Review do Realme 7: plástico em excesso prejudica um smart fantástico

Review do Realme 7: plástico em excesso prejudica um smart fantástico

Apesar da marca ter alguns anos de estrada no exterior, a Realme chega ao Brasil com o smartphone Realme 7, quase um ano após o lançamento do Realme 6. O aparelho chinês já chega ao país com a agradável tela de 90 Hz da geração anterior, além de trazer um nível de desempenho próximo ao da versão Pro. Mas qual será o público-alvo do smartphone, e será que você deveria considerar este aparelho para sua próxima compra? Saiba as respostas nesta análise.

Avaliação

Prós

  • Desempenho superior ao da versão Pro
  • Fotos com aparência natural
  • Bateria grande com recarga rápida

Contras

  • Materiais com aspecto e toque baratos
  • Grande e pesado
  • Sem certificação IP

Para quem vale a pena a compra?

A Realme está 100% focada em smartphones com uma boa relação qualidade/desempenho/preço, e isto pode ser notado nas especificações do Realme 7. Por um preço razoável, há um hardware generoso rodando nos bastidores - equivalente a smartphones muito mais caros, inclusive. Quem costuma ser cuidadoso com o próprio dinheiro e ainda assim quer uma configuração de câmera quádrupla, tela de 90 Hz e uma grande capacidade de bateria pode continuar a leitura.

Enquanto a Europa recebeu a versão global do Realme 7. A fabricante trouxe ao Brasil o modelo asiático, que vem com especificações melhores para a câmera, basicamente, o sensor principal de 64 MP. Mesmo assim, o componente de 48 megapixels no modelo alemão de teste dá conta do recado para quem já se decidiu pela compra. Por isso, lembre-se que as imagens no modelo vendido no Brasil tendem a trazer uma qualidade levemente superior.

NextPit Realme 7 screen
Realme 7 em toda a sua glória / © NextPit

O que eu gosto no Realme 7...

Tela de 90 hertz

O Realme 6 surpreendeu muita gente no início de 2020, quando foi lançado com um display de 90 hz. Para quem ficou de fora do mundo dos smartphones no ano passado, segue um breve resumo: O número de Hertz descreve a frequência com que a tela atualiza as respostas do sistema operacional.

Assim, uma tela de 90 hertz tende a parecer mais suave do que uma tela que funciona a "apenas" 60 hz. Esta é exatamente a vantagem da tela no Realme 7, pois com 90 hz ela é mais suave em comparação com o "irmão maior" Realme 7 Pro neste aspecto. É verdade que este último vem com um painel OLED que abre a possibilidade de uma opção Always On Display, enquanto o Realme 7 está preso a uma tela LCD tradicional.

NextPit Realme 7 front camera
O Realme 7 vem com o recorte na tela para acomodar a câmera frontal / © NextPit

 

É uma decisão bastante curiosa deixar de fora um display de 90 Hz no Realme 7 Pro, o que deve dividir os fãs da marca e complicar a decisão dos potenciais compradores. Confira outras diferenças entre os modelos.

Realme 7 e Realme 7 Pro: diferenças na tela

Os displays dos dois smartphones são quase do mesmo tamanho e oferecem a mesma resolução. No entanto, as tecnologias são muito diferentes.
Característica Realme 7 Realme 7 Pro
Tamanho 6,5 polegadas 6,4 polegadas
Resolução 1.080 x 2.400 pixels 1.080 x 2.400 pixels
Proteção Corning Gorilla Glass 3 Corning Gorilla Glass 3+
Taxa de atualização 90 hertz 60 hertz
Tecnologia do painel LCD IPS OLED

Enquanto o Realme 7 ganha pontos na taxa de atualização, a versão Pro brilha em termos da tecnologia adotada. Os displays OLED geralmente oferecem uma maior qualidade de imagem em comparação com os painéis IPS e proporcionam uma relação de contraste muito alta. Além disso, os OLEDs normalmente oferecem uma reprodução de cores um pouco melhor. Apesar disso, as desvantagens desta diferença técnica só podem ser vistas no Realme 7 de forma limitada.

A tela do Realme 7 funciona muito bem, mesmo sem a tecnologia OLED, já que oferece uma boa reprodução de cores e bom contraste. Apenas o nível de luminosidade não consegue acompanhar as telas OLED de 2020. Os níveis de brilho continuam a ser suficientes para uso sob luz natural direta. Quanto à tela do Realme 7 Pro, as bordas da tela não são as mais elegantes de se ver, pois são simplesmente espessas demais para um smartphone recém-lançado. A câmara frontal é alojada em um recorte circular e, felizmente, não é muito maior do que a encontrada no Google Pixel 4a 5G.

