Review do Motorola Moto G30: um intermediário digno de confiança

Review do Motorola Moto G30: um intermediário digno de confiança

O Motorola Moto G30 possui uma autonomia de bateria excelente, uma tela com taxa de atualização de 90 Hz — que pode fazer diferença na experiência com o sistema — e uma câmera que não vai te deixar na mão. No entanto, ao longo deste review do Moto G30 você vai perceber que este aparelho não oferece nada de especial.

Avaliação

Prós

  • Autonomia de bateria para o dia todo
  • Tela com taxa de atualização de 90 Hz
  • Suporte para cartão microSD
  • Entrada para os fones de ouvido

Contras

  • Tempo de carregamento rápido lento
  • Performance da câmera à noite é ruim
  • Apenas uma grande atualização do Android garantida

Motorola Moto G30: direto ao ponto

Diferente do Moto G10, o Moto G30 é um dispositivo intermediário por natureza, isso significa que o seu preço é condizente com a categoria a qual pertence. Contudo, o fato da Motorola super segmentar a sua linha mais popular de smartphones, faz com que seja difícil não pensar que investindo um pouco mais seria possível comprar um aparelho melhor.

E essa é a definição do G30 para mim: um celular que vai trazer consigo sempre um porém. Tem uma tela com resolução HD e taxa de atualização de 90 Hz, porém podia ser Full HD. Tem um processador Snapdragon da família 600, porém podia ser da 700... Mas isso não faz do Moto G30 um aparelho ruim, pois a bateria de 5.000 mAh, o suporte para cartão microSD e uma câmera que oferece bons resultados na maioria das vezes justificam a compra deste modelo.

O Motorola Moto G30 tem o preço sugerido de R$ 1.899,00 e, com desconto de 10% à vista no site da fabricante, já pode ser adquirido por R$ 1.709,10.

NextPit Motorola Moto G30 screen
A tela do Moto G30 é grande, são 6,5 polegadas e oferece um formato ótimo para o streaming de vídeo / © NextPit

Design prático e boa experiência com a tela

Com 5.000 mAh de bateria, o Moto G30 é um celular grande e pesado, sem muitas curvas e possui as mesas linhas de design da série Moto G de 2021. Com uma tela de 6,5 polegadas, as dimensões do G30 são 165,3 x 75,8 x 9,2 mm e seu peso é de 200g. Devido ao formato 20:9 do display, no entanto, é um celular que oferece uma boa experiência com streaming de vídeo.

O que gostei:

  • Sensor de impressão digital na parte traseira;
  • Entrada para os fones de ouvido;
  • Aspecto de tela 20:9.

O que não gostei:

  • Design pouco criativo;
  • Difícil de usar com uma mão para fazer fotos e vídeos.
  • Tela com resolução HD.

Como comentei no review do Moto G10, gosto muito dessa tela mais comprida adotada pela Motorola por conta do aspecto da tela. Essa é uma característica que a Sony trouxe ao Xperia 1, um aparelho voltado para a criação e consumo de conteúdo multimídia. A série de intermediários da Motorola não é voltada para a criação de conteúdo como a série da Sony, mas oferece uma boa experiência para quem gosta de assistir vídeos no celular.

NextPit Motorola Moto G30 side
Na lateral direita, o Moto G30 possui três botões: Ligar, volume e atalho para o Google Assistente / © NextPit

O que é uma boa surpresa neste aparelho é que, apesar de ser construído com as mesmas características de tela do Moto G10, com exceção da taxa de atualização de 90 Hz, a qualidade de brilho e contraste é melhor. E não devemos isso necessariamente aos 90 quadros por segundo deste display, mas ao processador do Moto G30, que é superior ao do G10 e traz melhorias de vídeo e imagem (mais sobre isso abaixo). 

A resolução da tela do Moto G30 é de 1.600 x 720 pixels (HD+), o que era um ponto comum em aparelhos de gama média em 2020. Este ano, estamos vendo uma série de modelos sendo lançados com display Full HD, um exemplo é a Redmi Note 10, da Xiaomi. Logo, a Motorola perdeu a chance de fazer parte deste movimento com o Moto G30.

