NextPit

Review do Galaxy Z Fold 3: a aposta da Samsung valeu a pena

Atualizado: review completo!
NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 test Antoine
© NextPit

O Samsung Galaxy Z Fold 3 é o melhor smartphone dobrável do mercado, mas será que ele tem o suficiente para ser o melhor celular do mercado? Neste teste, dou minha opinião sobre o novo dobrável da Samsung.

NextPit Logo white on transparent Background
NEXTPITTV

Avaliação

Prós

  • As 2 telas bem calibradas de 120 Hz
  • Design bem sucedido e à prova d'água (IPX8)
  • Formato híbrido bem aproveitado
  • OneUI e modo Flex, uma combinação perfeita
  • Boas fotos durante o dia
  • Sem entalhes ou recortes na tela principal
  • 3 atualizações do Android, 4 anos de patches de segurança

Contras

  • Conjunto fotográfico não inova
  • Câmera de selfie sob a tela decepciona
  • Autonomia é apenas OK
  • Carga rápida muito lenta
  • Gargalo térmico de desempenho (mas sem superaquecer)
  • Preço ainda alto

Samsung Galaxy Fold 3 direto ao ponto

O Samsung Galaxy Z Fold 3 está disponível em pré-venda no Brasil em duas configurações, 12/256GB e 12/512GB, com preços sugeridos de R$ 12.799 e R$ 13.799 respectivamente (R$ 11.519 e R$ 12.419 à vista).

Isso é menos do que os R$ 13.999 pedidos no lançamento do Galaxy Z Fold 2 no ano passado, que um ano depois pode ser encontrado por cerca de R$ 8.000. Tecnicamente, o Galaxy Z Fold 3 não dá nenhum salto tecnológico real, mas é definitivamente um produto melhor.

A tela dupla não tem entalhes ou recortes quando aberta, graças a uma câmera de selfie escondida sob a tela. O Galaxy Z Fold 3 é compatível com a S-Pen e traz taxa de atualização de 120 Hz mesmo na tela externa. É também o primeiro celular com tela dobrável a ter a certificação IPX8 para resistência à água de até 1,5 metros por 30 minutos.

Em nosso teste completo do Galaxy Z Fold 2 no ano passado, concluí o texto de mais de 5.000 palavras explicando que o celular dobrável me fez sonhar e que era o melhor carro-chefe, o único carro-chefe verdadeiro no mercado. Um ano depois, o Galaxy Z Fold 3 só confirmou esta ideia.

A gama de aparelhos dobráveis da Samsung está totalmente madura com esta terceira geração, o conceito está finalmente estabelecido e haverá realmente um antes e depois do Galaxy Fold 3 no mercado. Pelo menos para mim.

Design e tela: mais resistente, melhor acabamento e à prova d'água

O Samsung Galaxy Z Fold 3 não muda muito visualmente, mas tem um design mais refinado do que o Galaxy Z Fold 2.


Gostei:

  • A versatilidade celular/tablet;
  • Classificação IPX8;
  • Tela interna sem qualquer entalhe;
  • Brilho máximo de 900+ nits;

Não gostei:

  • Tela externa apenas Full HD;
  • Proporção 24,5:9 da tela externa é um pouco estreita demais;
  • Vinco muito perceptível na tela principal.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 display
O celular privilegia quem tem mãos grandes / © NextPit

Design mais marcante e visual elegante

Naturalmente, o Galaxy Z Fold 3 é maciço com suas 271 gramas e suas dimensões de 158,2 x 128,1 x 6,4 mm aberto e 158,2 x 67,1 x 14,4-16 mm quando fechado. Mas isso se justifica pelo formato, o jeito é caprichar nas flexões e trabalhar melhor a musculatura.

Pessoalmente, fui totalmente conquistado por este formato. Nem liguei em carregar o aparelho no bolso da minha calça jeans skinny, apesar da patrulha da moda torcer o nariz para a combinação.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 side
O leitor de impressão digital sob o botão de liga/desliga é ágil e preciso / © NextPit

A Samsung otimizou seu design reforçando a estrutura e a dobradiça de alumínio em relação ao ano passado. A cor Phantom Black e o acabamento fosco nas traseiras e nas bordas agrada aos olhos e ao toque. O fato de o Galaxy Z Fold 3 ter certificação IPX8 também vale destacar, já que você não precisa mais se preocupar em espiar o celular na chuva.

