NextPit

Vencedores e perdedores da semana: Xiaomi sobe em ranking e Huawei afunda

Vencedores e perdedores da semana: Xiaomi sobe em ranking e Huawei afunda

Mais uma semana está chegando ao fim e hoje olhamos para os últimos dias e escolhemos nossos vencedores e perdedores da semana. A Xiaomi parece só ter um céu de brigadeiro à frente, enquanto a Huawei parece não sair de sua longa zona de turbulência.

Já reparou que o tempo está passando ainda mais rápido do que o normal durante a pandemia? Mal comemoramos o ano novo e agora, de repente, o primeiro terço de maio já terminou. É claro que isso não vai impedir de escolhermos os vencedores e perdedores da semana, mas sinto que os escolhidos já ocuparam essas mesmas posições...

A Xiaomi pode mais uma vez curtir seu lugar ao sol enquanto sua rival Huawei fica mais uma vez — infelizmente— com o título de perdedora. Mas antes de falarmos sobre as gigantes chinesas, vamos fazer uma retrospectiva dos últimos dias.

Os novos intermediários da Oppo

A semana teve um início particularmente estressante para o estimado colega Ben, responsável por lidar com os novos celulares da Oppo logo na segunda-feira de manhã. Depois de já termos recebido algumas surpresas com os dispositivos da série Find-X3 neste ano, a Oppo apresentou sua nova gama média, que inclui os modelos A54 5G, A74, A74 5G e A94 5G.

Depois que o Oppo A72 foi um enorme sucesso de vendas para a empresa, estávamos naturalmente ansiosos para ver os novos celulares. Infelizmente, porém, não trouxeram nada espetacular e não podemos deixar de perguntar em que tipo de estratégia a Oppo estava pensando. Leia a notícia linkada acima e tenho certeza de que você vai compartilhar da nossa opinião — e confusão.

NextPit Oppo A74 back
A nova gama média da Oppo é, na melhor das hipóteses, "intermediária" / © NextPit

Appropós, Oppo: Antoine questionou até que ponto a Oppo e a OnePlus — ambos sob o guarda-chuva do grupo BBK — poderiam se tornar grandes marcar no ocidente lado a lado. Ele até falou de uma batalha de irmãos em seu texto, que vale a pena ler, e de fato será interessante ver o rumo que as marcas vão tomar daqui para frente.

O que há de novo, o que há de novo?

A próxima semana será interessante para quem usa apps de mensagem — alguns mais, outros menos —, já que as mudanças nas regras do WhatsApp entram em vigor no dia 15 de maio. Por este motivo, preparamos uma série de artigos com o 'Zap' e já trouxemos nossa lista das melhores alternativas ao WhatsApp.

Lá você não só confere quais alternativas são ideais para o seu tipo de uso, mas também as vantagens e desvantagens dos principais apps de mensagem do mercado.

Achados e perdidos 

Os fãs da Apple tiveram um cardápio generoso nessa semana no NextPit. Nossa cobertura dos localizadores AirTag continuou a todo vapor e explicamos quais recursos eles perdem ao serem usados com iPhones antigos. Ensinamos ainda como economizar os mais de R$ 300 pedidos nos acessórios (quase obrigatórios) do gadget. Chegou agora e não sabe o que é o AirTag? A Camila ensina:

Além disso, ensinamos como o iPhone agora pode ser desbloqueado usando o Apple Watch, um dos novos recursos trazidos com a atualização do sistema iOS 14.5.

O que mais houve nesta semana? Ah sim: aprendemos com sua ajuda que os iPads não podem substituir os notebooks, e iniciamos um concurso de fotos no NextPit. Ainda dá tempo de participar e concorrer a... fama e glória, claro!

Xiaomi brilha, Huawei nem tanto

Com isso, chegamos ao final da nossa retrospectiva e aos vencedores e perdedores desta semana. Ambos estão relacionados a novos números, neste caso, divulgados pela consultoria Canalys. Em poucas palavras, vemos que a Xiaomi conseguiu passar a Apple e assumir o segundo lugar na Europa no 1º trimestre em vendas de celulares.

Canalys Q1 2021 Europa
Xiaomi galgando posições na tabela / © Canalys

Como você pode ver no gráfico dos analistas da Canalys, a Xiaomi agora está até confortavelmente à frente da Apple (19%), com 23% de participação de mercado na Europa e só a Samsung (35%) vende mais aparelhos do que a Xiaomi no velho continente.

Isso é razão suficiente para escolhermos a Xiaomi como a vencedora da semana, coincidentemente (ou não?) quando publicamos a avaliação completa do novo topo de linha da marca, o Mi 11 Ultra, que você confere no link a seguir:

Mas a Xiaomi não foi a única a apresentar números positivos na tabela — basicamente quase todas registraram aumento nas vendas. Infelizmente, a má fase da Huawei continua, o que significa que os chineses agora caíram para o quinto lugar e uma participação de mercado de apenas 3% na Europa, após uma queda de 81% em vendas.

O significado dessa queda é ainda maior ao lembrar que na Europa a Huawei sempre foi muito forte. Em todo o mundo, eles já não estão mais entre os 5 primeiros e parece uma questão de tempo até que os chineses saiam desse top 5 no continente.

Os números que colocaram a Huawei como nossa perdedora da semana podem certamente serem revertidos, mas o fato de que os compradores de celulares na Europa estarem se voltando para outras marcas certamente atinge a Huawei em cheio.

Então, o que vocês dizem? Você concorda com nossa escolha dos vencedores e perdedores, ou teria escolhido outros nomes? Fique à vontade para listá-los nos comentários e também deixar sua opinião sobre o dilema da Huawei. Obrigado por acompanhar o NextPit novamente nesta semana — se cuide e tenha um bom começo de semana!

Gostou do artigo? Então compartilhe!
Comentar agora

1 comentário

Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.
Escreva um comentário:
Todas as mudanças foram salvas. Não há rascunhos salvos no seu aparelho.

  • Penskemen há 5 meses Link para o comentário

    Segundo o gráfico acima a Xiaomi tem obtido um crescimento anual de "modestos" 8️⃣5️⃣% Acho muito difícil alguém contestar esses dados. Enquanto isso no mesmo período a queridinha Samsung encolheu nesse período para apenas 21% e a sua concorrente Apple, também estacionou nos 22% de crescimento ao ano. Está parecendo (pelo menos no continente Europeu que possui um maior poder aquisitivo e melhor grau de escolaridade), que o consumidor desse continente decidiu que a Xiaomi agora é a bola da vez. Será que o Brasileiro ainda vai acordar e desapegar das marcas que só pensam nos lucros e menos em agradar seus clientes ?