Xiaomi 11T e Xiaomi 11T Pro são os novos flagships da fabricante chinesa

Xiaomi 11T e Xiaomi 11T Pro são os novos flagships da fabricante chinesa

A Xiaomi apresentou hoje quatro novos celulares em diferentes categorias de preço, liderados pelos Xiaomi 11T e 11T Pro. Abaixo, você fica sabendo o que cada um destes aparelhos oferece.


Resumo:

  • A Xiaomi apresentou os smartphones Xiaomi 11T, Xiaomi 11T Pro, Xiaomi 11 Lite 5G NE e Redmi 10;
  • O Xiaomi 11T Pro vem com carregamento rápido HyperCharge de 120 watts;
  • Os modelos 11T contam com o novo recurso "Cinemagic" para a criação de conteúdo.

Pegue um atalho:

Xiaomi 11T e 11T Pro: os novos flagships

É claro que todos os olhares foram voltados para os novos celulares da Xiaomi. A série T é uma melhoria em relação ao já conhecido Xiaomi Mi 11. O 11T e o 11T Pro são idênticos em vários aspectos. Ambos oferecem um display AMOLED de 6,67 polegadas com uma resolução de 2.400 x 1.080 pixels.

Além disso, têm taxa de atualização de 120 Hz, taxa de amostragem por toque de 480 Hz, tecnologia TrueColor e uma luminosidade de até 1.000 nits. Os displays são protegidos pela Corning Gorilla Glass Victus.

A configuração da câmera também é idêntica: além da câmera principal com uma lente grande angular de 108 MP, há também uma câmera ultra-angular com 8 MP e uma câmera teleobjetiva de 5 MP. Na frente, encontramos uma câmera de 16 MP de selfie.

A Xiaomi também colocou ênfase nos criadores de conteúdo e oferece o recurso "Cinemagic", em que um novo modo IA de cinema permite truques cinematográficos extravagantes como Congelamento do Tempo, Night Lapse e Zoom Mágico.

Xiaomi 11 T Special Angle 2
Estes são os novos flagships da Xiaomi / © Xiaomi

O zoom em áudio também é novo, o que possibilita que você também tenha o som mais próximo de você enquanto faz zoom, "direcionando" a captura de áudio para a pessoa ou objeto em destaque na gravação. Por falar em som, os alto-falantes estéreo possuem suporte Dolby Atmos e Harman Kardon.

Naturalmente, há também algumas coisas que diferenciam o modelo Pro do 11T. Uma delas é a velocidade na qual você pode carregar sua bateria. Enquanto temos 67 watts no 11T, a bateria de 5.000 mAh de tamanho idêntico no modelo Pro se beneficia da tecnologia HyperCharge da Xiaomi, capaz de carregar o smartphone com 120 watts em 17 minutos. O 11T Pro é o primeiro modelo da fabricante disponível globalmente com esta tecnologia de carregamento rápido.

Em ambos os modelos temos memória RAM de 8 GB e variantes de armazenamento com 128 ou 256 GB. Porém, as diferenças começam nos SoCs: a Xiaomi usa o MediaTek Dimensity 1200 Ultra para o 11T, enquanto o 11T Pro está equipado com o mais potente Snapdragon 888. Quanto às cores, temos "Azul Celeste", "Cinza Meteorito" e "Branco Moonlight".

A fase de pré-venda do Xiaomi 11T e Xiaomi 11T Pro começa hoje, mas só no exterior. Lá fora, quem se interessar em comprar um dos modelos nessa fase, levará um Mi Watch no kit da compra do dispositivo, mas somente enquanto durarem os estoques.

O Xiaomi 11T chega ao mercado global a partir de 549,90 euros (R$ 3.420). Já o modelo Pro pode ser comprado a partir de 649,90 euros (R$ 4.030).

Xiaomi 11 Lite 5G NE e Redmi 10: para quem busca celulares mais acessíveis

A Xiaomi também anunciou o 11 Lite 5G NE. Temos aqui um Snapdragon 778G incluindo um modem 5G, que é acompanhado por 6 ou 8 GB de RAM e 128 ou 256 GB de armazenamento, dependendo do modelo.

Bubblegum Blue
A Apple teria chamado de "Sierra Blue", mas a Xiaomi optou por "Bubblegum Blue" / © Xiaomi

A tela é AMOLED de 6,55 polegadas, com profundidade de cor 10-bit TrueColor e HDR10+, bem como Dolby Vision. O display conta com resolução Full HD, taxa de atualização de 90 Hertz e taxa de amostragem por toque de 240 Hz. A bateria de 4.250 mAh é menor que nos modelos superiores e pode ser carregada com 33 watts.