Temos pouca criatividade quando o assunto é design também, pois é preciso muita atenção aos detalhes para perceber as diferenças entre os modelos da linha de 2021. A fabricante apostou em adicionar texturas diferentes entre o modelo G10 e G30, mas se você colocar um do lado do outro, parecem apenas variantes de cor do mesmo aparelho. Aliás, só temos duas cores disponíveis para o G30: Dark PrismWhite Lilac. Saudade da época que podíamos customizar quase todo o aparelho através do Moto Maker!

NextPit Motorola Moto G30 back
A Motorola oferece adiciona o sensor de impressão digital na parte traseira do Moto G30, onde vemos o logo da empresa / © NextPit

Por fim, uma coisa que realmente me incomodou foi o tamanho e o peso do aparelho quando usava a câmera segurando o aparelho com uma mão. Isso é particularmente ruim quando estamos em ambientes escuros ou durante à noite, pois é essencial manter a mão firme para se ter um resultado satisfatório.

Em relação à tela, o Moto G30 tem pontos altos e baixos, mas no fim do dia você terá uma experiência boa ao assistir vídeos e navegar na internet. Mesmo a qualidade das fotos na galeria de imagens não possuem muita diferença entre o display do aparelho e a tela do computador. E considero isso um ponto positivo, a foto que vemos na tela do celular não vai causar surpresa ao abrirmos em outros dispositivos. Por outro lado, faltou criatividade em relação ao design, é prático demais.

Performance consistente e bateria de uso prolongado

O Moto G30 é embalado pelo processador Snapdragon 662, octa-core, que gira a 2,0 GHz, e está acompanhado por 4 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno. O dispositivo oferece a possibilidade de aumentar essa capacidade usando um cartão microSD de até 1 TB. E para alimentar este SoC, a Motorola colocou uma bateria de 5.000 mAh, com carregamento rápido TurboPower de 20 watts.

O que gostei:

  • Uma bateria para um dia inteiro;
  • Armazenamento interno nativo generoso.

O que não gostei:

  • Carregamento Turbo, mas ainda lento.

O Snapdragon 662 é um processador desenvolvido para celulares intermediários de nível mais básico e está na base da pirâmide da série 600 da Qualcomm. Isso significa que você terá uma performance consistente ao navegar na internet, assistir filmes e séries, ouvir música e até rodar jogos para celular como o Asphalt 9, por exemplo, sem problemas.

Quando testei o Galaxy A32 5G, por exemplo, me chamou a atenção o número de vezes que o sistema fechava o Asphalt 9 depois de um certo tempo de jogo, isso não ocorreu com o Moto G30. 

Motorola Moto G39: benchmarks

BENCHMARK GEEKBENCH 5 (Single-Core) GEEKBENCH 5 (Multi-Core) 3D MARK WILD LIFE 3D MARK WILDLIFE STRESS TEST
Moto G30 300 1226 388 a 2.30 FPS Resultado mais alto: 383
Resultado mais baixo: 382

Como disse acima, a tela deste aparelho possui uma taxa de atualização de 90 Hz e, sinceramente, não consigo dizer se isso realmente influencia na experiência de uso do sistema ou mesmo em jogos. O que notei em uma comparação direta entre o Moto G10 e o Moto G30 é que existe sim uma grande diferença na fluidez do sistema ao rolar as páginas na web ou lançar aplicativos. Mas isso está muito mais associado ao poder de fogo do processador do que aos 90 quadros por sendo da tela do G30.

O que me chamou a atenção foi a experiência com brilho e contraste na tela do Moto G30 que se sobressaem em relação ao G10 também, pois os recursos de otimização de imagem presentes na tecnologia de display deste SoC da Qualcomm são notáveis aqui. Mas claro, queria ter visto uma resolução FHD+ nesta tela.

