Review do Google Nest Hub 2: a segunda vez é sempre melhor

Review do Google Nest Hub 2: a segunda vez é sempre melhor

O uso de assistentes virtuais e alto-falantes inteligentes está disseminado faz algum tempo, e funcionam como verdadeiras centrais de controle das rotinas da casa. Uma vez integrados ao dia a dia, é realmente difícil voltar atrás. O Google anunciou a segunda geração do Google Nest Hub e nós tivemos a chance de testar o dispositivo. Será que o novo Nest Hub é realmente bom? Continue lendo essa análise e descubra.

Avaliação

Prós

  • Automação das rotinas diárias
  • Posiciona a sua casa em 2021
  • Não possui câmera
  • Chip Soli integrado

Contras

  • Não oferece suporte para Amazon Prime Video
  • Assistente ainda derrapa em entender diferentes sotaques

Novo Google Nest Hub: direto ao ponto

Na disputa entre inteligências artificiais e assistentes virtuais, o Google certamente se posiciona entre os primeiros. O Google Assistente é um dos companheiros virtuais mais utilizados do mundo, em especial por estar presente em praticamente todos os aparelhos celulares Android. Porém, ainda está longe de oferecer uma experiência de conversação natural. Sim, o Alexa, assistente virtual da Amazon, chega mais perto daquilo que considero mais próximo do trato humano.

Contudo, otimizar as rotinas da casa é uma ação quase completa usando apenas o novo Nest Hub, disponível a um preço bastante acessível: apenas 99 dólares*. A nova geração passou por uma otimização de hardware considerável e adicionou uma série de sensores, mantendo assim o aparelho livre de uma câmera.

NextPit Google Nest Hub display
O novo Google Nest Hub coloca a sua casa em 2021 / © NextPit

Se você possui um Nest mini, mas quer expandir as possibilidades de um assistente virtual com tela, o Nest Hub é uma ótima opção. Se ainda não possui um alto-falante inteligente e está pensando em adquirir um, o Nest Hub é uma opção ainda melhor do que o Nest mini.  

*O Google Nest Hub 2 não está disponível no Brasil.

A tela oferece possibilidade, mas não qualidade

O Google Nest Hub 2021 possui uma tela de 7 polegadas, com resolução de 1024 x 600 pixels, montada sobre um alto-falante de alcance total com driver de 43,5 mm. O peso total do dispositivo é 558g, e suas dimensões são 177,4 x 120,4 x 69,5 mm. Logo, o Nest Hub não é algo quase invisível como o Nest mini, mas leva na sua construção a mesma capa de tecido. De acordo com o Google, a caixa é feita de 54% de plástico reciclado.

NextPit Google Nest Hub buttons
O alto-falante vem nas cores Giz, Carvão, Areia e Neblina (Chalk, Charcoal, Sand, Mist) / © NextPit

De forma geral, o design do Nest Hub lembra muito um tablet posicionado sobre um suporte, porém, não é possível ajustar a posição da tela. As bordas são consideravelmente grandes, mas dão lugar para os sensores de movimento, luz e temperatura. Na parte traseira, temos o botão de volume e o interruptor para desligar os microfones. Temos um total de três microfones que, quando desligados, ativam uma luz de led vermelha na parte superior tela.

NextPit Google Nest Hub sensor
As bordas do Nest Hub não são finas, mas a moldura incorpora os sensores mais importantes do aparelho  / © NextPit

Bom, a essa altura você já deve saber que a qualidade do display não é o destaque do Nest Hub, certo? Apesar do speaker contar com um display para controle de funções e consumo de mídias, o objetivo aqui não é substituir a sua televisão. Grande parte do tempo usei o novo Nest Hub na cozinha, lugar em que o speaker faz toda a diferença para mim.

