Cartórios agora podem autenticar documentos por meio digital

Cartórios agora podem autenticar documentos por meio digital

Agora os cartórios podem autenticar documentos por via digital. A novidade faz parte dos recursos do e-Notoriado.

A plataforma que busca digitalizar alguns serviços burocráticos está disponível no link.

Entre os serviços prestados estão assinaturas digitais, procurações por videoconferência, atas notariais e testamentos e separações e divórcios extrajudiciais.

Segundo o Colégio Notarial do Brasil (CNB), órgão responsável pelo Cenad, a plataforma agiliza o envio de documentos oficiais para outros órgãos de forma segura e já com a autenticidade comprovada.

Como utilizar o serviço

Para aproveitar todos os recursos do e-Notoriado, o usuário precisa solicitar sua autenticação digital em algum cartório de notas. É necessário apresentar um documento físico para ser digitalizado e autenticado.

Após a permissão, o documento será registrado na plataforma e notário do cartório terá sua assinatura digitalizada enviada por PDF ao usuário em um documento que confirma o registro digital.

Dessa forma, o usuário tem um documento eletrônico válido como forma de autenticar os serviços requisitados.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Artigos recomendados

2 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Coisa essa que já deveria existir a um bom tempo. Diversas vezes preciso autenticar alguns documentos no cartório, e uma simples tarefa leva mais de 1 hora na fila para 5 min de serviço que eles fazem para autenticar, realmente não dá.


    • Não reclama não.
      Você acredita que ainda se usa carimbo (além da assinatura) no Japão?
      Isso, indistintamente se é PF ou PJ. Normalmente são usados 2 tipos: um para uso cotidiano como recebimento de encomendas por correio/transportadora, qualquer visto, ou "vistou" algum documento dentro de uma empresa, etc.; e outro, mais elaborado (normalmente em cristal) para, digamos, atos formais como compra de um imóvel, um empréstimo bancário, etc.
      E esse carimbo (o oficial) tem de estar registrados na prefeitura onde vc residir (normalmente se registra junto com anotação de endereço no verso do RG ao mudar de enderço - serve como comprovante de endereço).
      Existem lojas/oficinas de carimbos onde se compra já pronto com seu nome, ou personalizar com seu nome.
      Esse processo (de carimbar documentos vistados) estava começando a gerar incômodos dentro de empresas nessa época de "home-office", por haver necessidade de comparecimento às empresas ocasionalmente, mesmo estando trabalhando em casa.
      Mas esse processo está começando a ser revisto com novo governo do (1º) Ministro Suga, que criou pasta de Desburocratização tendo sido eliminado necessidade de uso de carimbo em algumas situações, principalmente dentro de órgãos públicos.
      "Soa" estranho para nós, mas é uma "tradição" que vem desde anos 700 e que está para ser aposentado em nome de "paperless" e digitalização de documentos a serem vistados.
      Eu tive 3 carimbos desses: um, me compraram quando cheguei ao Japão; segundo comprei em loja de departamento (esse era interessante, porque ficava na ponta de uma esferográfica) e usava para dar visto na fábrica onde trabalhei; terceiro mandei fazer em alfabeto ocidental com meu sobrenome (acho que precisei quando comprei "ciqunetinha" e "kei" (abreviatura de kei-jidousha - veículo leve de até 660cc). Os outros eram sobrenome também, mas em "kanji" (ideograma japonês).

      Detalhes (em japonês) aqui => https://ja.wikipedia.org/wiki/%E5%8D%B0%E7%AB%A0