Desempenho nível Pro

O Realme 7 Pro provou ter um bom desempenho em testes feitos por nossa equipe (que você confere em breve aqui no NextPit) e, comparado com o modelo Pro, o desempenho do Realme 7 não deixa a desejar. Infelizmente, não temos aqui um processador da Qualcomm, mas sim um chipset Mediatek Helio G95. Esta CPU é anunciada como um processador de jogos, rápido o suficiente para lidar com o  sistema operacional Android 10 pré-instalado, sem qualquer falha ou lentidão no uso diário . Minha configuração favorita com qualquer dispositivo Android é desligar as animações nas opções do desenvolvedor, o que torna toda a experiência agradável e responsiva.

NextPit Realme 7 usb
O Realme 7 oferece entrada USB-Tipo C / © NextPit

No entanto, isso não muda o fato da Realme usar um chip Mediatek no modelo mais barato, o que felizmente não oferece nenhuma desvantagem prática. Como alguns testes de benchmark revelam, o Realme 7 padrão pode competir com a versão Pro de igual para igual. Vale lembrar que a Realme nos enviou a versão de 128 GB com 8 GB de RAM para nosso teste. Com um preço sugerido de R$ 2.499, este valor não fica muito longe do modelo Pro, lançado por R$ 2.999. Dito isso, seguimos para os benchmarks:

Frente-a-frente: Realme 7 e Realme 7 Pro

Para os benchmarks, usei o Sling Shot Extreme OpenGL ES 3.1 dos apps 3D Mark e Geekbench 5, e registrei quatro pontuações, a partir das quais calculei a média.
Benchmark Realme 7 Realme 7 Pro
3D Mark Slingshot Extreme ES 3.1 2.705 2.523
3D Mark Slingshot Vulkan 2.745 2.638
3D Mark Slingshot ES 3.0 3.263 3.551
Geekbench 5 (single/multi) 507 / 1.637 575 / 1.784

O 3D Mark até mostrou o Realme 7 pontuando melhor do que o Realme 7 Pro. Este bom desempenho também foi evidente nos jogos mobile, nos quais você pode jogar as configurações gráficas lá no alto sem muita preocupação. O Call of Duty: Mobile também rodou suavemente nas definições gráficas máximas enquanto jogos de corrida como o Asphalt 9 também brilharam, fornecendo detalhes nítidos se você decidir usar ao máximo a qualidade das opções gráficas.

NextPit Realme 7 camera
Modelo testado tem câmera de 48 MP, no Brasil, sensor teve upgrade para 64 megapixels / © NextPit

Qualidade da câmera

Uma espiada na parte de trás do Realme 7 causou uma decepção no início. "Outra configuração de câmera quádrupla?", pensei. "Lá vem outro smartphone com um sensor de profundidade, grande-angular e uma macro meia-boca". Ao contrário do que eu pensei, quando fiz um tour fotográfico com o Realme 7 durante a minha pausa de almoço, fiquei surpreso com a qualidade das fotos, especialmente a reprodução de cores e o decente modo HDR.

Qualidade de imagem em vários ambientes

Vamos analisar algumas fotos em detalhe para avaliar a qualidade da imagem do Realme 7. Começamos com uma foto típica com tempo bom usando a câmera principal.

Foto em condições ideais de iluminação.

Gute Lichtbedingungen
Em boas condições de luz, a câmera principal do Realme 7 se saiu bem / © NextPit

A câmera principal de 48 megapixels da Realme 7 europeu oferece uma abertura aberta de f/1.8. Como tanta luz cai sobre o sensor, o smartphone mantém a sensibilidade ISO baixa em ambientes com boa iluminação e tempos de exposição curtos. Para fotos com 12 megapixels, o smartphone utiliza a combinação de pixels e reduz a resolução total, o que resulta em um grau muito bom de nitidez e uma ótima reprodução de cores. No entanto, eu senti que a imagem se mostrou um pouco exagerada, onde os objetos acabam com bordas pouco naturais.

Não custa repetir aqui que o modelo vendido no Brasil conta com uma câmera principal de 64 megapixels, utilizando um sensor Sony IMX682, que promete uma captura de imagens tão boa ou melhor que a da versão europeia.

Gravações durante o crepúsculo e à noite

Night Vision
Com um maior nível de escuridão, a qualidade da imagem também diminuiu consideravelmente. A imagem à esquerda foi tirada numa sala sem iluminação, na qual a luz do corredor estava ligada / © NextPit

Vamos passar das condições ideais para situações em que a maioria das câmaras é colocada à prova. Smartphones modernos têm um modo especial para tirar fotos noturnas, incluindo o Realme 7, mas mesmo com ele ativado, os resultados são bastante fracos, com poucos detalhes e muito ruído. Sob condições de pouca luz, há também um forte processamento das imagens, o que aumenta um pouco o nível de ruído das fotos. O Realme 7 não chega a ser um dispositivo de visão noturna como os aparelhos da linha Pixel ou da Huawei, mas pelo menos tira fotografias razoáveis no escuro.