Na parte traseira, temos a entrada para o cabo de energia, que possui 140 cm. Eu posicionei o meu dispositivo próximo à minha área de trabalho na cozinha, pois, assim, posso acompanhar facilmente instruções de receitas e, claro, minhas séries favoritas enquanto cozinho ou lavo a louça, por exemplo. Neste espaço, também tenho duas tomadas bastante acessíveis, o que ajudou.

NextPit Google Nest Hub back
A entrada para o cabo de energia fica na parte traseira do Nest Hub 2021  / © NextPit

Além da tomada, você vai precisar posicionar o assistente em um lugar com boa cobertura da rede Wi-Fi, o que em alguns casos pode exigir um repetidor de sinal.

Em relação à tela do Nest Hub, é claro que você terá uma série de novas possibilidades de controle e consumo de mídias, que não são possíveis com o Nest mini, por exemplo. Contudo, a qualidade das imagens não é o destaque deste aparelho. Isso também não significa que temos uma tela precária, pelo contrário, para as atividades do dia a dia, o display do Nest Hub é mais que suficiente para assistir vídeos no YouTube e séries no Netflix.

O Assistente ainda esbarra na compreensão

Um dos grandes requisitos para utilizar o Nest Hub, além de conexão à internet e energia, claro, é a utilização conjunta com o aplicativo Google Home, ou seja, funciona apenas em conjunto com um celular compatível ( Android ou iOS). Após realizar a configuração do Nest Hub, o que é realmente fácil e intuitivo, você passa a controlar Ambientes e grupos de dispositivos no celular. Tudo é adicionado a partir do seu smartphone, de lâmpadas a eletrodomésticos inteligentes.

E é através das rotinas que você automatiza as suas ações. Por exemplo, ao dizer "bom dia", uma série de ações serão desencadeadas com base em um padrão ou na sua personalização da rotina. Além disso, é possível fazer ligações para qualquer contato da sua lista usando o Google Duo e fazer um anúncio para toda a família usando o recurso Broadcast e outros smart speakers espalhados pela casa.

NextPit Google Nest Hub home
Das notícias aos jogos de trívia, o Nest Hub dá um show em entretenimento / © NextPit

Existe uma quantidade imensa de passatempos incorporados ao Nest Hub, bem como uma série de opções de entretenimento. É possível assistir a vídeos no YouTube, ouvir os seus podcasts prediletos usando Spotify ou Google Podcast e ouvir as notícias dos seus principais jornais e revistas. E claro, assistir a quase todo serviço de streaming...

Pois é, uma das minhas maiores frustrações em relação ao Nest Hub é que não é possível assistir às séries do Amazon Prime Video, pois não temos suporte aqui. Ok, Disney+ e Netflix estão integrados, mas ainda assim, não ter a maior competidora no setor de telas inteligentes como parceira de streaming parece um ponto de venda muito grande para a Amazon Echo Show, não é mesmo?

Outro ponto de frustração em relação ao Nest Hub são as confusões causadas quase que diariamente por conta do (des)entendimento dos comandos de voz e o resultado das ações. Este não é um problema apenas do Google Assistente, praticamente todos os assistentes virtuais ainda não são capazes de compreender frases mais complexas ou diferentes sotaques. 

Eu utilizei o Nest Hub em inglês, sendo que minha língua materna é português e que moro na Alemanha. Então pedir instruções muitas vezes é quase impossível por conta da pronúncia do nome das ruas ou mesmo lojas próximas. O mesmo acontece para fazer ligações ou pedir para tocar o álbum de um artista brasileiro, por exemplo. Neste sentido, a Alexa, assistente virtual da Amazon, trabalha melhor.

Em resumo, o Nest Hub de segunda geração é realmente funcional, mas ainda possui algumas gagueiras que, dependendo do seu humor, podem causar constante irritação. Porém, no fim do dia, são muito mais benefícios do que problemas. A automação das rotinas diárias é o maior ganho que você pode esperar desta máquina e, acordar de manhã e poder fazer um café usando apenas um comando de voz vale cada centavo investido.

