

Não espere muito, no entanto, do modo noturo no Galaxy A32 5G, pois é limitado e acaba deixando as imagens bem artificiais, com uma superexposição à luz. Abaixo, você confere uma galeria de imagens captadas com a câmera do Galaxy A32 5G.

Uma bateria que vai te acompanhar durante o dia

A autonomia da bateria do Samsung Galaxy A32 5G é um destaque aqui, mas não chega a ser uma surpresa, pois este celular oferece uma conexão de rede avançada e vai demandar energia do aparelho.  São 5.000 mAh, com até 15 W de carregamento rápido e adaptável.

Em resumo, eu gostei:

  • Autonomia da bateria;
  • Consumo estável.

Em resumo, eu não gostei:

  • Sem opção de carregamento sem fio.

Infelizmente, não consegui testar o dispositivo em um plano de dados com suporte para rede 5G, meu plano de dados oferece suporte para 4G+, ou seja, não chegava às velocidades de download e upload de uma experiência com 5G. Logo, vou ficar devendo este teste de consumo de energia por enquanto.

Nestas condições, o Galaxy A32 5G ofereceu uma ótima autonomia de bateria. Posso afirmar que é possível ter até dois dias de utilização do aparelho sem precisar colocar para carregar, mas isso vai depender do uso que você faz do smartphone. Se precisar carregar, também não será um problema, pois em aproximadamente duas horas você tem uma carga completa. Não é o ideal, mas com uma 1h30 de carregamento você já conta com descentes 70%.

No geral, fiquei muito satisfeita com a autonomia de bateria do Galaxy A32 5G. É claro que por conta da capacidade da bateria, o aparelho é massivo, com dimensões  de 164,2 x 76,1 x 9,1 mm. Mas aqui, mais uma vez, você deverá fazer um balanço entre comodidade e conforto.

Samsung Galaxy A32 5G: ficha técnica

Samsung Galaxy A32 5G

 
  Ficha técnica
Tela 6,5 polegadas / 60 Hz / 1.600 x 720 pixels (HD+)
Processador MediaTek Dimensity 720 (2,0 GHz Octa-Core) com Mali G57 MC3
Memória 4 GB / 128 GB / com slot microSD até 1TB
Sistema Operacional Android 11 / One UI 3.1
Câmera principal 48 MP / abertura f/1,8 / campo de visão de 80°
Ultra grande-angular 8 MP / abertura f/2,2 / campo de visão de 123°
Macro 5 MP / abertura f/2,4 / foco fixo
Sensor de Profundidade 2 MP / abertura f/2,2
Zoom Digital Até 10x
Câmera de selfie 12 MP / abertura f/2,2 / campo de visão de 81°
Resolução de vídeo

UHD 4K (3840 x 2160) @30 fps
Câmera lenta HD @120 fps

Número de Chip Dual-SIM - Nano-SIM (4FF)
Conexão 2G GSM, 3G WCDMA, 4G LTE FDD, 4G LTE TDD, 5G Sub6 FDD, 5G Sub6 TDD
Conectividade Conexão 3,5 mm estéreo (padrão P2) / NFC / Wi-Fi / Bluetooth 5.0 / GPS, Glonass, Beidou, Galileo
Bateria 5.000 mAh / Carregador rápido 15 W
Cores Preto e Violeta
Preço R$ 2.699,00

O Samsung Galaxy A32 5G é bom?

Como apontado logo no início deste review do Samsung Galaxy A32 5G, este é um smartphone com mais acertos do que erros. Contudo, se para você uma experiência gamer é realmente importante, sugiro considerar um modelo mais poderoso da série Galaxy A, ou mesmo um aparelho dedicado para jogos. Agora, se você utiliza o celular para navegar na internet, gerenciar suas redes sociais e consumir streaming de vídeo e música, o Galaxy A32 5G pode ser uma boa opção.

Se você está procurando um aparelho com uma câmera de boa qualidade, o A32 5G pode não ser a melhor opção, pois a câmera aqui, apesar de trazer um sistema quádruplo, capta imagens com qualidade mediana. Sim, você vai poder usar as imagens nas redes sociais e contar com funções e modos de câmera modernos, mas não espere muito mais do que uma experiência satisfatória.

O suporte para rede 5G não pode ser usado em sua plenitude no país ainda, mas as operadoras já oferecem planos com velocidades superiores às do 4G e, neste sentido, o Galaxy A32 5G já pode entregar uma experiência melhor do que muitos smartphones da categoria. Contudo, se você não pretende ampliar seu plano de dados para suporte à rede 5G, o novo Galaxy A52 pode ser uma opção melhor.