A 11 Lite 5G NE também tem uma câmera tripla, com sensor principal de 64 MP. O sistema de câmera é completado por uma câmera ultra grande angular com 8 MP e uma câmera macro-teleobjetiva de 5 MP. O aparelho é muito fino, possui 6,81 milímetros e pesa apenas 158 gramas. Você poderá escolher entre as cores Trufa preta, Bubblegum Blue, Peach Pink e o novo Snowflake White.

Redmi 10: o novo celular basicão da Xiaomi

Redmi 10 Pebble White
O novo modelo de nível básico de Xiaomi / © Xiaomi

Em termos de preço e também em termos de recursos, o novo Redmi 10 está localizado abaixo do 11 Lite 5G NE. O celular vem com tela de 6,5 polegadas FHD+ AdaptiveSync e taxa de atualização de 90 Hertz. O modelo é equipado com um MediaTek Helio G88, e vem com 4 GB de RAM e uma opção de 128 ou 256 GB de armazenamento.

A câmara quádrupla do Redmi 10 é a primeira nesta faixa de preço a usar um sensor principal de 50 MP. Além disso, há uma câmera ultra-angular com 8 MP, assim como um sensor de macro e um de profundidade com 2 MP cada. A bateria é generosa, são 5.000 mAh e pode ser carregada com 18 watts.

A Xiaomi anunciou pelo menos três cores para o Redmi 10: cinza carbono e branco com acabamento liso e azul-marinho com acabamento texturizado.

O Xiaomi 11 Lite 5G NE com 6 GB + 128 GB estará disponível nas lojas a partir de outubro a um preço sugerido de 369,90 euros (R$ 2.300). O Redmi 10 será lançada em 1 de outubro, a partir de 179,90 euros (R$ 1.120), e estará disponível através dos canais de vendas oficiais da Xiaomi e de operadoras móveis selecionadas.

Infelizmente, não temos nenhuma informação sobre a chegada destes quatro novos smartphones ao Brasil.

E aí, o que você achou destes lançamentos? Você gostaria de ver algum deles no mercado brasileiro? Compartilhe a sua opinião nos comentários abaixo.

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

7 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Luciano há 2 dias Link para o comentário

    Achei bem interessante o 11 Lite, na medida para um uso normal, com boas especs e preço!


  • Jairo rios há 3 dias Link para o comentário

    Dois belos e parrudos gadgets , a dúvida é.....será que desta vez a xiaomi investirá mais na correção dos intermináveis bugs da MIUI ? Manterá atualização de versão de OS ? Aguardemos.


  • Soterio Salles há 3 dias Link para o comentário

    Esses são os supostos smartphones que vão receber os 4 anos de suporte né? Agora é só esperar pra ver se vão honrar o compromisso... E tem mais, duvido que o patch de segurança será mensal.


    • Paulo Ricardo há 3 dias Link para o comentário

      Tu deve ter um trauma bem pesado com a Xiaomi.


      • Soterio Salles há 3 dias Link para o comentário

        Tenho ódio mesmo gostando da marca e da MIUI... Comprei um Mix 3 quando o aparelho era lançamento global. Paguei caro na época...
        Legal, o aparelho saiu da caixa com o Android 9... Mas só recebi o Android 10... Agora estou largado na MIUI 12, com Android 10 ainda e com patch de segurança de outubro de 2020...
        Imagina só que legal pagar caro pra receber menos suporte do que um Samsung mais barato?


  • Penskemen há 3 dias Link para o comentário

    Um Xiaomi custando 650,00 Euros❓
    Ainda bem que a Infinix está desembarcando no Brasil, pois a fama e o sucesso subiram na cabeça dos donos da Xiaomi...🤔


    • Paulo Ricardo há 3 dias Link para o comentário

      Não é sucesso subindo à cabeça, é só a realidade. Uma estratégia que muitas empresas usam é o de subsidiar produtos, bancando parte do custo (de uma forma aceita legalmente) ou apenas segurando o prejuízo e vendendo ele num preço abaixo dos concorrentes, e ir aumentndo o preço gradualmente conforme o produto se firma no mercado. Um exemplo disso foi a OnePlus com seu primeiro parelho, o excelente preço dele na época não era devido à algum milagre na construção, era apenas a Oppo ou BBK derramando dinheiro por trás. Tanto é que eles foram subindo o preço aos poucos.
      Todo produto ou marca lançados com preço muito abaixo dos concorrentes tende a aumentar o preço com passar do tempo pra cobrir o prejuízo inicial.
      A Xiaomi só não sobe mais porque eles tem um leque de maracutaias pra diminiuir o valor de seus produtos, mas eu apostaria que esses 650 ainda estão abaixo do valor real que o produto deveria ter, independente se a gente acha que ele valeria ou não tal preço.
      Não sei nada sobre essa tal Infinix, mas se o preço for bom, aproveita agora antes de subirem o preço pra compensar o preço baixo de agora.

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.