NextPit

Vencedores e perdedores: Fairphone e a fragmentação do Android

Vencedores e perdedores: Fairphone e a fragmentação do Android

A fragmentação do Android divulgada pelo Google nessa semana evidencia, entre outras coisas, a incapacidade das fabricantes de construir um melhor sistema de suporte para atualizações em mais de 10 anos e a hipocrisia por trás do discurso de sustentabilidade. Por isso, o grande perdedor dessa semana são os "26,5%"!

Já do lado do vencedor, a Fairphone prova que com empenho e ajuda da comunidade de desenvolvedores é possível contornar problemas de longa data como a fragmentação do Android!

Mas antes de falarmos sobre os vencedores e perdedores da semana, compartilho abaixo cinco destaques da cobertura do NextPit nos últimos dias:

Perdedor da semana: os 26,5%

Eu comecei minha carreira como jornalista da área de tecnologia em uma época em que as atualizações do sistema operacional Android eram motivo de briga entre familiares e amigos. Algo quase comparável às eleições presidenciais de 2018. Para fazer uma pintura mais clara do quadro, meu celular rodava o Android 2.3.3 Gingerbread quanto esta era a versão mais popular do SO.

Se bem que este foi um mau exemplo, pois o Gingerbread se manteve no topo por anos. E, talvez por isso, porque o Google já não aguentava mais passar mensalmente pela humilhação de ver o Android 2.3.3 entre as versões com participação na distribuição do sistema operacional, em 2018, a lista de fragmentação do sistema passou a ser divulgada apenas uma vez no ano.

(Aliás, culpo a popularidade do Samsung Galaxy Y pela manutenção do Gingerbread na lista por tanto tempo.)

NextPit slow android hero
Desde sempre as atualizações do Android foram um problema / © NextPit

Nessa semana, mais uma lista da vergonha foi publicada pelo Google. Nela, o Android 10, anunciado em 2019 aparece com 26,5% da distribuição do sistema, ou seja, a maior fatia do bolo. Em segundo lugar, temos o Android 11 (2020) e, em terceiro, o Android 9 (2018). A essa altura, parece que o Google escolhe soltar as informações da fragmentação do Android nesta época do ano apenas para colocar as fabricantes em xeque.

Pois, veja bem, a lista podia muito bem ser divulgada antes do anúncio da nova versão do sistema operacional, dado que apenas os smartphones Pixel estavam rodando com o Android 12 na época em que os dados foram coletados na Google Play Store. E convenhamos, apesar do Google se esforçar para dizer o contrário, não são muitos modelos Pixel que vemos por aí!

Agora, piadas a parte, esse é um problema grave, pois salvas exceções, são poucas as fabricantes que continuam enviando patches de segurança depois de três anos do lançamento dos aparelhos. Logo, muitos celulares rodando com o Android 9 (18,2%) estarão suscetíveis a falhas de segurança no ano que vem.


RELACIONADOS


E por mais que muitas pessoas tenham criticado os dados desta lista oficial nos últimos dias, tendo escolha, acredito que ninguém optaria por permanecer com um celular rodando um software sem suporte de updates de segurança.

Logo, o que eu não quero para mim, eu não desejo para os outros, pois as informações armazenadas no meu celular são de extrema importância, e fabricantes de smartphone deveriam oferecer suporte mais rápido e por mais tempo, afinal de contas, são as primeiras a levantar a bandeira da sustentabilidade quando lançam um novo smartphone.

Bem, deixe-me dizer algo: oferecer suporte para que as pessoas permaneçam com seus celulares por mais tempo também é uma ação direta para diminuir o impacto causado pela tecnologia no mundo!...

Vencedor da semana: Fairphone e a comunidade de desenvolvedores

... Felizmente, a Fairphone coloca tudo isso em perspectiva ao anunciar o programa de testes beta do Android 10 para o Fairphone 2, lançado em 2015. Com a ajuda da comunidade de desenvolvedores — sim, exclua a Qualcomm desta lista —, a empresa vai enviar a quarta atualização de software para o Fairphone 2, anunciado há seis anos.

Logo, se com estrutura e suporte extremamente limitados a Fairphone consegue manter as atualizações de software para um celular modular a longo prazo, por que fabricantes como a Motorola não podem oferecer o mesmo suporte?

NextPit Fairphone 4 battery
O Fairphone 4 chegou ao mercado este ano e terá atualizações do Android até 2027! / © NextPit

Em 2021, o Google anunciou que a série Google Pixel 6 terá 5 anos de atualizações de segurança. A Samsung se comprometeu com até 4 anos para os modelos das séries como Galaxy A, Galaxy S e Galaxy Z, bem como foi uma das primeiras a entregar a atualização para Android 12. Porém, dado o tamanho dessas empresas e a relevância que tem no mercado, o retorno delas para nós, compradores, poderia ser muito maior, certo? 

E isso é tudo por hoje, pessoal! Desejo um ótimo início de semana para você e uma boa Cyber Monday! Mas antes de me despedir, fica aqui a pergunta: o que você achou das escolhas desta semana? Compartilhe a sua opinião nos comentários deste artigo.

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

Artigos recomendados

2 Comentários

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Lucas N. há 1 mês Link para o comentário

    Tempo bom em que cada fabricante seguia firme com um portfólio de aparelhos pequeno, mas extremamente eficiente.
    Em 2013, até o Moto E recebia atualizações de software e segurança. Época em que a LG conseguia dar conta dos seus L Series e a Samsung se concentrava em apenas três linhas de consumo. Resultado? Android novo chegando pra todos.

    Hoje em dia, bem... Melhor nem comentar a respeito.

    Por isso desisti do Android.


  • Penskemen há 1 mês Link para o comentário

    Com relação a fragmentação do Android (ou falta de atualizações), isso se tornará recorrente, pois os fabricantes pensam fortemente no custo final do modelo (para ganhar mercado), e com isso lançam modelos com sistema operacional "dentro dos limites" do hardware embarcado, e exatamente por esse motivo "ainda temos lançamentos" com Android 9, 10 e 11.
    Daí a conclusão é a seguinte:
    Aparelhos baratos certamente não serão equipados, e muito menos atualizados com Android 12, única e exclusivamente por limitação de hardware.
    O tragicômico é que as empresas tem conhecimento que o sistema Android (a cada nova versão), tem exigido mais e mais recursos.
    - Quem diria que o Android, iria suplantar o Windows em recursos para rodar bem...🤔