O Galaxy Z Fold 3 tem Gorilla Glass Victus na frente e atrás e a Samsung promete que sua tela interna é 80% mais forte. No entanto, isto não impede de notar o (muito) nítido vinco da tela desde o primeiro uso. Eu sei que isto é um empecilho para muita gente.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 display fold
A dobra na tela do Z Fold 3 ainda é muito visível / © NextPit

Uma câmera de selfie "escondida" para maior imersão

Outro ponto positivo, após a redução do enorme entalhe do primeiro Fold para um simples recorte circular no Z Fold 2, agora temos uma tela sem nenhuma interrupção. Uma demonstração de força possibilitada pela integração de uma câmera de selfie sob a tela. A tecnologia ainda não está madura e se você prestar um pouco de atenção, pode reparar na lente fotográfica, já que os pixels sobre ela são menos densos para deixar a luz passar.

Mas para a imersão dos conteúdos de vídeo, é uma vantagem. Especialmente porque tanto a tela principal quanto a tela externa têm uma taxa de atualização de 120 Hz. O formato de 7,6 polegadas da tela interna é realmente ideal, na minha opinião. É ligeiramente menor que um iPad mini 6 e permite que você tire o máximo proveito da definição QHD+ (2.208 x 1.768 pixels) no formato 22,5:18.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 under display camera
O fundo branco deixa a câmera sob a tela muito visível, mas na realidade você dificilmente pode vê-la se você não procurar / © NextPit

O brilho máximo anunciado pela Samsung é de 1.200 nits. De acordo com os testes que vi, são cerca de 920 nits no máximo, o que ainda é muito bom.

A única falha que realmente poderia ser notada nas telas é que a tela externa só oferece uma resolução Full HD. É verdade, é uma tela secundária ou mesmo de suporte, mas a Samsung poderia ter feito melhor. Também ainda acho difícil usar a tela secundária confortavelmente com meus dedos gordos.

Idealmente, eu gostaria que a tela externa fosse maior porque acabei usando o celular fechado com bastante frequência, especialmente no transporte público ou na rua, onde eu hesitava em abrí-lo para evitar olhares (ou ser roubado).

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 external display
A tela externa merecia ser mais do que apenas uma tela extra / © NextPit

O design e mais precisamente o formato 2 em 1 do Samsung Galaxy Z Fold 3 é claramente uma característica matadora na minha opinião, embora não tenhamos nenhum ponto de comparação sólido com a concorrência. Mas realmente parece uma classe diferente de produto em suas mãos, otimizado para o consumo multimídia. O design mais sólido e agora impermeável me dá total confiança na relevância do formato dobrável.

Interface: OneUI + Modo Flex = multitarefa intuitiva

O Samsung Galaxy Z Fold 3 roda o Android 11 com a OneUI na versão 3.1.1 exclusiva para os celulares dobráveis da gigante sul-coreana.


Gostei:

  • OneUI ainda é a melhor opção para multitarefa;
  • O Modo Flex é mais do que uma mera perfumaria;
  • Suporte à caneta S-Pen (não testado);
  • 3 versões do Android e 4 anos de patches de segurança.

Não gostei:

  • Caneta S vendida separadamente;
  • Sem lugar para armazenar a caneta S.

Não vou me alongar nas qualidades da OneUI, pois falo regularmente sobre isso em outras análises e pouca coisa muda de forma geral nos smartphones dobráveis da Samsung. Entretanto, eu acho muito legal que a empresa separe a interface na tela externa e a da tela principal, para que você possa personalizá-las independentemente uma da outra.

Dan Liu
Interface da OneUI 3.1.1
Istvan Kerekes
Barra lateral da OneUI 3.1.1

Há também os bons recursos da One UI de janelas pop-up e tela dividida, que permitem uma ótima experiência multitarefa. Combinado com a tela principal de 7,6", é realmente a combinação perfeita para usuários avançados. Por exemplo, você pode exibir até 5 apps em janelas ao mesmo tempo e criar rapidamente pares (e trincas) de aplicativos a partir da Samsung Edge Screen, um painel multifunções oculto no lado direito da tela. É intuitivo e completo, em resumo, não tenho nada do que reclamar.

