Review do Samsung Galaxy A51: ainda vale a pena em 2021?

Review do Samsung Galaxy A51: ainda vale a pena em 2021?

O Samsung Galaxy A51, um celular intermediário lançado em janeiro de 2020, foi um verdadeiro campeão de vendas elogiado pela mídia e pelo público por sua excelente relação custo-benefício. Um ano após seu lançamento, testei o Samsung Galaxy A51 para ver se o smartphone ainda vale a pena.

Avaliação

Prós

  • Excelente tela AMOLED de 60Hz
  • Conjunto fotográfico decente
  • Android 13 e três anos de correções de segurança garantidos
  • Saída para fone e armazenamento expansível

Contras

  • Desempenho Exynos 9611
  • Autonomia mediana
  • Carga lenta da bateria
  • Sem certificação IP
  • Não é uma boa relação custo-benefício em 2021

Samsung Galaxy A51 direto ao ponto

O Samsung Galaxy A51 é um celular do segmento intermediário anunciado em dezembro de 2019 e lançado em janeiro de 2020 por um preço de R$ 2.199. Em julho de 2021, o smartphone não é mais vendido oficialmente pela Samsung Brasil, mas pode ser encontrado em diversos varejistas brasileiros.

NextPit Samsung Galaxy A51 back camera
Em 2021, o Samsung Galaxy A51 enfrenta uma forte concorrência / © NextPit

Na parte das especificações, há uma tela AMOLED, um módulo de câmera quádruplo 48+12+5+5 MP, um processador Exynos 9611 e uma bateria de 4.000 mAh que aceita carga rápida com fio em 15 watts.

Se considerarmos o preço inicial de R$ 2.199, o Samsung Galaxy A51 não tem nenhum argumento contra seus sucessores ou modelos como o Realme 8 Pro ou Moto G 5G. E mesmo se pensarmos no valor mais baixo que chegou a atingir — de cerca de R$ 1.500 — a concorrência continua acirrada no segmento, apesar da variação do dólar.

Como veremos neste teste completo, alguns elementos do Samsung Galaxy A51 ainda se saem bem em 2021, como sua bela tela AMOLED. Mas em geral eu senti que tinha um modelo ultrapassado em minhas mãos.

Design e tela: o aspecto plástico não envelheceu tanto

No design e na tela, o Samsung Galaxy A51 ostenta um painel plano de 6,5 polegadas com traseira de plástico, tudo em um formato bastante maciço de 158,5 x 73,6 x 7,9 mm para 172 gramas.


Gostei:

  • A tela AMOLED muito bem calibrada;
  • O conector de 3,5 mm e a porta microSD;
  • O efeito do revestimento na parte traseira;
  • O módulo de câmera fino.

Não gostei:

  • A taxa de atualização de 60 Hz;
  • O acabamento em algumas partes;
  • Sem certificação IP.

NextPit Samsung Galaxy A51 back
A bela cor Prism Crush White do Samsung Galaxy A51 quase me fez esquecer de seu design de plástico / © NextPit

Gosto muito dos efeitos brilhantes do revestimento na traseira com uma espécie de cor branca perolada com diagonais e listras verticais.

Também gostei que o módulo da câmera quase não se destaca em relevo, embora isto se deva em parte ao fato de que o Samsung Galaxy A51 é bastante espesso. Por outro lado, acho que o acabamento é bastante áspero em algumas partes, especialmente em torno da porta USB-C e do conector, onde se pode ver claramente a deformação da estrutura de plástico na região dos furos.

NextPit Samsung Galaxy A51 display
A tela do Samsung Galaxy A51 ainda é muito boa / © NextPit

Quanto à tela, é um painel Super AMOLED muito bom de 6,55 polegadas em resolução Full HD de 1080x2400 pixels, ou 405 dpi. A luminosidade máxima de 630 nits (410 em média) é correta, sem mais. A taxa de atualização travada a 60 Hz não me incomodou, mas ainda assim senti a diferença em comparação com os 120 Hz aos quais estou acostumado.

Achei bem-vinda a inclusão de um conector de 3,5 mm, uma porta SIM dupla e um slot microSD para expandir o armazenamento com até 512 GB. No entanto, não há certificação IP para resistência à poeira ou água.

