WhatsApp: o que muda ao aceitar a nova política de privacidade

WhatsApp: o que muda ao aceitar a nova política de privacidade

Cinco meses após anunciar mudanças nos Termos de Serviço e Política de Privacidade, o WhatsApp vai fazer valer as novas medidas a partir deste sábado, 15 de maio. Se você ainda tem alguma dúvida sobre as consequências de aceitar ou não a atualização dos termos de serviço do mensageiro, continue lendo este artigo e entenda o que muda caso você aceite a nova política de privacidade.

  • Os novos termos de serviço e privacidade do WhatsApp entram em vigor no dia 15 de maio;
  • O WhatsApp não apagará sua conta se você não aceitar os Termos de Serviço e a Política de Privacidade atualizados;
  • O uso dos recursos do WhatsApp será limitado até que você aceite os novos Termos de Serviço e a Política de Privacidade.

Por se tratar de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo democrático, o Facebook passa por uma série de regulamentações, afinal de contas, a empresa possui 3,5 bilhões de usuários mensais ativos em seus serviços. E um destes serviços é o WhatsApp.

Por conta disso, desde que anunciou que o mensageiro passaria a compartilhar dados dos usuários com a rede social, um grande debate tomou lugar na mídia e no cotidiano de instituições que lutam pelo direito à privacidade na rede.

Segundo os novos termos, quem usa o WhatsApp possui apenas duas opções: aceitar o compartilhamento de dados do app com o Facebook e empresas associadas, ou recusar a nova política e renunciar a uma série de funcionalidades até não ter escolha e aceitar os novos termos ou baixar seus dados e escolher um novo serviço de mensagens.

WhatsApp update termos uso privacidade
Os novos termos de uso do WhatsApp passam a valer a partir de 15 de maio, mas quem optar por não aceitar ainda terá tempo para decidir sobre isso / © NextPit

O que acontece se você aceitar as novas mudanças?

Em primeiro lugar, é importante deixar claro que as conversas no WhatsApp continuam utilizando o sistema de criptografia de ponta-a-ponta, ou seja, as suas conversas continuam sendo privadas, só você e seus contatos possuem acesso ao conteúdo das mensagens trocadas.

Contudo, ao aceitar os novos Termos de Serviço e Política de Privacidade do WhatsApp, você estará compartilhando as seguintes informações com o Facebook e empresas associadas:

  • Informações de registro, tais como o seu número de telefone, nome, foto do perfil e status;
  • Endereço de IP: mesmo se você não utiliza os recursos relacionados à localização no app, o serviço usa endereços IP e outros dados como códigos de área de número de telefone para calcular a sua localização geral;
  • Informações sobre o dispositivo (carga da bateria, operadora de celular, força do sinal da operadora e identificadores do Facebook, Messenger e Instagram que permitem cruzar dados de um mesmo usuário nas três plataformas);
  • Dados de transações e pagamentos;
  • Relatórios e registros de desempenho.

Além disso, as novidades incidem diretamente sobre o WhatsApp Business, também chamado de Lojas no WhatsApp no Brasil:

  • Informações de uso e de registro: dados referentes ao uso do recurso de Lojas, como os tipos de produtos vistos ou comprados, os recursos usados, o horário e ações realizadas por você, a frequência e a duração de suas atividades e interações.

Ainda de acordo com os novos Termos de Serviço e Política de Privacidade do WhatsApp, as empresas que terão acesso a esses dados são as seguintes: 

  • Facebook Payments: serviço de pagamentos do Facebook;
  • Onavo: um serviço de análise e monitoramento da web que pertence ao Facebook e, no passado, gerou polêmica como um app VPN bastante controverso;
  • CrowdTangle: uma ferramenta de análise e monitoramento de redes sociais;
  • Facebook Technologies: Oculus VR.

Os termos que passam a vigorar em 15 de maio permitem que essas empresas ligadas ao Facebook armazenem, gerenciem e processem dados do WhatsApp.

De acordo com o Facebook, além das melhorias relacionadas a segurança e infraestrutura do serviço, alguns pontos que valem destaque são:

  • Aprimoramento dos serviços e experiências, incluindo sugestões para os usuários (como a recomendação de conteúdos, conexões de grupos ou amigos);
  • A integração do WhatsApp com outros produtos do Facebook, tal como o Facebook Pay.

Isso irá permitir que o Facebook desenvolva sua própria solução para empresas, transformando assim o WhatsApp em uma interface para pagamentos e relacionamento com clientes.

O que acontece se você não aceitar as novas mudanças?

O Facebook deixou claro que não irá apagar a conta de quem não aceitar os novos termos de uso e privacidade do WhatsApp, e ninguém perderá acesso aos recursos do mensageiro no dia 15 de maio, quando a atualização passa a vigorar. Contudo, quem não aceitar as novas regras de utilização do app sofrerá consequências a longo prazo.