Segunda geração, hardware otimizado

O Google equipou o Nest Hub com um processador mais potente do que o da geração anterior, que oferece a tecnologia Soli, da própria empresa. O chip Soli é um radar que consegue capturar movimentos e gestos e convertê-los em comandos que estão programados no software e são interpretados como ações. Logo, não temos apenas comandos de voz ou toque aqui, mas gestos também. Isso é extremamente funcional para pausar vídeos e podcasts quando estamos com as mãos molhadas ou ocupadas.

No início, levei até um susto quando percebi que assim que entrava na cozinha na parte da manhã ou da noite, o assistente prontamente ativava a tela com uma saudação de "Bom dia!" ou "Boa noite". Depois entendi que ao notar a minha presença, os sensores de movimento ativavam a função. No começo isso causa um certo desconforto, mas como não é magia, é tecnologia, você acaba se acostumando.

NextPit Google Nest Hub hand motion sensor
O radar Soli permite pausar o conteúdo usando apenas movimentos, sem toques na tela ou comandos de voz / © NextPit

Além disso, temos também o padrão Connected Home over IP (CHIP) ou Matter, que conecta o smart display com outros dispositivos inteligentes de uma série de fabricantes, tais como lâmpadas, persianas, televisores, fechaduras de portas, sistemas de segurança e roteadores Wi-Fi. 

No meu teste, usei o novo Nest Hub com lâmpadas inteligentes da Philips Hue e LE WiFi Smart, adaptadores para tomada da Gosund, Smart TV da Sony e um Nest mini. Tudo funcionou super bem integrado, o tempo entre o comando de voz e a ação acontece em questão de milésimos de segundo. Aqui, o Nest Hub ofereceu uma ótima experiência.

NextPit Google Nest Hub lights control
Controlar as luzes da casa com comandos de voz ou ao entrar pela porta de casa é uma experiência difícil de voltar atrás / © NextPit

Por fim, um dos argumentos de venda do Nest Hub é o recurso de monitoramento do sono, chamado de Sleeping Sensing. Ao usar o Nest Hub 2021 ao lado da cama, os sensores de luz e movimento são capazes de identificar mudanças na iluminação e agitação para oferecer relatórios de qualidade de sono. Pessoalmente, não me vejo utilizando o smart display no quarto, pois prefiro usar a pulseira inteligente da Xiaomi, a Mi Band 4, para realizar tais análises.

Contudo, se você não quer utilizar um wearable enquanto dorme, mas ainda assim busca informações sobre a qualidade do seu sono, o Nest Hub oferece tal recurso. Infelizmente, não é tão preciso quanto os dados que a Mi Band entrega. Além disso, é preciso dizer que o uso do Sleeping Sensing está associado ao serviço Fitbit Premium e, por conta disso, depois de um ano você terá que pagar uma mensalidade para continuar usando.

Em relação à privacidade destes dados gerados pelo Sleeping Sensing, o ponto positivo é que o todo o processamento é feito localmente, ou seja, em nenhum momento passa para outros servidores na nuvem. Estes dados podem ser removidos a qualquer momento usando o app Google Fit.

A adição do chip Soli ao Google Nest Hub permite fazer o controle de mídias por gesto e, até mesmo, regular o termostato com base na mudança de temperatura (infelizmente não consegui testar essa função), o que é uma grande adição ao hardware, pois amplia as suas funcionalidades. Porém, o Sleeping Sensing parece mais uma ativação de marketing para a Fitbit do que realmente um recurso que você deseja ver numa central de controle de dispositivos inteligentes. Mas ainda assim o novo Nest Hub merece estar entre os melhores da categoria.

Baixos melhorados em 50%, mas qual é a referência?

Assim como a qualidade da tela da segunda geração do Next Hub, o áudio não é espetacular. Segundo o Google, essa tela inteligente traz um alto-falante melhorado, capaz de reproduzir baixos com uma qualidade 50% maior em relação ao modelo anterior. Contudo, a referência já não era excepcional, logo, essa otimização parece muito mais importante no papel do que no dia a dia.

