Os melhores celulares intermediários entre R$ 1.000 e 2.500

Os melhores celulares intermediários entre R$ 1.000 e 2.500

Apesar dos celulares topo de linha serem o centro das atenções, nem todo mundo pode investir em um aparelho flagship. É nesta hora que entram os modelos intermediários, trazendo o bom e velho custo/benefício: desempenho competente para todo o tipo de uso no dia a dia, sem precisar parcelar o pagamento a perder de vista.

Nota: foram considerados apenas smartphones comercializados oficialmente no Brasil e lançados entre 2020 e 2021. Os aparelhos estão listados em ordem alfabética, portanto sua posição na lista não indica que um modelo é melhor ou pior que o outro. Os preços são os praticados na data de publicação deste artigo.

Pegue um atalho

Apple iPhone SE: a porta de entrada do iOS

Mesmo com o visual defasado (herdado do iPhone 6), o iPhone SE 2020 é uma opção interessante para quem tem modelos antigos da Apple, ou mesmo para quem quer "pular a cerca" e abandonar o barco do Android. 

Compartilhando as especificações de processador com o iPhone 11, o desempenho do aparelho é superior não apenas em relação aos iPhones 6/6S/7/8, como também ao iPhone XR. Além disso, o uso do chip A13 garante mais alguns anos de atualizações de recursos e segurança — o primeiro SE, de 2016, ainda recebe as atualizações do iOS 14, por exemplo.

E apesar do design já ultrapassado, o reaproveitamento do projeto usado no iPhone 8 permite usar uma infinidade de acessórios disponíveis no mercado, sem contar o valor de revenda que os smartphones da Apple tem no mercado de segunda mão.

iphone SE Test
Não é exatamente a última palavra em design e tecnologia, mas deve durar por um bom tempo / © NextPit

Moto G9 Power: o celular acessível para o dia todo

Apesar de algumas lojas já venderem o Moto G10 no Brasil, o Moto G9 Power ainda é muito mais negócio, já que é equipado com um processador mais potente, além da bateria parruda que dá nome ao modelo. Melhor ainda, o Moto G9 Power pode ser encontrado por valores na casa dos R$ 1.400, abaixo dos preços cobrados pelo G10.

Mesmo contando com câmera de 64 megapixels e boas configurações de memória, o destaque do Moto G9 Power é mesmo a capacidade da bateria, com 6.000 mAh. Somado à humilde resolução de tela HD+, o resultado é uma boa autonomia de uso para quem prefere ficar bastante tempo longe da tomada.

Motorola Moto G9 Power
G9 Power prioriza autonomia de uso / © Motorola / Montagem: NextPit

Realme 7: o melhor celular para redes sociais

Novata no mercado brasileiro, a chinesa Realme já chegou mostrando porque é a fabricante de smartphones que mais cresce no mundo. A política agressiva de lançamentos da marca ainda não pode ser notada pelos brasileiros, mas o Realme 7 traz um bom equilíbrio entre preço e recursos, especialmente enquanto não chega o Realme 8.

O intermediário chinês traz uma interessante tela LCD de 6,5 polegadas, com taxa de atualização de 90 Hz (característica que infelizmente ficou de fora do seu sucessor, que adotou uma tela AMOLED). Além disso, conta com uma generosa bateria de 5.000 mAh e o carregador Dart de 30 W.

NextPit Realme 7 Pro screen
Realme 7 conta com câmera de 64 megapixels na versão brasileira / © NextPit

Samsung Galaxy M51: o melhor celular para uso a longo prazo

Um dos campeões de venda da marca sul-coreana no Brasil, o lugar ocupado pelo Galaxy A71 na atualização anterior da lista foi devolvido ao seu merecido ocupante, o Galaxy M51. A disponibilidade do aparelho tem variado um pouco no Brasil, então caso o estoque acabe, o Galaxy A71 é praticamente o mesmo smartphone, apenas com uma menor capacidade de bateria.

Dentro da linha intermediária da Samsung, o M51 (assim como o A71) se destaca do A51 por contar com um processador mais moderno (e econômico), uma tela maior, com 6,7 polegadas, além de upgrades em câmera e bateria, com 64 megapixels e 7.000 mAh (4.500 mAh no A71), respectivamente — contra 6,5 polegadas, 48 MP e 4.000 mAh do Galaxy A51.

Mesmo com a chegada da linha 2021 da Samsung no Brasil, os preços do sucessor Galaxy A72 ainda não caíram para os atuais R$ 1.800 pedidos no Galaxy A71. De qualquer maneira, o trio M51/A51/A71 está na lista de modelos que ainda têm praticamente mais três anos de atualizações de segurança.