NextPit Motorola Moto G30 usb
Você carrega o Moto G30 usando a porta USB Tipo-C / © NextPit

O Moto G30 roda o Android 11 de fábrica e oferece uma experiência menos modificada do sistema operacional do Google, o que a Motorola chama de "Android Puro". Mas não se engane, pois temos muitos serviços da Motorola integrados ao sistema, e o app da câmera é desenvolvido pela fabricante e não pelo Google. Ao contrário de muitos aparelhos Moto, o G30 tem apenas uma grande atualização do sistema garantido, o Android 12, e dois anos de correções de segurança, enviadas a cada três meses.

Eu gosto da experiência com a interface do usuário da Motorola, é simples e intuitiva, os controles de navegação ocorrem por gestos e temos atalhos para a lanterna e a câmera, por exemplo, baseados em gestos, o que é muito bacana depois que você se acostuma a eles.

Bateria suficiente para um dia inteiro

Um destaque deste celular é certamente a autonomia da bateria. O Moto G30 tem suco suficiente para te acompanhar o dia todo sem precisar de carregamento. Contudo, apesar de ter a tecnologia de carregamento rápido TurboPower, chegar de 0 a 100% demora cerca de 2h30 com o carregador de 20 W incluído na caixa.

Porém, você pode carregar o aparelho por uma hora apenas e ainda assim manter o dispositivo acesso por horas até dar uma carga completa.

Moto G30 bateria
O Moto G30 leva cerca de 2h30 para uma carga completa com carregamento TurboPower / © NextPit

Em resumo, a performance do Moto G30 é consistente com aquilo que podemos esperar de um intermediário desta categoria. Você pode usar o aparelho para as tarefas do dia a dia, até mesmo passar o tempo com jogos com gráficos intermediários sem grandes problemas. E fazendo isso, mesmo no fim do dia você ainda contará com uma boa porcentagem da bateria. 

Uma câmera para registrar (quase) todos os momentos

O Motorola Moto G30 possui um sistema quádruplo de câmera com as seguintes especificações:

  • Câmera principal de 64 MP, abertura f/1,7 e campo de visão de 80°;
  • Câmera Ultra-wide de 8 MP, abertura f/2,2, e campo de visão de 118°;
  • Câmera Macro de 2 MP, abertura f/2,4 e campo de visão de 85°;
  • Sensor de profundidade de 2 MP, abertura f/2,4 e campo de visão de 80°;
  • Zoom digital até 8x;
  • Câmera frontal de 13 MP, abertura f/2,2 e campo de visão de 74°.
NextPit Motorola Moto G30 camera
O sistema quad de câmera do Moto G30 não impressiona, mas não vai te deixar na mão / © NextPit

O que gostei:

  • Boa qualidade em ambientes bem iluminados.

O que não gostei:

  • Fotos noturnas ultra-processadas;
  • As selfies te transformam em boneca de cera.

Assim como no Moto G10 e no recém-anunciado Motorola Moto G60, o sensor de 64 MP combina 4 pixels em 1 único pixel para entregar fotos com resolução de 16 MP. Esta técnica é conhecida como quad pixel ou pixel binning. Mas usando o modo de ultra-resolução, é possível captar imagens de 64 MP. Já no modo profissional, temos o formato RAW disponível.

Com certeza você vai se divertir com essa câmera, mas terá que lidar com certos inconvenientes. O software da câmera da Motorola oferece opções como o modo Retrato, modo Noturno, Slow Motion e Timelapse para vídeos, e até mesmo um modo profissional.

Pessoalmente, utilizei muito mais a câmera principal na maioria das capturas, pois oferece menos distorções e melhor qualidade de imagem. À noite, também preferi não utilizar o modo noturno, pois é ultra-processado e acaba removendo muitos detalhes, além disso, é preciso ter uma mão muito firme para conseguir uma captura de qualidade, por vezes usei meu tripé fazer imagens do céu sem tremer tudo.

A câmera frontal de 13 MP é boa, mas me chamou a atenção que durante o fundo da imagem é super exposto e durante à noite o processamento do rosto é muito pesado, me senti por vezes uma boneca de cera. Os melhores resultados com a câmera frontal saíram quando tinha um balanço de iluminação, como ao fim do dia, durante o pôr do sol.