A notificação com mais informações sobre os novos termos de uso do WhatsApp continuará aparecendo como lembrete às pessoas que optarem por não aceitá-la. De acordo com a empresa, em algum momento este lembrete será exibido de forma permanente e acarretará perda gradual de funcionalidades. Quando isso acontecer, você enfrentará as seguintes limitações:

  • Não será possível acessar a lista de conversas, apenas atender chamadas de voz e de vídeo. 
  • Se você já recebe as notificações do WhatsApp, poderá tocar nelas para ler e responder a mensagens e para retornar chamadas de voz e de vídeo perdidas.
  • Após algumas semanas do uso limitado dos recursos, você não poderá mais receber chamadas nem notificações, e o WhatsApp não enviará mais mensagens e chamadas para seu celular.
  • Porém, a duração do novo período de carência não está clara no momento, sabemos apenas que "nem todos os usuários terão essas mudanças ao mesmo tempo".
WhatsApp terms privacy policy 1 1
O uso dos recursos do WhatsApp será limitado até que você aceite os Termos de Serviço e a Política de Privacidade atualizados / © WhatsApp

Logo, mesmo que o WhatsApp não apague a sua conta, se você optar por não aceitar os Termos de Serviço e a Política de Privacidade o app basicamente obriga você a fazê-lo para continuar usando o mensageiro.

Lembrando que você sempre poderá aceitar os termos de uso e privacidade a partir do próprio aplicativo do WhatsApp.

Opinião da autora: não aceite compartilhar dados do WhatsApp com o Facebook... por enquanto...

Apesar de todo debate gerado em relação às mudanças nos Termos de Serviço e Política de Privacidade do WhatsApp, em declaração ao site TechCrunch, um porta-voz do Facebook afirmou que a grande maioria dos usuários notificados pelo WhatsApp sobre a atualização dos termos de uso do serviço já aceitou as mudanças. 

Sim, o Facebook deixou bem claro que para continuar usando o WhatsApp em sua plenitude será necessário aceitar os novos termos de uso. Além disso, considerando que este é o aplicativo de mensagens mais utilizado no Brasil — e com mais de 2 bilhões de usuários no mundo — sejamos francos, as chances de você continuar usando o WhatsApp são enormes.

Contudo, você ainda não precisa aceitar as mudanças e compartilhar seus dados do mensageiro com as empresas ligadas ao Facebook, pois ainda não haverá consequências, mesmo depois do dia 15 de maio. Isso de acordo com o próprio serviço. Logo, a minha sugestão é de que você aguarde para ver como a empresa irá lidar com a questão nas próximas semanas, talvez meses, dado que nenhum período foi definido até agora.

De qualquer forma, é importante lembrar que a opção de compartilhar informações do WhatsApp com o Facebook já existe desde 24 setembro de 2016, quando tivemos a primeira grande atualização da política de privacidade do mensageiro que, na época, já estava sob o guarda-chuva do Facebook há dois anos.

Assim, se você usava o mensageiro em 2016 e não optou por recusar a troca de dados com o Facebook naquele ano, muito provavelmente você já compartilha tais informações entre as plataformas.

Para saber se este é o seu caso, é preciso solicitar os dados da sua conta. Para tanto, siga abra o WhatsApp, acesse as Configurações (menu de três pontos no Android ou em Ajustes no iPhone), toque em "Conta" e selecione "Solicitar dados da conta". O relatório com seus dados será disponibilizado em três dias. Fazendo isso hoje, você ainda terá tempo para escolher entre aceitar ou recusar os novos termos de uso do WhatsApp.

Facebook WhatsApp solicitar relatorio
Ao solicitar dados da sua conta, você pode ver o que está sendo compartilhado entre WhatsApp e Facebook. O resultado chega em três dias. / © NextPit

Em todo caso, existem diferentes opções de serviços de mensagens, por vezes melhores do que o próprio WhatsApp, disponíveis no mercado. Confira alguns deles acessando o link abaixo:

Pessoalmente, vou esperar pelas possíveis consequências até decidir se vou aceitar compartilhar minhas informações do WhatsApp com empresas ligadas ao Facebook. Agora estou curiosa para saber o que você vai fazer:

Você já aceitou/vai aceitar os novos Termos de Serviço e Política de Privacidade do WhatsApp?

Lembrando que a participação nas nossas enquetes é anônima. Porém, incentivamos o debate de ideias na seção de comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

6 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Douglas Charles Cunha há 4 meses Link para o comentário

    Poderiam mudar a introdução desse parágrafo: "por se tratar de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo democrático" e reescrever assim:
    "Por se tratar de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo democrático agindo de forma anti-democrática..."


  • Leo Alves há 4 meses Link para o comentário

    Eu fiz uma burrada gigante ao aceitar esses termos. Estava em meio de uma resolução de problema gigante e esses termos surgiram do nada na tela, então só aceitei sem sequer ver no intuito apenas de que aquilo saísse da frente. Agora não tem mais volta, pelo visto.


  • arai há 4 meses Link para o comentário

    Não seria "melhor" "cobrar" $0.99 (se não me angano) como "pediam" antigamente ao invés dessa palhaçada?


    • Douglas Charles Cunha há 4 meses Link para o comentário

      O problema é que se fosse só para pagar como antigamente, o Facebook não ganharia nada como ganha se infiltrando na sua vida e compartilhando seus dados com empresas privadas e governamentais. O certo era os ambiciosos criadores do Whatsapp não terem vendido a plataforma.


  • Jairo rios há 4 meses Link para o comentário

    Zuckerberg e cia , empresas não confiáveis.

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.