Idec se contrapõe à nova política de privacidade do WhatsApp no Brasil

Idec se contrapõe à nova política de privacidade do WhatsApp no Brasil

2021 já começou com uma polêmica para o WhatsApp. Após as mudanças na política de privacidade do aplicativo de mensagens - que permitem agora o compartilhamento de informações com empresas parceiras do Facebook, o aplicativo recebeu críticas de usuários na web.

Quem também não gostou nada dessa mudança foi o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), que não aceita o fato de o aplicativo não permitir que seus usuários controlem os dados que serão compartilhados. O órgão de defesa do consumidor já sinalizou que pretende analisar a situação cuidadosamente dentro dos próximos dias.

As mudanças na política de privacidade do WhatsApp serão implementadas para todos os usuários a partir de fevereiro deste ano. No entanto, desde já alguma pessoas estão recebendo um aviso sobre tal alteração, que recomenda uma leitura atenta e a confirmação através do botão de "Ok" da plataforma. 

O compartilhamento de dados de usuários do WhatsApp com empresas parceiras do Facebook é possível porque, desde 2014, é a empresa de Mark Zuckerberg que controla o aplicativo - comprado por US$ 16 bilhões. No entanto, embora tenha permissão para alterar tal política, o aplicativo deve prestar contas de mudanças ao público. Assim, caso o Idec decida interferir, pode exigir uma alteração que permita aos usuários controlar melhor os seus dados.

Vale lembrar que, embora o WhatsApp tenha acesso a interações com outros contatos e informações sobre conversas - como duração e frequência do contato - o aplicativo não tem acesso ao conteúdo das mensagens, já que elas são protegidas por criptografia de ponta-a-ponta. 

Ainda não se sabe se o aplicativo responderá às críticas do Idec, ou se implementará mudanças caso o Instituto queira formalizá-la. 

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

2 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Penskemen há 8 meses Link para o comentário

    No termo popular diria que a corda sempre estoura para o lado mais fraco. O Sr Mark Zuckerberg comprou as maiores redes de aplicativo de mensagens, e agora pretende unificá-las usando os dados pessoais de todos esses usuários. Ele foi muito esperto, e quem caiu no conto de fadas do seu Facebook e cia. Ltda agora terão duas alternativas: ou fechem suas contas individualmente de cada um desses aplicativos do conglomerado Facebook e depois fiquem isolados da grande maioria dos seus contatos, ou concordem com seus termos e façam parte do seu império de usuários, para que seus dados sejam usados sem que você tenha controle ou domínio. Lembram do filme Matrix em que o Arquiteto controlava todos que estavam conectados na sua rede (Matrix), e eles eram monitorados o tempo todo ? A ficção de tornou realidade.


  • Jairo rios há 8 meses Link para o comentário

    Idec , Procon , etc,etc podem espernear , nada mudará , a solução é trocar de mensageiro e forçar os contatos a lhe acompanharem