Dan Liu
OneUI 3.1.1 - janela pop-up
Istvan Kerekes
OneUI 3.1.1 - multi janelas pop-up
Istvan Kerekes
OneUI 3.1.1 - tela dividida

Também não vou me alongar no modo Flex e no recurso de continuidade de aplicativo (que muda um aplicativo da tela principal para a tela externa). Dediquei um artigo separado a isto com vários vídeos para mostrar os diferentes cenários de uso. Ao contrário do que pode parecer, trata-se de uma ferramenta útil e, com o tempo, justificará plenamente o novo formato liderado pela Samsung.

Por último, mas não menos importante, a Samsung promete pelo menos 3 grandes versões do Android para o Galaxy Z Fold 3 (Android 12, Android 13 e Android 14), bem como 4 anos de atualizações de segurança.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 opened display
O Flex Mode do Samsung Galaxy Z Fold 3 é realmente útil no dia a dia / © NextPit

Desempenho: Snapdragon 888, como você já conhece

O Samsung Galaxy Z Fold 3 traz o Snapdragon 888 da Qualcomm juntamente com a Adreno 660 GPU juntamente com 12GB de RAM.


Gostei:

  • Desempenho bruto, todos os jogos rodam em "ultra";
  • Sem sobreaquecimento brutal (o telefone não queima em suas mãos).

Não gostei:

  • Perda de frames na tampa e/ou tela principal e vice-versa;
  • Gargalo térmico progressivo, mas consistente (cai lentamente, mas por muito).

Ctrl+C/Ctrl+V em cada seção de desempenho de um celular (não-gamer) com Snapdragon 888. E poderia parar aqui.

Muito rapidamente, as pontuações de benchmark da CPU não se destacam dos rivais e estão abaixo da maioria dos Androids flagships lançados em 2021. Você pode habilitar um recurso de "processamento avançado" para aumentar um pouco o desempenho e ele está muito bem escondido no utilitário da bateria.

No lado da GPU, o desempenho é semelhante, exceto que o Galaxy Z Fold 3 luta para lidar com a transição dos cálculos gráficos de uma tela - dobrada ou desdobrada - para a próxima. A resolução de 1768 x 2208 da tela interna tortura a GPU e o celular luta para manter uma taxa de quadros estável de 60 fps em jogos compatíveis.

Às vezes, a tela externa também dá sinais de que o aparelho está se esforçando para manter o desempenho. Há um estrangulamento térmico, isso é certo. Mas eu não notei nenhuma queda repentina ou outras grandes quedas na taxa de quadros.

Galaxy Z Fold 3

Benchmarks gráficos
Benchmarks Samsung Galaxy Z Fold 3 Xiaomi Mi 11 Ultra Samsung Galaxy S21 Ultra
3DMark Wild Life 5.683 5.621 7.373
3DMark Wild Life Stress Test 5.531 Falha, superaquecimento 5.175
Geekbench 5 (single / multi) 1.095 / 3.239 1.123 / 3.619 942 / 3.407

PassMark RAM

31.953 30.460 31.752

PassMark armazenamento

101.744 115.473 81.108

Bem, esses são os benchmarks. Em uso real, pude jogar meus jogos habituais como Call of Duty: Mobile com gráficos no ultra e framerate máximo sem nenhum problema. Não estava sempre a 60 fps constantes, mas a experiência foi tranquila no geral. Obviamente, não há problemas para o uso com aplicativos de escritório e do cotidiano.

O Samsung Galaxy Z Fold 3 não é um Ultra Flagship em termos de desempenho. É uma pena para um celular vendido por mais de R$ 10.000, mas ainda é um dispositivo topo de linha, não me interpretem mal. Há melhores por aí, mas ele claramente não é ruim.

Foto: sensores dignos de um Galaxy Note 10+

O Samsung Galaxy Z Fold 3 possui um módulo de câmera triplo de 12 MP com uma lente teleobjetiva capaz de zoom óptico 2x, bem como duas câmeras de selfie, uma delas escondida sob a tela.


Gostei:

  • Módulo fotográfico versátil;
  • Lente teleobjetiva dedicada;
  • Boa faixa dinâmica durante o dia;
  • Colorimetria não natural, mas bem aplicada (uma questão de gosto).