Sim, você vai poder ouvir música em um volume alto, capaz de até importunar seus vizinhos dependendo do tamanho do seu apartamento e em que local está posicionado o Nest Hub. A minha cozinha é bem compacta, logo, o volume e a qualidade do áudio foram bastante sólidos. Ao andar pela casa, consegui acompanhar sem problemas o conteúdo de podcasts e das rondas matinais de notícias.

O importante aqui é entender que o Google Nest Hub não é um smart speaker com qualidade de áudio premium, para ter algo com som melhor, você teria que optar por um alto-falante inteligente como o Nest Audio. Contudo, o Nest Hub a 99 dólares faz um bom trabalho.

Ficha técnica detalhada

Google Nest Hub 2

Confira a tabela de especificações técnicas do novo Google Nest Hub:
Especificações Google Nest Hub 2nd gen.
Processador
  • Quad-core 64-bit 1,9 GHz ARM CPU
  • Motor ML de alta performance
Tela
  • 7 polegadas
  • Resolução de 1024 x 600 pixels
  • Sensível ao toque
Câmeras Não
Sensores
  • Sensor Soli para movimento
  • Sensor de luz ambiente EQ
  • Sensor de temperatura
Bateria
  • Cabo de 1,5 cm
  • Adaptador de carregamento 15W
App companheiro Google Home
Áudio
  • Alto-falante de alcance total com driver de 43,5 mm
Microfones
  • 3 microfones de longa distância
  • Interruptor para desligar microfones
Tecnologia
  • Google Assistente incorporado
  • Tecnologia de reconhecimento de voz (Voice Match)
  • Sensor de ultrassom
Conectividade
  • 802.11b/g/n/ac (2.4 GHz/5 GHz) Wi-Fi
  • Bluetooth 5.0
  • Chromecast incorporado
Dimensões e peso
  • 177,4 x 120,4 x 69,5 mm
  • 558 g
Cores Giz, Carvão, Areia e Neblina (Chalk, Charcoal, Sand, Mist)
Preço 99 dólares (R$ 524,00 em conversão direta)

O Google Nest Hub é bom?

A segunda geração do Nest Hub é bastante consistente, traz uma série de funcionalidades que otimizam a rotina diária em casa e alguns cuidados relevantes em relação à privacidade. O assistente do Google ainda patina um pouco quando o assunto é entender diferentes sotaques, em especial quando o idioma selecionado é uma segunda língua, no meu caso inglês. Além disso, o fato de não oferecer suporte para o Amazon Prime Video é ruim.

No ano passado, utilizei a Amazon Echo Show 5 e a Amazon Echo Show 8 por um longo período e, apesar de serem bons dispositivos e oferecerem o assistente Alexa integrado, a segunda geração do Nest Hub oferece uma experiência melhor de hardware. Para quem utiliza um smartphone Android, a integração entre os serviços do Google também é mais fluida, como o YouTube Premium e o YouTube Music, por exemplo.

Contudo, apesar de utilizar wearables para quantificar informações das práticas de exercício físico, sono e medir dados vitais, optei por não utilizar o Nest Hub no quarto. Até porque utilizar a Xiaomi Mi Band 4 para fazer o acompanhamento do sono não é um problema para mim, e ainda oferece um resultado bastante preciso.

No mais, poder otimizar os controles das luzes de casa, dos meus serviços de mídia e até eletrodomésticos tornou meu dia mais eficiente e me desligou um pouco do meu celular, o que considero um ganho em qualidade de vida.

E aí, qual é a sua opinião sobre os alto-falantes inteligentes? Você possui algum? Usaria o recurso Sleeping Sensing do Google Nest Hub? Compartilhe a sua opinião com a nossa comunidade na seção de comentários abaixo.

ÚLTIMOS ARTIGOS

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.