Abaixo, você confere o meu teste com a câmera do Moto G30:

Moto G30 selfies
Da esquerda para a direita: selfie em ambiente de luz artificial; selfie ao entardecer; selfie ambiente aberto na luz do sol. Eu não reconheço a minha pele nas imagens, mas ok! / © NextPit
Moto G30 zoom 8x
O Moto G30 possui zoom digital até 8x. Não recomendo o uso, mas podemos ver os detalhes nas imagens. Prefiro indicar o modo Ultra-resolução e depois um corte na imagem. / © NextPit
Moto G30 macro
A câmera Macro é um pequeno souvenir: você ganha, mas raramente usa. De novo, me parece que usar a Ultra-resolução e cortar a imagem depois oferece melhor qualidade. / © NextPit
Moto G30 portrait mode
À esquerda, modo retrato; à direita, o sensor de profundidade coloca o foco na pequena arte da parede de um prédio. / © NextPit
Moto G30 night mode
Recomendo o uso do modo noturno em ambientes realmente escuros, sem apoio de iluminação, mas sua mão precisa ser muito firme durante os segundos exigidos para captar a imagem. / © NextPit
Moto G30 ultrawide
A câmera ultra-wide permite ampliar o ângulo de visão da imagem e colocar muito mais detalhes na foto sem sair do lugar. Porém, compromete um pouco as formas. / © NextPit
Moto G30 main camera sunset
Se você sair da zona de conforto e atravessar a rua, por exemplo, pode usar a câmera principal, que é melhor, e evitar distorções nas imagens. / © NextPit

A câmera do Moto G30 exige um pouco de paciência, talvez a foto não fique como esperado na primeira tentativa e você tenha que repetir. No entanto, o sistema quad de câmeras da Motorola oferece diferentes opções que permitem mudar o ângulo das imagens, adicionar mais detalhes à cena e explorar o universo da fotografia se assim você desejar.

Ficha técnica

Motorola Moto G30

 
  Ficha técnica
Tela 6,5 polegadas / 90 Hz / HD+
Processador Qualcomm Snapdragon 662 (2,0 GHz Octa-Core) com Adreno 610
Sistema Operacional Android 11 (receberá Android 12 e dois anos de atualizações de segurança)
Memória 4 GB e 6 GB / 128 GB / com slot microSD até 1 TB
Câmera principal 64 MP / abertura f/1,7 / campo de visão de 80°
Ultra grande-angular 8 MP / abertura f/2,2 / campo de visão de 118°
Macro 2 MP / campo de visão de 85° / foco fixo
Sensor de Profundidade 2 MP / abertura f/2,4 / campo de visão de 80°
Câmera de selfie 13 MP / abertura f/2,2 / campo de visão de 74°
Conectividade 2G, 3G, 4G / Wi-Fi / Bluetooth 5.0 / GPS, AGPS, GLONASS, Galileo
Bateria 5.000 mAh / Carregador rápido 20 W
Cores Dark Prism e White Lilac
Preço R$ 1.899,00

Afinal, o Moto G30 é bom?

Ao contrário do Moto G10, eu recomendo a compra do Moto G30. A performance do processador é condizente com o preço do produto e a Motorola oferece suporte de software para que você conte com as novidades da próxima versão do sistema operacional Android, além de dois anos de envios de correções de segurança. Isso garante que você possa utilizar o celular por pelo menos mais dois anos até trocar por um novo modelo.

Somado a isso, não ter que se preocupar com a bateria durante o dia e poder fazer muito bem o básico com este aparelho coloca o Moto G30 na posição de um bom intermediário em 2021. Contudo, antes de fazer a sua escolha, sugiro dar uma olhada em modelos como o Poco M3, o Galaxy M31 e o Redmi Note 10, que possuem uma tela com qualidade superior a do G30 da Motorola.

Quantas estrelas você daria para o Moto G30?

E aí, qual é a sua opinião sobre o Moto G30? Você acha que a Motorola oferece recursos fundamentais com este intermediário?

ÚLTIMOS ARTIGOS

5 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.