AndroidPIT Samsung Galaxy A51 edge
Parte da construção apresenta problemas no acabamento. Caso da porta USB-C se ela estivesse em foco :) © NextPit

No geral, o Samsung Galaxy A51 permanece visualmente bastante atual em 2021 e o celular realmente não entrega sua idade, embora eu realmente não seja um fã da abordagem "tudo-plástico". A tela é excelente, mas não posso deixar de pensar nos smartphones vendidos na mesma faixa de preço que têm uma taxa de atualização mais alta. Oferecer AMOLED entre os intermediários não é mais um diferencial em 2021.

Interface: OneUI 3.1 e 3 anos de atualizações garantidas

O Samsung Galaxy A51 está rodando atualmente o OneUI 3.1 baseado no Android 11 e recebeu o patch de segurança do Android de maio de 2021.

Não vou entrar em detalhes sobre esta personalização do Android que todos conhecem. Mas a fraqueza do processador Exynos 9611 não me permitiu desfrutar da excelente experiência de usuário normalmente oferecida pela OneUI.

Entretanto, vale a pena lembrar que o celular foi lançado o com OneUI 2.0 baseado no Android 10. E em linha com a nova política de atualização da Samsung, o Galaxy A51 se beneficiará de três grandes versões do Android e quatro anos de correções de segurança.

Se você comprar este smartphone agora, ele receberá o Android 13 e terá suporte de software até 2023. Mas atualmente, o celular já foi para o patamar secundário em termos da frequência de correções de segurança. Isso significa que o Galaxy A51 receberá apenas uma atualização por trimestre. Esta frequência provavelmente será reduzida para duas vezes por ano no último ano do ciclo de vida.

samsung galaxy a51 interface oneui 3.1
OneUI 3.1 ainda é completo, mas não funciona tão bem no Samsung Galaxy A51 / © NextPit

Apesar de ter sido lançado no ano passado, o Samsung Galaxy A51 provavelmente será mantido atualizado por mais tempo do que seus concorrentes Redmi ou Realme lançados em 2021.

Desempenho: Exynos 9611 fica abaixo das expectativas

O Samsung Galaxy A51 é equipado com um processador Exynos 9611 SoC de 10 nm octa-core acoplado a uma GPU Mali-G72 e 4 GB de RAM.


Gostei:

  • Sem superaquecimento, o que já é algo;

Não gostei:

  • O processador já não era competitivo em 2020;
  • Engasgos na interface;
  • A experiência em jogo não é muito agradável.

Com um SoC intermediário de um ano e agora defasados 4 GB de RAM, você obviamente não deveria esperar um monstro de desempenho, pelo contrário.

O Samsung Galaxy A51 não esconde o esforço para dar conta do recado. Experimentei lentidão na interface, um atraso na abertura de apps ou na transição para multitarefas. Em uso normal e sem qualquer aplicativo em segundo plano, são utilizados 2,2 dos 4 GB de RAM e 525 MB são reservados. Portanto, eu tinha apenas 1,3 GB de RAM efetivamente disponível.

A lentidão também foi sentida quando instalei a atualização do OneUI 3.1 e o último patch de segurança, a instalação demorou muito tempo. E não vou falar sobre o desempenho em jogos desde o lançamento da maioria dos títulos com gráficos "médios" por padrão e quase nunca executados a 30 FPS contantes.

Samsung Galaxy A51

Benchmarks gráficos
Modelo/Benchmark Samsung Galaxy A51 Redmi Note 10 Pro (SD 732G) Realme 8 Pro (SD 720G)
Geekbench single/multi 348 / 1.265 569 / 1.780 568 / 1.685
3DMark Wild Life 853 1.124 1.052
Passmark RAM/armazenamento 12.829 / 34.829 18.743/38.325 19.799 / 38.683

O único ponto positivo é que em um mercado em 2021 onde quase todos os modelos avançados superaquecem a ponto de queimar seus dedos, o Samsung Galaxy A51 permanece sempre a uma temperatura razoável.

Durante minhas sessões de teste com o benchmark 3DMark Wild Life Stress Test, que simula o uso intensivo de jogos, o Samsung Galaxy A51 manteve um nível de desempenho baixo, mas constante. Por outro lado, uma grande queda na taxa de quadros durante o último loop de teste (em 3 sessões realizadas) reduz a pontuação do celular.

samsung galaxy a51 performance
Um framerate que oscila entre 3 e 8 FPS é decepcionante mesmo para um celular intermediário / © NextPit

Em geral, não importa se considerarmos o preço atual ou de lançamento do Samsung Galaxy A51, a relação custo-desempenho não é interessante e você encontrará modelos muito mais competitivos na concorrência. Neste ponto, o Samsung Galaxy A51 está sem dúvida ultrapassado em 2021.