Não gostei:

  • Modo noturno decepcionante;
  • Colorimetria não natural (uma questão de gosto);
  • Câmera de selfie sob a tela muito limitada.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 camera
O módulo de câmera triplo de 12MP é a parte menos inovadora do Samsung Galaxy Z Fold 3 / © NextPit

Samsung Galaxy Z Fold 3 fotos com a lente principal

A lente principal da câmera do Galaxy Z Fold 3 conta com um sensor Sony IMX555 de 12MP com foco automático de detecção de fase dupla (PDAF) e estabilização óptica de imagem (OIS). Quase nada mudou em relação ao Galaxy Z Fold 2 do ano passado.

À luz do dia e com a grande angular, senti como se tivesse tirado fotos com um Galaxy S20. A renderização é muito boa, a faixa dinâmica é bastante ampla e a colorimetria, embora não seja muito natural (muito menos do que em um iPhone, por exemplo), é bastante satisfatória aos meus olhos como um expert fotográfico que gosta de processamento de imagem bastante agressivo (sem gostar de saturação excessiva também).

Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 1x
Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 1x

Samsung Galaxy Z Fold 3 fotos em ultra-angular

Com a lente ultra-angular, notei imediatamente uma renderização suave durante o dia e com muito ruído em condições de pouca luz e inutilizável à noite. Falta nitidez e detalhes às fotos assim que a faixa dinâmica se torna um pouco mais complexa (mais sombras, etc...).

Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Ultra-angular 12 MP x0,6
Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Ultra-angular 12 MP x0,6

Samsung Galaxy Z Fold 3 fotos com a lente teleobjetiva

A teleobjetiva dedicada da Samsung Galaxy Z Fold 3 é capaz de zoom óptico 2x e a Samsung pode forçar uma ampliação híbrida de até 10x. O sensor capta menos luz do que os outros dois, por isso oferece uma renderização mais natural que pode agradar alguns, mas não combina com as outras lentes. A perda de detalhes é insignificante em 2x ou mesmo 4x. Mas como a ultra-angular, as fotos não são realmente utilizáveis à noite.

Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 1x
Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 1x

Zoom:

Dan Liu
Lente principal 12 MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 2x
Dan Liu
Lente principal 12 MP 5x
Istvan Kerekes
Lente principal 12 MP 10x

Samsung Galaxy Z Fold 3 fotos noturnas

À noite, o Samsung Galaxy Z Fold 3 tem reconhecimento de cena que aplica um modo noturno 'leve' padrão às suas fotos assim que as condições de pouca luz são atendidas. No entanto, você também pode mudar para o modo noturno dedicado que ilumina ligeiramente a cena. No geral, não fiquei impressionado com a renderização noturna.

O reconhecimento da cena e seu Night Mode Lite é geralmente insuficiente para tornar a filmagem mais visível. E o modo noturno dedicado, embora às vezes bastante eficaz, às vezes também faz com que a foto pareça menos natural.

Dan Liu
Lente principal 12MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12MP 1x
Dan Liu
Lente principal 12MP 1x
Istvan Kerekes
Lente principal 12MP 1x

Portanto, o modo noturno dedicado funciona bem em termos de iluminação da cena e é, sem trocadilho, uma diferença da noite para o dia em comparação com as fotos capturadas sem o modo noturno e reconhecimento da cena, como você pode ver abaixo. Os efeitos de ofuscamento das luzes da cidade também são bastante atenuados.

Mas em geral, achei o nível de detalhes insuficiente e a suavização digital (para reduzir o ruído da imagem) muito pronunciada, fazendo com que a foto perdesse a nitidez.

Dan Liu
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno ligado
Istvan Kerekes
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno desligado
Dan Liu
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno ligado
Istvan Kerekes
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno desligado
Dan Liu
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno ligado
Istvan Kerekes
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno desligado
Dan Liu
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno ligado
Istvan Kerekes
Câmera principal 12 MP 1x - Modo Noturno desligado

O Samsung Galaxy Z Fold 3 não é o melhor smartphone fotográfico do mercado, muito pelo contrário. Eu diria que é mais próximo de um flagship de 2020 ou mesmo do final de 2019 como um Galaxy S20 ou mesmo o Galaxy Note 10+. Aqui novamente, a Samsung parece estar refém do formato (é difícil integrar hardware mais sofisticado sem tornar o celular mais volumoso). Mas por R$ 11.000, não serve como desculpa e ainda é um argumento que manterá o público mais exigente longe desta nova categoria de produtos.