AndroidPIT Samsung Galaxy A71 front
Galaxy M51 está na lista da Samsung de aparelhos que receberão atualizações de segurança por 4 anos / © NextPit

Samsung Galaxy S20 FE: para uma experiência de flagships

O Galaxy S20 FE foi lançado no final de 2020 como uma espécie de turnê de despedida da linha S20. O celular traz os principais recursos da família premium da Samsung com um preço reduzido (e algumas características deixadas de lado). Ele é a nossa recomendação para quem quer ter um modelo de um segmento superior, mas vai acompanhada de alguns asteriscos.

Ao que tudo indica, a Samsung está liquidando os estoques do modelo (SM-G780F), em preparação para a chegada de uma versão atualizada, equipada com o processador Snapdragon 865+ (SM-G780G) — inclusive já certificada junto à Anatel e com página de suporte no site brasileiro (dica do Vinicius nos comentários).

O chip Exynos 990, usado no modelo "F", oferece um desempenho inferior e maior consumo de bateria que o Snapdragon, mas nada garante que os preços atuais sejam mantidos para a nova revisão. Ainda assim, a performance é melhor que as outras sugestões Android na lista, o que garantiu a inclusão do atual Galaxy S20 FE.

samsung galaxy s20 fe front
Tudo indica que o S20 FE 4G deve ganhar nova revisão no Brasil, mas preço ainda é um mistério / © Samsung

Samsung Galaxy XCover Pro: o celular para o que der e vier

Nome que não costuma ser mencionado nas listas do tipo — só aceitei atualizar esta página se pudesse incluir esse modelo —, o XCover Pro é um aparelho voltado mais para o segmento corporativo, só que do tipo "chão de fábrica". O aparelho conta com acabamento emborrachado, ao melhor estilo Motorola Defy (saudades...), com direito a resistência à quedas, água, poeira (e sobrinhos)...

O projeto dispensa o uso de capinhas de proteção, e mais importante do que isso, não abre mão das especificações, com o mesmo processador intermediário Exynos 9611 usado no Galaxy A51, câmera dupla (principal de 25 MP e ultrawide de 8 MP), bateria removível (!) e o mesmo suporte estendido da Samsung para quatro anos de atualizações de segurança.

Galaxy XCover Pro EForm 2
Longe de ser um smartphone bonito, o XCover foi projetado para ser resistente / © Samsung

Xiaomi Poco X3 NFC: o melhor para jogos por menos de R$ 2.000

Na faixa intermediária de preço desta lista, temos o Poco X3 NFC. Para quem gosta de especificações, o modelo da Xiaomi é o que conta com o processador mais rápido entre os modelos abaixo de R$ 2.000 — o Snapdragon 732G. Apesar da diferença de desempenho não ser muito grande em relação aos rivais diretos, ela pode fazer a diferença em games. E você não vai querer botar a culpa da derrota em 100 MHz, né?

Brincadeiras à parte, o Poco X3 cravou seu espaço nesta lista por uma característica ainda mais especial, sua tela LCD de 6,67 polegadas. Mais até do que o tamanho, ela se destaca pela taxa de atualização de 120 Hz, que oferece animações mais suaves na tela, além de ajudar nos games também. Fora isso, o smartphone conta com câmera quádrupla, bateria de 5.160 mAh e carregador com fio de 33 W.

poco x3
Não é exatamente o sucessor do Poco F1, mas faz o mesmo no segmento intermediário / © Xiaomi

Xiaomi Redmi Note 10: o campeão de vendas?

Para a disputada temporada 2021 do segmento de smartphones intermediários, a Xiaomi colocou um verdadeiro esquadrão em campo com a linha Redmi Note 10. E o modelo de entrada já está à venda no Brasil pela loja oficial da marca.

O Redmi Note 10 tem a difícil tarefa de manter a família na lista dos celulares mais vendidos no ano, como aconteceu em 2019 e 2020. Para isso, a Xiaomi trouxe novidades importantes ao modelo — diferente do que aconteceu com o rival Realme 8 Pro, por exemplo —, incluindo um painel AMOLED para a tela de 6,43 polegadas, recarga de 33 W e um processador Snapdragon mais eficiente que o Helio G85 usado no antecessor.

O conjunto de câmera quádruplo traz a mesma configuração de 64 + 8 + 2 + 2 megapixels (principal, ultra-wide, macro e profundidade) do Redmi Note 9, mas traz novos recursos graças à personalização MIUI. Apesar da disponibilidade limitada no Brasil, o Note 10 já traz preços competitivos frente aos rivais diretos da linha Galaxy A 2021.

Redmi Note 10
Redmi Note 10 promete ser um dos campeões de venda da marca chinesa em 2021 / © Xiaomi

E aí, qual é o seu intermediário favorito da nossa seleção? Tem alguma outra sugestão? Conte mais nos comentários!


Artigo atualizado em junho de 2021. Comentários anteriores podem fazer referência a modelos removidos ou com preços alterados posteriormente.

ÚLTIMOS ARTIGOS

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.