Foto: o módulo quádruplo de 48 MP ainda é competitivo

O Samsung Galaxy A51 possui um módulo de câmera quádrupla com uma lente principal grande angular de 48 MP, um ultra-ângulo de 12 MP e uma dupla de sensores de macro e profundidade de 5 MP cada.


Gostei:

  • Conjunto permanece competitivo em 2021;
  • Fotos ao dia corretos com a grande angular;
  • Ampla faixa dinâmica;
  • Colorimetria bem gerenciada apesar de ligeira saturação.

Não gostei:

  • Modo noturno decepcionante;
  • Muita distorção com a ultra angular;
  • Zoom digital limitado;
  • Foco temperamental nas macros.

Lente principal de 48 MP

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente principal x1

Durante o dia e em boas condições de luz, o módulo de câmera do Samsung Galaxy A51 ainda se sai muito bem e nos mostra como o hardware da fotografia evoluiu muito pouco entre os intermediários.

As fotos capturadas com o sensor principal de 48 MP não são revolucionárias, mas o nível de detalhes é correto, a faixa dinâmica é ampla o suficiente mesmo com uma exposição complexa e as cores são agradavelmente capturadas, embora a tendência da Samsung de saturar as cores desagrade muita gente.

Ultra angular de 12 MP

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente ultra angular x0,6

Ultra angular de 12MP

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente ultra angular x0,6

A câmera ultra angular também é bastante eficaz com seu amplo campo de visão (FOV) de 123°. No entanto, você terá que enfrentar uma distorção muito pronunciada nas bordas da imagem, bem como um gerenciamento mais aleatório da exposição, o que às vezes pode levar a inconsistências com as fotos capturadas em ultrawide.

Ultra angular de 12 MP

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente ultra angular x0,6

Ultra angular de 12 MP

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente ultra angular x0,6

Quanto ao zoom, você tem que se contentar com uma ampliação puramente digital a partir da lente principal, variando de 2x a 10x.

Zoom 2x, 5x e 10x

ALT-Tag Photo 1Lente principal x2 ALT-Tag Photo 2Lente principal x5 ALT-Tag Photo 2Lente principal x10

Com uma ampliação tão baixa, há pelo menos uma chance melhor de obter um resultado utilizável. Eu acho que os resultados são bastante bons desde que você se limite ao zoom de 2x.

Zoom 2x, 5x e 10x

ALT-Tag Photo 1Lente principal x2 ALT-Tag Photo 2Lente principal x5 ALT-Tag Photo 2Lente principal x10

Por outro lado, muito raramente saí convencido pelas fotos em 5x e 10x. Especialmente porque sem estabilização ótica, o foco é muito caprichoso e você nem sempre conseguirá evitar o embaçamento das fotos, como você pode ver abaixo.

Zoom 2x, 5x e 10x

ALT-Tag Photo 1Lente principal x2 ALT-Tag Photo 2Lente principal x5 ALT-Tag Photo 2Lente principal x10

Quanto ao sensor macro, achei interessante que um modelo lançado em 2020 não se contentou com um módulo de 2 MP como quase todos os celulares da faixa de preço (ainda) fazem em 2021. Achei a área de foco muito estreita e sofri as mesmas preocupações de estabilização, mas quando todas as condições corretas são atendidas, as fotos macro me pareceram muito boas (pelo menos 1 de 2, como mostrado abaixo).

Lente macro de 5 MP

ALT-Tag Photo 1Macro ALT-Tag Photo 2Macro ALT-Tag Photo 2Macro ALT-Tag Photo 2Macro lente

À noite, achei as fotos decepcionantes no geral. O modo noturno consegue melhorar um pouco a cena, iluminando-a mais para mostrar mais detalhes. Mas o processamento do software é muito agressivo e muitas vezes acabamos com muito ruído digital.

Modo noturno

ALT-Tag Photo 1Lente principal x1 ALT-Tag Photo 2Lente principal x1

No geral, descobri que o módulo de câmera do Samsung Galaxy A51 não envelheceu muito em comparação com o que você pode encontrar nesta faixa de preço atualmente. A renderização das fotos não é tão boa assim, mas eu pude aproveitar a maioria das fotos que capturei com o celular.

Autonomia: recarga não tão rápida

O Samsung Galaxy A51 tem uma bateria de 4.000 mAh que aceita 15 Watts de carga "rápida" com fio.