Duração da bateria: um dia, não mais

O Samsung Galaxy Z Fold 3 pack uma bateria de 4.400 mAh que suporta 25 Watts de carregamento com fio e 11 e 4,5 Watts de carregamento sem fio e sem fio reverso, respectivamente.


Gostei:

  • Autonomia decente da bateria;
  • O utilitário de bateria abrangente.

Não gostei:

  • Carregador não incluído;
  • Carregamento com e sem fio muito lento.


NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 back
A bateria de 4400mAh do Fold 3 segura surpreendentemente bem as duas telas AMOLED de 120Hz e o Snapdragon 888 / © NextPit

Com duas telas AMOLED de 120 Hz e o Snapdragon 888 para alimentar, você pode até pensar que uma bateria de 4.400 mAh é ridiculamente insuficiente.

No uso real, encontrei em média mais de 12 horas antes da capacidade cair para menos de 10% com uso misto aberto e fechado. Em uso aberto prolongado, a bateria do Galaxy Z Fold 3 drena muito mais rápido e fiquei abaixo dos 10% de carga restante da bateria após pouco mais de 8 horas. Isso é o suficiente para aguentar um dia no escritório, mas não o suficiente para um dia inteiro.

Dan Liu
Meu uso médio
Istvan Kerekes
Meus últimos dias de uso, com 5 horas de tempo de tela (videochamadas)
Istvan Kerekes
Meus últimos dias de uso, com 4h de tempo de tela (videochamadas+jogos)

O carregamento é muito lento. 20W já era quase defasado em 2020 e isso claramente dificulta minha experiência de uso, acostumado com os 65 Watts do OnePlus, por exemplo. 50 minutos para uma carga completa é demais.

Em suma, meu uso foi realmente irresponsável em termos de energia. As duas telas em 120 Hz, o Always-on-display sempre ativado e um uso principalmente no modo tablet (mais energia consumida) com muitas chamadas de vídeo e jogos. Mas é preciso reconhecer que o resultado fica abaixo do que encontramos no segmento high-end. Dura um dia, não mais.

Especificações técnicas detalhadas

  Ficha técnica
Produto
Foto Apple iPhone 13
Tela principal 7,6 polegadas AMOLED, proporção 22,5:18, QXGA+ (2208 x 1768 pixels), taxa de atualização de 120 Hz
Tela externa 6,2 polegadas AMOLED, proporção 24,5:9, (2268 x 832 pixels), taxa de atualização de 120 Hz
Processador Snapdragon 888
Memória 12 GB / 256 GB
12 GB / 512 GB
Micro SD Não
Dual SIM Sim (SIM1 + SIM2 ou SIM1 + eSIM)
Câmera principal 12 MP | f/1.8 | 26mm | 1/1.76" | 1.8µm | Dual Pixel PDAF | OIS
Ultra-angular 12 MP | f/2.2 | 123˚ | 12mm | 1.12µm
Teleobjetiva 12 MP | f/2.4 | 52mm | 1/3.6" | 1.0µm | PDAF | OIS | 2x zoom óptico
Vídeo Máximo: 4K a 60 fps | 1080p a 60/240 fps (gyro-EIS) | 720p a 960 fps (gyro-EIS) | HDR10+
Selfie (sob a tela) 4 MP | f/1.8 | 2.0µm
Selfie (externa) —10 MP | f/2.2 | 26mm | 1/3" | 1.22µm
Áudio Alto-falantes estéreo, Dolby Atmos, Music Share
UWB Sim
Bateria 4.400 mAh
Carregamento com fio Máximo 25 watts
Sem fio & recarga reversa Máximo 11 watts e 4,5 watts
Preço R$ 12.799 (R$ 11.519 à vista)

Conclusão

O Galaxy Z Fold3 passou por uma revisão quase completa e está muito melhor.  Passei pouco tempo com o dispositivo para poder afirmar que a nova versão é um verdadeiro upgrade, mas à primeira vista tudo parece melhor. Algumas características, no entanto, não mudaram, como o fato do Android e da OneUI não conseguirem cruzar o limite entre o software para celular e software para tablet.

