WhatsApp começa a testar uso simultâneo em até 5 aparelhos

WhatsApp começa a testar uso simultâneo em até 5 aparelhos

O WhatsApp em breve receberá uma nova versão que traz uma série de novos recursos. O destaque é a opção de utilizar o mensageiro em até quatro dispositivos adicionais ao celular, chamados de "companheiros". E a novidade já começou a ser testada em fase beta.

Atualmente, o WhatsApp só pode ser usado em um dispositivo principal, o smartphone com o número de telefone. As mensagens são recebidas e enviadas a partir dele e também são codificadas e descriptografadas no aparelho. Quem quiser usar o mensageiro em um tablet, Mac ou PC, por exemplo, deve acessar o dispositivo principal através de um navegador e a exibição da interface do usuário é meramente espelhada.

Toda comunicação ocorre através do celular e, a propósito, também consome sua cota de dados, caso não esteja conectado ao Wi-Fi. Se o smartphone não estiver ligado por qualquer motivo, as mensagens não poderão mais ser enviadas através dos dispositivos de espelhados com o WhatsApp Web.

WhatsApp teve que mudar para evoluir

No futuro, até quatro dispositivos acompanhantes serão capazes de assumir a comunicação do WhatsApp além do dispositivo principal. Para isso, os desenvolvedores desenvolveram uma nova arquitetura onde os códigos de segurança foram aprimorados e agora levam em conta todos os IDs de dispositivos de um usuário. Desta forma, o WhatsApp pode verificar a autenticidade de um remetente.

Em um post anunciando a novidade, o WhatsApp explicou como a arquitetura é construída e funciona. Para tornar o sistema seguro também nesse aspecto, e para evitar que uma pessoa indesejada, por exemplo, cadastre um dispositivo como um dispositivo de companhia, você pode configurar para exigir uma confirmação com a digital ou reconhecimento facial antes da varredura do código QR necessária para a inclusão do dispositivo.

O dono da conta no WhatsApp também pode visualizar quais dispositivos companheiros estão registrados na conta e quando foram usados pela última vez a qualquer momento.

Quando uma mensagem é enviada, o aplicativo do remetente recebe uma lista das IDs de todos os dispositivos acompanhantes do destinatário, codifica o conteúdo - individualmente para cada dispositivo - e então envia o pacote para todos os dispositivos do destinatário. Para sincronização dos históricos, a mensagem também vai para todos os dispositivos do remetente.

Se posteriormente você adicionar outro dispositivo companheiro à sua conta, o aparelho registrado combina os dados de conversas anteriores em um pacote e os envia criptografados para o novo dispositivo.

Como se tornar um testador beta

Para participar do beta fechado no Android, é preciso se registrar no site de cadastro para testadores da Play Store. Já os donos de iPhone precisam ter o aplicativo Testflight instalado e se inscrever para o teste a partir deste link.

Mas atenção: a versão beta atualmente só pode se comunicar com outros usuários da mesma versão após a ativação do recurso.

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Penskemen há 2 semanas Link para o comentário

    Mark Zuckerberg está nas cordas se mexendo como pode, acuado pelas constantes denúncias de vazamento de dados, e para piorar a concorrência pra cima do WhatsApp está cada vez maior. Telegram e Signal cada dia que passa aumentam seus usuários.