Quantas estrelas você daria para o Samsung Galaxy A32 5G?

E aí, o que você acha da linha Galaxy A da Samsung? Você pensa que já vale a pena investir em um smartphone com suporte para 5G no Brasil? Compartilhe a sua opinião com a nossa comunidade nos comentários abaixo.

ÚLTIMOS ARTIGOS

6 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Bom é completo review , quando chegar a uns 1.7 K passa a ser uma opção interessante de compras , parece ser um intermediário razoável.


  • Parabéns Camila pelo review. Sem dúvida a Samsung se perde no meio de tantos aparelhos. Ela poderia fazer um aparelho menor, mais leve e também como de costume erra no preço abusivo. Eu mesmo já cansei de enviar feedbacks a eles para melhorar isso, mas o intuito da empresa é apenas vender.

    De vez em quando até acertam como na linha A52 , que enfim melhorou bastante, mas ainda peca no preço. A sorte é saber que o preço cai com o tempo. Mas sem dúvida, esse modelo pelo conjunto da obra não acho interessante.

    Da linha A, sem dúvida, o A52 5G quando estiver abaixo dos 2 mil, será muito bom pelo conjunto da obra, como som estéreo, IP67, Amoled, Snapdragon, o qual sou fã, pois lembro do velho e bom Lumia 730 com esse processador, salvo engano era o Snapdragon 400. A bateria durava muito no Windows 10 Mobile.


  • Camila quero endossar sua opinião sobre a linha Xperia da Sony; aqui no Brasil nós tínhamos uma obra prima nas mãos, mas poucos enxergaram isso, ocasionando sua saída do nosso pais. A linha Xperia era uma primazia de construção, de componentes, e um software muito bem acertado com ótimos recursos. Já em relação a Samsung ai... ai... Ela "já foi uma boa marca de celular" mas hoje em dia tem se tornado alvo de centenas de reclamações no site reclame aqui, com queixas de display que param de funcionar (tela da morte), entre outros defeitos. Então diria o seguinte, se não quiser ter dor de cabeça, fuja da Samsung com seus novos modelos.


    • Até o apoio à comunidade tinha por parte da Sony Global naquela época, com envio dos aparelhos pros desenvolvedores do FreeXperia, disponibilização mais pontual de códigos-fonte...

      Na minha opinião, o problema da Sony no Brasil foi achar que valia mais que a Apple, com margens maiores, e preços irreais. Enquanto as outras fabricantes na época lançavam modelos em R$ por 7x o valor em dólares nos EUA, a Sony multiplicava por 10x.

      Exemplo perfeito foi o PS4 por R$ 4.000, mais caro no Brasil que o Xbox 3 - que por sua vez era 25% mais caro nos Estados Unidos...


      • Olá Rubens, eu atuo na área de Broadcasting e posso afirmar com experiência e conhecimento, de cada 10 empresas na área de comunicação 9 equipam seus estúdios com câmeras da Sony, Os nipônicos são a "cereja do bolo" nesse setor, e eles por saberem disso cobram muito caro por oferecer produtos com requintado grau de projeto, desenvolvimento, e construção. Hoje se fosse traçar um paralelo com sua linha de Smartphones (com letra maiúscula), diria que a Sony oferece a "quem se dispõe a pagar" produtos de 1a linha, e todas as demais marcas podem ser enquadradas na 2a linha (marcas made in China). Note no caso da Asus (marca da Coreia), ela usa as lentes e sensores da Sony nas suas câmeras. E outras marcas que querem ter a mesma qualidade, fazem o mesmo. Em suma o nome SONY "cobra por toda tecnologia incorporada nos seus produtos" O Brasil perdeu e perdeu muito com a saída da Sony, lamentável !


      • Concordo totalmente, mas no caso de bens de consumo, a realidade é outra na minha opinião.

        Eu mesmo tive um Xperia naquela época, e ainda uso uma Sony NEX (e antes disso Trinitrons que ainda funcionam, BD-players, receiver de AV...).

        O problema é que no Brasil a Sony.br cobrava ainda mais caro relativamente à concorrência, por isso usei o caso do XBox e PS4 no país.
        Enquanto nos EUA (e Europa, e Japão) o PS4 era mais barato que o Xbox One (ou 3), a Sony Brasil inverteu a diferença.
        ... tudo bem que todo mundo já sabia que o PS4 ia vencer o Xbox, independentemente do preço... :p

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.