Este anúncio também deixa claro que não teremos um novo Galaxy Note em 2021, pois a S Pen chegou à série Fold, como esperado. Outra importante decisão foi colocar o Snapdragon 888 neste super dispositivo, dando mais opções de escolha entre os modelos da série Galaxy S e Fold.

Não vou me lançar aqui em elogios e superlativos como fiz com o Galaxy Z Fold 2 no ano passado (a menos que a Samsung me deixe ficar com o Galaxy Z Fold 3, #ficadica). Mas o Samsung Galaxy Z Fold 3, apesar de suas falhas, é o único celular que não achei entediante neste ano.

O Galaxy Z Fold 3 é a coroação de um conceito, um produto maduro. Sim, ainda é caro. Mas honestamente, é o único smartphone que eu estaria disposto a comprar com meu próprio dinheiro em 2021.

Mantenham seus iPhones 13 e outros Xiaomi-edição-lite-youth-S-ou T, não estou mais interessado nesses tijolos de vidro. Seu iPhone 13 Pro Max pode se transformar em uma tenda para mostrar vídeos, certo? Foi isso o que pensei.

NextPit Samsung Galaxy Z Fold 3 hinge speaker
Já dizia a rainha, V de vitória, a vitória de um conceito que poderia ter sido simplesmente abandonado após o lançamento fracassado do primeiro Fold / © NextPit

Falando sério agora, considerando o preço de R$ 12.800, que é R$ 1.300 a mais que o iPhone 13 Pro Max de 256 GB, as imperfeições do Galaxy Z Fold 3 são quase imperdoáveis. O módulo de câmera sem ambição, a vida útil da bateria só suficiente e o desempenho igual a todo o segmento topo de linha Android são concessões quase inaceitáveis a esse preço.

Pessoalmente, vejo isto como o início da democratização dos celulares dobráveis. A Samsung conseguiu causar um burburinho com os dois primeiros Fold, os flagships dos flagships. Agora é hora de iniciar a transição para mais dobrável, saindo do segmento ultra premium e oferecendo um catálogo mais abrangente de dobráveis

No fundo, este formato híbrido me parece tão relevante que não vejo como poderemos continuar satisfeitos com o formato atual dos celulares "normais". Não vou me aventurar a prever o futuro dizendo que este é o futuro dos SmArTpHoNeS. Mas para mim, a Samsung conseguiu legitimar totalmente esta categoria de produtos.

Os links compartilhados neste artigo são links de afiliados. Isso significa que o NextPit obtém uma pequena participação nos lucros se você comprar produtos através deles. Isso não gera custos adicionais para você e não tem nenhuma influência sobre o conteúdo editorial do site. Saiba mais sobre como monetizamos o site na nossa página de transparência.
Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

Artigos recomendados

14 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Pedro Martins há 10 meses Link para o comentário

    Sério que 50 minutos para uma carga é demais?


  • Andre Matos há 10 meses Link para o comentário

    Apaixonado pelo aparelho! Só falta a grana para comprar um.


  • Soterio Salles há 10 meses Link para o comentário

    Considerando que o aparelho tem uma segunda tela eu nunca iria nem chegar perto da câmera sob o display dele... Todo aparelho com essa tecnologia até agora só nos mostra que ainda vai levar um bom tempo pra valer a pena.
    Pra mim o aparelho não é interessante, eu torço mais pela proposta dos smartphones flip e não dos que viram tablet mas pra quem busca produtividade junto da S-Pen deve ser uma ótima opção.


    • Rubens Eishima há 10 meses Link para o comentário

      eu tava esperando os celulares com tela retrátil...
      mas não tava disposto a comprar um LG pra isso, :p
      agora que ela saiu do mercado, o jeito é continuar sonhando (e guardando o dinheiro)


  • Jairo rios há 10 meses Link para o comentário

    Belo review, gostei da evolução, mas pelo cobrado é inviável para mim.


  • Camila Rinaldi
    • Admin
    • Equipe
    há 10 meses Link para o comentário

    Review atualizado! Compartilha aí o que vocês acharam do aparelho!


  • Lucas N. 14/08/2021 Link para o comentário

    Cara...

