NextPit

Mais do que um filtro: como usar os Estilos Fotográficos do iPhone

Mais do que um filtro: como usar os Estilos Fotográficos do iPhone

Durante o evento de lançamento da linha iPhone 13, o recurso de Estilos Fotográficos foi destacado pela Apple como uma importante novidade dos celulares. Mas muitos podem ter se perguntado qual a diferença para os populares filtros. Entenda como os estilos se diferenciam deles e como aproveitar o novo recurso do iPhone neste tutorial.

À primeira vista, os estilos fotográficos aplicam as mesmas alterações de tonalidade, temperatura e saturação que os filtros tradicionais. Mas assim como no Modo Cinema, o recurso aproveita o hardware do celular para dar um resultado diferente dos métodos conhecidos.

Como funcionam os estilos fotográficos do iPhone 13

Os estilos fotográficos aproveitam o ISP (processador de imagem) no SoC Apple A15 para aplicar efeitos de maneira seletiva na imagem, diferentemente dos filtros — que modificam toda a imagem. Enquanto os filtros funcionam de maneira equivalente à fotografia analógica (na qual negativos, papéis fotográficos, os próprios filtros e outros fatores influenciam no resultado final), os estilos fotográficos são mais um passo da fotografia computacional.

O recurso aproveita a capacidade dos processadores de imagem modernos de identificar diferentes elementos em cena — pessoas, objetos em diferentes planos, céu, etc — para aplicar os efeitos de maneira diferente em cada um deles, parecido com o que um fotógrafo ou editor de imagem faria na etapa de pós-processamento.

Photographic Styles
Os estilos fotográficos aplicam efeitos de maneira separada para cada elemento na cena / © Apple

Uma vantagem da técnica é que ela tem o poder de manter características naturais da pele, por exemplo, enquanto aumenta a saturação de cores nos objetos em volta da(s) pessoa(s) em primeiro plano.

Os estilos fotográficos estão disponíveis em quatro opções pré-definidas — Contraste Rico, Vibrante, Quente e Frio — que podem ser personalizados em termos de tonalidade e temperatura de cor. Para efeito de comparação, o modo Padrão do iPhone é apresentado como "equilibrado e realista".

Celulares compatíveis com os estilos fotográficos

Apesar da Apple afirmar que o recurso é possibilitado pelo processador A15 Bionic, a fabricante não menciona compatibilidade dos estilos fotográficos com o iPad Mini (2021), também equipado com o SoC, mas com uma única câmera na traseira. Assim, estes são os modelos compatíveis com a novidade:

Como usar os estilos fotográficos

A novidade da linha iPhone 13 pode ser acionada no próprio aplicativo de câmera do iOS, tocando no botão ^ (no topo da tela), e depois no ícone do recurso (com três imagens paralelas e um risco sobre elas). Alternativamente, é possível acessar o recurso no app de Ajustes > Câmera > Estilos Fotográficos.

Depois de ativado, é só deslizar a tela para o lado para uma prévia do efeito em tempo real. Logo abaixo dos efeitos disponíveis é possível personalizar o Tom e Calidez (Tone e Warmth, na interface em inglês), ajustando conforme à cena. Para voltar os estilos às definições padrão, basta tocar no ícone de círculo ao lado dos ajustes (logo acima do botão para alternar entre as câmeras).

Exemplos da visualização dos diferentes estilos no aplicativo de câmera usando um iPhone 13.

Photographic styles - default
Padrão
Photographic styles - Rich contrast
Contraste rico
Photographic styles - Vibrant
Vibrante
Photographic styles - Warm
Quente
Photographic styles - Cold
Frio

Confira o resultado dos efeitos aplicados nas fotos (clique nas imagens para abrir em resolução original):

Photographic styles - default
Padrão
Photographic styles - Rich contrast
Contraste rico
Photographic styles - Vibrant
Vibrante
Photographic styles - Warm
Quente
Photographic styles - Cold
Frio

Outros artigos sobre fotografia no NextPit

Conclusão

Apesar de parecidos com os filtros já encontrados em qualquer celular no mercado, os estilos fotográficos são uma evolução do conceito, aproveitando os recursos de processamento de imagem encontrados nos SoCs modernos. Na mão de fotógrafos mais exigentes, o recurso pode economizar o tempo de pós-edição das imagens no Adobe Lightroom ou Apple Fotos, por exemplo.

Com os ajustes oferecidos, os efeitos podem ser personalizados para alcançar um resultado mais natural, semelhante ao destacado pelo editor Benjamin Lucks no seu review do Sony Xperia 1 III, ou então a característica saturada das fotos capturadas nos celulares da Samsung. Tudo isso de acordo com as preferências do fotógrafo.

E claro, nada impede que as demais fabricantes implementem recursos parecidos em seus aparelhos. A Xiaomi, por exemplo, anunciou no começo de 2021 para a ROM chinesa do Mi 11 filtros inteligentes que conseguem aplicar efeitos de aquarela ou esboço apenas em elementos de fundo. Já a Samsung, aproveita o processador em seus aparelhos topo de linha para criar filtros personalizados, que imitam o estilo das suas imagens preferidas.

xiaomi smart filters
Estilos fotográficos da Apple seguem um processo parecido com os filtros inteligentes da Xiaomi (acima) / © Xiaomi

Além disso, não poderia deixar de citar os polêmicos filtros que alteram as características do rosto para aumentar os olhos, afinar o rosto e mudar as características do nariz e queixo, entre outras partes do corpo, detectando a presença de uma pessoa para modificar suas feições.

Todos os exemplos aproveitam o potencial dos ISPs para poupar o tempo de edição das fotos, resultando em imagens prontas para compartilhar com os amigos e parentes em aplicativos de mensagens como o WhatsApp ou nas redes sociais.

No caso dos estilos fotográficos, a Apple juntou este potencial de processamento para que o fotógrafo personalize filtros inteligentes que podem ser aplicados em outras fotos. Não é difícil imaginar que a empresa ofereça no futuro variações da técnica incluindo o recurso demonstrado pela Xiaomi ou, quem sabe, opções que usem recursos de inteligência artificial para alterar a aparência do céu, semelhantes aos encontrados em ferramentas profissionais.


Artigo escrito em colaboração com a editora Camila Rinaldi.

Os links compartilhados neste artigo são links de afiliados. Isso significa que o NextPit obtém uma pequena participação nos lucros se você comprar produtos através deles. Isso não gera custos adicionais para você e não tem nenhuma influência sobre o conteúdo editorial do site. Saiba mais sobre como monetizamos o site na nossa página de transparência.
Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.