Variação da distância focal de ultra grande-angular a telefoto

Collage Brennweiten
Enquanto a câmera ultrawide é decente, falta uma lente teleobjetiva / © NextPit

Se você precisa de um smartphone com um longo alcance de distância focal, o Realme 7 tem um sensor ultra grande-angular com um campo de visão de 119 graus. Cliques telefoto só são possíveis com um zoom digital e perdem qualidade à medida que a ampliação aumenta. Você pode ver todo o conjunto de resultados na minha colagem acima, na qual a câmera grande angular se destaca. Aqui, você pode esperar um bom alcance dinâmico de brilho e cor, além de linhas surpreendentemente retas. Mas uma contagem com resolução de apenas 8 megapixels mal é suficiente nos dias de hoje.

Imagens HDR

Download
O modo HDR (à direita) amplia o alcance dinâmico da câmera sem criar imagens de aspecto artificial / © NextPit

O Realme 7 aumenta artificialmente o alcance dinâmico do sensor, tal como qualquer outro smartphone atual. Nas fotos acima, você pode notar isso na janela, que não desaparece completamente sob a luz brilhante ao ativar o HDR. O Realme prova mais uma vez oferecer um bom equilíbrio, sem exagerar ou omitir detalhes. O resultado são fotos que não parecem artificiais, como acontece em alguns concorrentes.

Modo retrato para pessoas e objetos

BokehO O efeito de desfoque sobre objetos funciona surpreendentemente bem / © NextPit

Antes que esta avaliação se transforme em um teste de câmera, deixo aqui algumas palavras sobre o modo retrato. Esta opção também funciona com objetos, e aqui o smartphone se beneficia de seu próprio sensor de profundidade. Oferecendo linhas limpas, eu gosto como a parte traseira da bicicleta se desfoca suavemente, e esta impressão positiva foi confirmada ao tirar selfies. Neste caso, sinto que a câmera frontal oferece resultados comparáveis aos da câmera principal.

Vergleich Selfie
A câmera de selfie (esquerda) oferece quase a mesma qualidade de imagem que as fotos tiradas com a câmera principal. No entanto, as cores diferem um pouco e o nível de detalhes caiu (repare na touca) / © NextPit

Você quer saber mais sobre câmeras de celular? Confira nossa lista dos melhores smartphones para fotos:

Realme UI

A interface da marca chinesa para o Android parece boa, apesar de ainda estar na versão 1. O sistema operacional Realme UI é bem resolvido e parece uma mistura do Android puro com o launcher MIUI do Xiaomi. Um detalhe que vale destacar é como os gestos podem ser desenhados diretamente na tela desligada para ativar uma ação.

Duração da bateria com recarga rápida

Se você gostar da navegação pela Realme UI depois de pegar este modelo, e não conseguir manter suas mãos longe do Realme 7, então você certamente vai reparar na longa duração da bateria. Isto é porque o smartphone está equipado com uma generosa capacidade de 5.000 mAh. No entanto, a sua instalação no aparelho deixa o smartphone um pouco gordo. Para você ter uma ideia, a espessura total fica perto de um centímetro.

Como sempre, quando se trata de avaliações de smartphones, há poucos detalhes precisos disponíveis sobre a autonomia da bateria do dispositivo. De qualquer forma, uma bateria tão grande resulta normalmente na possibilidade de passar até dois dias sem ter de procurar uma tomada se o seu padrão de uso envolver apenas chamadas ocasionais, aquele tempinho básico no WhatsApp e a visualização de vídeos do YouTube durante as horas vagas. Se a bateria se esgotar mais rapidamente do que o esperado, você pode aproveitar o sistema de recarga rápida da Realme, batizado de Dart Charge.

NextPit Realme 7 back
Realme 7 não inclui recarga sem fio / © NextPit

O Dart Charge funciona com uma potência de 30 watts e deverá carregar o seu smartphone em 50% dentro de 26 minutos. Um teste de recarga que começou com 10% de nível da bateria atingiu 60% após exatamente 26 minutos, confirmando a promessa de carregamento rápido da Realme. Especialmente quando se trata de baterias tão grandes, os sistemas de recarga rápida são definitivamente bem vindos. O Honor 9A, por exemplo, tem uma bateria de 5.000 mAh que simplesmente leva muito tempo para carregar pela conexão micro-USB.

O que eu não gosto no Realme 7...

A aparência importa

Já deixei pistas sobre o que penso neste ponto: este smartphone não vai deixar ninguém de queixo caído. O aparelho tem cerca de um centímetro de espessura e pesa quase 200 gramas, o que chega perto da definição de sobrepeso. É difícil saber de onde vem o peso adicional. O acabamento do celular não contém vidro nem mesmo alumínio.