    Hoje eu possuo um Galaxy S10, e confesso que demorou tempo demais para eu confiar nele. Eu venho de muitas trocas (muitas trocas mesmo), sempre migrando entre fabricantes e modelos diversos, mas a principal razão pra isso era a confiança, algo que eu não encontrava. Até achar neste smartphone. Beleza.
    Hoje em dia, eu creio que qualquer usuário inteligente busque, independente de desempenho, inovação ou estrutura de design, confiança: um aparelho que atenda a todas as suas necessidadas e passe uma sensação real de segurança, fazendo com que o seu dono se sinta livre para explorar todos os seus recursos, conhecendo bem os seus limites. E é assim que me sinto com esse smartphone.
    Seria difícil pra mim migrar para um Galaxy Z Fold3 hoje em dia pois o meu aparelho me atende em praticamente tudo, já que foi 100% explorado por mim. E só de saber que há um trabalho imenso em se adaptar a uma nova plataforma para os meus dados, dá uma certa canseira.

    O Z Fold 3 é maravilhoso, cara. Há tempos eu me imagino com ele. Mas acredito que ele ainda não esteja tão maduro, o que colocaria a minha confiança em xeque. Para eu pular em um aparelho hoje em dia, preciso acompanhar a sua evolução por, no mínimo, um ano (prazo para resolução de erros, aprimoramentos de desempenho e correção de bugs). E sair de um aparelho confiável que possui estabilidade garantida para um recém-lançado que pode apresentar problemas não é uma boa. Então, de momento, não trocaria.


  • Paulo Ricardo 12/08/2021 Link para o comentário

    Uma pergunta: Os dobráveis como o Z Fold, Mate X e Mix Fold são celulares que viram tablet ou o contrário?
    Já li que eles devem ser encarados como tablets que viram celular, pois são mais indicados para quem já tem o costume de usar tablets, já que usuários comuns, por praticidade, acabam abrindo ele pouco e usando só a tela externa. Não sei se isso procede, e pois nunca usei um.


    • Camila Rinaldi
      • Admin
      • Equipe
      12/08/2021 Link para o comentário

      Boa pergunta, Paulo. Na realidade, conversando com um PR da Samsung no evento, o que foi dito é "dispositivo "2 em 1". A questão é que me parece ainda aberta por conta do software, pois minha experiência parece ser "usar um celular em uma tela maior" e é isso que sinto nos dobráveis, a experiência é de celular, em tela maior, mas a adaptação do software ainda deixa a desejar na minha opinião. Talvez precise de alguns meses usando como meu celular diário para entender isso melhor.


  • Paulo Ricardo 12/08/2021 Link para o comentário

    Esse lance de porcentagem é um perigo. Lido assim sem parâmetros 80% pode parecer muito. Mas são 80% de quanto? Se for de muito pouco, ainda será pouco. Essa linha era pouco resistente, então, 80% de nada, ainda é nada.
    Fora isso, sou muito animado com os dobráveis, espero que vinguem e barateiam. Ainda estão fora da minha realidade, mas quem sabe daqui uns 2 anos os preços melhorem. Tudo indica que sim.
    Ótimo hands on, fazia tempo que não lia um. Hoje em dia a gente só assiste.


    • Camila Rinaldi
      • Admin
      • Equipe
      12/08/2021 Link para o comentário

      Obrigada, Paulo! E sim, você tem razão, é uma questão de perspectiva mesmo. Vou buscar mais informações referentes a essa mudança para o review. Mas de fato, é uma relação comparativa como o modelo anterior, então teríamos que colocar lado a lado para entender se existe mesmo uma diferença notável, já que o número é tão grande.

      Mas uma coisa é certa, dá para perceber o quanto a área de telas dobráveis tem a crescer.


  • Jairo rios 11/08/2021 Link para o comentário

    Não trocaria , o preço é exorbitante .


    • Camila Rinaldi
      • Admin
      • Equipe
      12/08/2021 Link para o comentário

      Pois é, nós temos a questão das taxas e impostos no Brasil, que torna algo caro ainda mais caro. Como ainda não sabemos os valores dos aparelhos no Brasil, não me aprofundei nessa questão, mas logo, logo a Samsung irá divulgar e podemos entender como se encaixa em relação aos celulares flagships vendidos no país.

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.