Xiaomi promete 3 atualizações de Android e 4 anos de patches para linha 11T

Xiaomi promete 3 atualizações de Android e 4 anos de patches para linha 11T

Faltando menos de uma semana para o lançamento da linha 11T, a Xiaomi anunciou que seus novos flagships terão uma política de atualização ampliada. A fabricante chinesa prometeu três atualizações de versão e quatro anos de correções de segurança para os modelos Xiaomi 11T e 11T Pro.


  • Xiaomi amplia política de atualização para os novos flagships da linha 11T;
  • Fabricante detalhou que modelos receberão três versões do sistema Android;
  • Nova política equipara a linha flagship com a família Galaxy S.

O anúncio finalmente oferece oficialmente uma política de atualização da fabricante, que até então prometia apenas pelo menos 2 anos de correções de segurança.

Na prática, a Xiaomi costumava oferecer duas atualizações de sistema para seus modelos topo de linha — com exceções como o Mi Mix 3, sempre lembrado pela comunidade brasileira no NextPit — e até 3 anos de patches, mas sem se comprometer oficialmente.

"A Xiaomi está comprometida em fornecer aos usuários hardware líder do setor e desempenho duradouro. Dando continuidade a esse compromisso com os usuários, a Xiaomi está estendendo ainda mais o ciclo de vida dos celulares da Xiaomi, garantindo três gerações de atualizações do sistema operacional Android", disse Albert Shan, chefe de produto e tecnologia da marca.

Apesar da boa notícia, a empresa divulgou que a nova política se aplica apenas aos dois modelos que serão lançados na próxima quarta-feira (15), e não se estende a outras linhas de produtos ou mesmo a flagships anteriores — algo que a Samsung fez ao anunciar retroativamente que seus 4 anos de correções também se aplicam à linha Galaxy S10, por exemplo.

Considerando que a inclusão do processador Snapdragon 888 é praticamente certa no modelo 11T Pro — ou da versão 888+, com frequência de processamento levemente maior — não seria uma tarefa impossível estender a política aos modelos Mi 11 equipados com o mesmo SoC topo de linha, o que a empresa não descartou, mas também não se comprometeu a fazê-lo.

Resta saber se a política se aplicará também às próximas gerações de flagships da marca, esperadas para a virada do ano. Em todo caso, não deixa de ser uma boa notícia para os fãs da Xiaomi, ainda que nada tenha sido prometido para outras linhas populares como a Redmi Note.

O que você achou da novidade? Será que é capaz de reconquistar os clientes decepcionados com o "abandono" de outros modelos no passado? Ou no final das contas quem compra um celular da marca só se preocupa mesmo com as novidades trazidas pela MIUI? Deixe sua opinião nos comentários!

Fonte: Xiaomi

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

3 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Jairo rios há 1 semana Link para o comentário

    Xiaomi e comprometimento são antônimos, não acredito.


    • Soterio Salles há 1 semana Link para o comentário

      Pode continuar não acreditando porque não é nem um pouco bom dar isso só pra dois aparelhos recém lançados...


  • Soterio Salles há 1 semana Link para o comentário

    "Na prática, a Xiaomi costumava oferecer duas atualizações de sistema para seus modelos topo de linha — com exceções como o Mi Mix 3, sempre lembrado pela comunidade brasileira no NextPit — e até 3 anos de patches, mas sem se comprometer oficialmente."

    Olha eu aí no texto kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Como sempre Xiaomi estragando até o que tenta fazer de bom. Ao menos dá pra considerar comprar um 11T... Embora eu ainda duvide que eles vão cumprir. Mas já é um começo pra uma empresa que vende sem compromisso algum com o consumidor.

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.