Pelo contrário, a construção é de plástico, na qual os botões estão embutidos de uma forma que não inspiram muita robustez.  O botão do lado direito também trabalha como sensor de impressões digitais e faz um bom trabalho ao ser utilizado. Esta boa impressão inicial é deixada para trás pelo funcionamento do motor de vibração, que é melhor deixar configurado apenas para alertar sobre chamadas e mensagens recebidas. Se o usamos para feedback táctil durante a digitação, a vibração se mostra bastante incômoda.

NextPit Realme 7 side 2
Leitor de digitais está embutido no botão lateral / © NextPit

O alto-falante

O Realme 7 tem um único alto-falante, apontado para baixo na parte inferior. Como em muitos outros smartphones Android, o componente usa três recortes na superfície inferior da carcaça para a reprodução de áudio. Embora a falta de som estéreo seja quase tolerável, o posicionamento do alto-falante não é ideal para ver vídeos ou curtir games mobile.

Isto porque as áreas recortadas para o alto-falante muitas vezes ficam cobertas e, portanto, o nível de volume é reduzido ao mínimo. Isto é especialmente evidente em jogos, nos quais o posicionamento das mãos é muito importante, e perder uma experiência de áudio completa compromete a diversão. Ao liberar a saída do alto-falante de todas as restrições, o som é geralmente alto, mas quando se trata de graves, eles têm um alcance reduzido. Um segundo alto-falante na área acima da tela faz falta ao Realme 7.

Veredito Final

O Realme 7 surpreendeu durante o teste com um desempenho muito bom. Embora a fabricante não use componentes da Qualcomm, o celular está no mesmo nível da versão Pro - equipado com o Snapdragon 720G - quando se trata de comparações de benchmark. Além disso, alguns usuários também podem gostar mais do display graças à taxa de atualização de 90 hz. Entretanto, você terá que se contentar com um painel LCD IPS. Também decepcionante é o acabamento de plástico extremamente pesado, que por acaso é muito grosso para um smartphone recém-lançado. O Realme também perdeu pontos quando se trata da qualidade do motor de vibração e da configuração do som mono.

Alternativas ao Realme 7

Se você ainda está se perguntando se deve pegar o modelo Realme 7 de 128 GB com 8 GB de RAM, o modelo Pro pode ser uma alternativa atraente com um valor adicional de R$ 500. Disputado, o segmento na casa dos R$ 2.000 apresenta uma série de alternativas: entre elas estão o Samsung Galaxy A51 e o "queridinho" Xiaomi Redmi Note 9 Pro.

ÚLTIMOS ARTIGOS

6 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Eu sinceramente achei bem legal o Realme 7 Pro, por ser mais leve, ter áudio estéreo, para mim faz a diferença, ainda mais sendo Snapdragon. Tela Amoled, ótima bateria pelo processador econômico

    Vi alguns reviews e a maioria aprova. O design de plástico não é dos mais bonitos. Quem se lembra do J5 Prime da Samsung, entrega um design bonito, mas um hardware fraco, tive um anos atrás. O segredo da Realme pelo que vejo, é trazer algo que a concorrência não faz, como mais memória RAM, bom processador, carregamento ultra rápido no 7 Pro. Fiquei tentado pelo custo benefício, mas no Brasil ainda está caro. Como prefiro modelos compactos, o S21 também está na minha lista. Porém terei que aguardar novamente, pesquisar e comprar até novembro. Quero pagar até 3 mil no S21 e caso seja o 7 Pro, 1.900.

    Os aparelhos sejam eles quais forem estão muito caros e haja dinheiro.

    Minha meta passa numa escolha de uso de 4 anos.

    Mesmo com opções no mercado não está fácil hoje comprar smartphone por causa do preço e essas variáveis, onde cada modelo trás detalhes e a Samsung acabou retirando o carregador de forma errada dos seus topos de linha, causando uma grande revolta para nós consumidores.


  • Anos atrás quando começou a sair os smarts com carcaça de metal, era praticamente um artigo de luxo em um celular. Agora o que mais me deixa indignado é que topo de linha está vindo com acabamento em plástico, quando não a carcaça inteira. É um descaso você pagar um valor alto para um aparelho com acabamento de celular de entrada. E essas balelas de que ele vem com uma textura X ou com acabamento que brilha na luz e "super resistente", cá entre nós, é uma piada.


  • A Realme tem apresentado ótimos aparelhos, tanto é que eles estão indo pra cima da Xiaomi, ou melhor, da Redmi com tudo.
    Tenho bastante curiosidade em experimentar um aparelho da marca, mas espero por um top de linha. Dia 4 deve sair um, vamos ver...


  • Bom review, bem.pelo menos é um intermediário em corpo de plástico e não um topo de linha caro como o Samsung S21 tambem em plástico

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.