Gostei:

-

Não gostei:

  • Duração média da bateria;
  • Carga rápida ironicamente lenta.

4.000 mAh é uma capacidade de bateria que já pode ser considerada baixa, especialmente para um celular do segmento intermediário.

Com uso típico e um tempo médio de tela de 6 horas por dia, o Galaxy A51 conseguiu durar mais de 12 horas antes de cair abaixo de 20% da vida útil restante da bateria. Minha melhor pontuação foi 14:22 quando saí para uma sessão fotográfica no fim de semana e meu tempo de tela foi um pouco mais contido (4:30).

Por outro lado, a carga era insuportavelmente longa. Sei que os usuários de iPhone não vão entender por que estou fazendo um alarde tão grande com isso, já que eles estão acostumados a carregar 20 watts (ou 5 W, com o antigo adaptador de fábrica). Mas eu acho que a Samsung está seriamente atrasada neste aspecto, mesmo em seus flagships de 25 watts.

Além do desempenho, é realmente aqui que reside o problema. Se mais de 1h30 para uma carga completa pudesse ser aceitável em um celular de gama média em 2020, não é mais o caso em 2021.

O Samsung Galaxy A51 oferece uma autonomia média, sem mais. É possível encontrar capacidades de bateria muito melhores pelo mesmo preço nos modelos 2021. Mas o verdadeiro problema é a recarga rápida, que não é nada rápida.

Ficha técnica

Samsung Galaxy A51

Em números
Componente Especificações
Processador
  • Exynos 9611
  • Oito núcleos até 2,3 GHz
  • 10 nm
  • GPU Mali-G72
Memória
  • 4/64 GB; 4/128 GB
  • 6/128 GB
  • 8/128 GB; 8/256 GB
  • UFS 2.0
Armazenamento expansível? Sim
Tela
  • AMOLED 6,5 polegadas
  • Full HD+ 1080 x 2400
  • Taxa de atualização de 60 Hz
  • 630 nits de luminosidade máxima (média de 410)
Módulo de câmera
  • Lente principal de 48 MP: abertura f/2,0, tamanho do sensor de 1/2,0", PDAF
  • Ultra grande angular de 12 MP: f/2,2 de abertura, 123° FOV
  • Macro de 5 MP: f/2.4 de abertura
  • Sensor de profundidade de 5 MP: f/2.2 de abertura
  • Selfie de 32 MP: f/2,2 de abertura, tamanho do sensor de 1/2,8''
Vídeo
  • 4k a 30 FPS
  • 1080p a 30 FPS
Bateria
  • 4.000 mAh
  • Carga com fio de 15W
OS OneUI 3 baseado no Android 11 (lançado com o Android 10 por padrão)
Áudio

Saída de 3,5 mm

Conectividade Wi-Fi 6 / Bluetooth 5.0 / LTE / NFC
Certificação IP não disponível
Dimensões e peso
  • 158,5 x 73,6 x 7,9 mm
  • 172 g
Cores Prism Crush Black, Prism Crush White, Prism Crush Blue, Prism Crush Pink
(Preto, branco, azul e rosa)
Preço Cerca de R$ 1.900 em julho de 2021
(lançado a R$ 2.199 em jan/2020)

Conclusão

Pessoalmente, não acho que o Samsung Galaxy A51 ainda seja uma boa escolha em 2021. O celular ainda é competitivo em alguns aspectos, incluindo a qualidade de sua tela e o desempenho decente de seu módulo de câmera quádruplo de 48 MP.

O suporte de software de 4 anos da Samsung torna o Galaxy A51 mais durável do que quase todos os seus concorrentes de mesmo preço lançados neste ano.

Mas com base em seu preço de lançamento de R$ 2.199, eu preferiria um Redmi Note 10 com sua bateria de 5.000mAh que aceita carga rápida em 33 W, tudo a R$ 2.210 na loja da representante da marca no Brasil.

Mesmo se tomarmos o preço atual em torno de R$ 1.900, eu escolheria, um Realme 8 Pro com uma tela AMOLED de 60 Hz, um módulo fotográfico quádruplo de 108 MP e sua bateria de 4.500 mAh aceitando a carga rápida de 50 W com fio a um preço de R$ 1.999 para a versão com 8/128 GB.

Especialmente se considerarmos que até o Galaxy A52 já pode ser encontrado na mesma faixa de preço em julho de 2021, acho a relação custo-benefício do A51 desinteressante. Portanto, não recomendo a compra do Samsung Galaxy A51 em 2021.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Sem comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.